Cresce prescrição médica da ‘Cannabis’

Clipadão

hempadao 10 janeiro, 2019

A dona de casa Mariele Martins, de 33 anos, viaja 150 quilômetros, de Taubaté a São Bernardo, para levar a filha Laís, de 1 ano, a um neuropediatra. Após passar por quatro especialistas, finalmente encontrou um que não rejeitasse o único tratamento que diminuiu a frequência de convulsões que a menina sofria: um óleo feito de substância extraída da Cannabis, a planta da maconha.

Fonte: IstoÉ

“O canabidiol não é milagre, mas devolveu a vida pra gente. Hoje, ela reconhece todas as pessoas da casa, assiste a desenhos, interage socialmente, brinca com o irmão”, conta a mãe. Foi logo após o diagnóstico de Síndrome de Aicardi, condição genética rara e congênita, que começou a saga da família para diminuir o sofrimento de Laís. As convulsões chegavam a 70 por dia – hoje não passam de 3.

A crescente demanda de pacientes como Laís pelos produtos derivados da Cannabis, os canabinoides, pressiona a classe médica. De 2015 a 2018, o número de profissionais que prescreveram canabinoides foi de 321 para 911 (alta de 183%), segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reunidos pela Abmedcan, entidade voltada à formação de médicos sobre o tema.

Mas o total de prescritores ainda é baixo, se comparado ao de pacientes que já receberam autorização para importar o produto: 4.236, até outubro. Incertezas sobre as substâncias, dificuldades de delimitar dosagens e insegurança sobre a legalidade da prática estão entre os motivos da baixa adesão.

“Meus pacientes que me forçaram a buscar conhecimento. Fui me atualizando e chegou ao ponto em que não tinha onde ter informação. Fui para fora do País”, diz o neurocirurgião Pedro de Pierro, do Centro de Excelência Canabinoide, também voltado para formação médica.

A empresa é uma das criadas no último ano para dar cursos e palestras para médicos sobre a Cannabis medicinal, tratando do passo a passo da importação e questões jurídicas da prescrição. No País, a Anvisa autoriza importar o canabidiol em associação com outros canabinoides, para tratamento de saúde, mediante prescrição de profissional habilitado. É preciso justificar a opção pelo tratamento e apontar outras terapias realizadas.

Já o Conselho Federal de Medicina (CFM) delimita que só neurologistas, neurocirurgiões e psiquiatras podem prescrever o canabidiol para crianças e adolescentes com epilepsias refratárias (resistentes) aos tratamentos convencionais.

Profissionais de várias especialidades, como oncologistas e reumatologistas, procuram as formações e também consultoria – a ajuda pode ser até online. Segundo Carolina Nocetti, cofundadora da Abmedcan, listas de prescritores circulam na internet e há filas em consultórios desses especialistas.

“Muitos colegas dizem que não prescrevem porque têm medo. Não sabem como é a metabolização, as implicações”, diz a neurologista Paula Maria Mimura, que começou a estudar o tema após um paciente perguntar sobre o tratamento. Desde então, viu colegas olharem para seu trabalho com desconfiança.

Outro gargalo é o custo. Como não é permitido plantar Cannabis no País, a maioria dos remédios é importada.

Cautela

Para Salomão Rodrigues Filho, psiquiatra e membro do CFM, o debate exige cuidado. “Sabemos os efeitos terapêuticos, mas não conhecemos os riscos (do canabidiol). Não sabemos o que vai acontecer com essa criança (submetida ao tratamento) quando for adulta.” A decisão pela delimitação de especialidades que podem prescrever, diz, é técnica, pois o prescritor precisar ter conhecimento e experiência sobre a doença.

Questionada sobre a regulamentação da Cannabis para uso medicinal – o que poderia reduzir preços -, a Anvisa disse que o tema é debatido internamente e que será criado um grupo de trabalho com outros órgãos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



8 respostas para “Cresce prescrição médica da ‘Cannabis’”

  1. Hi, I desire to subscribe for this weblog to obtain most
    recent updates, so where can i do it please assist.

  2. Avatar best hosting disse:

    magnificent submit, very informative. I wonder why the opposite experts of this sector do not realize this.
    You must proceed your writing. I’m sure, you’ve a great readers’ base already!

  3. It’s wonderful that you are getting ideas from this piece of writing as well as from our
    argument made at this place.

  4. Avatar tinyurl.com disse:

    Undeniably believe that which you stated. Your
    favorite justification appeared to be on the
    web the easiest thing to be aware of. I say to you, I definitely get irked while
    people consider worries that they just do not know about. You
    managed to hit the nail upon the top as well as defined out the whole thing
    without having side effect , people can take a signal.
    Will likely be back to get more. Thanks

  5. Avatar lexlydia.net disse:

    This web site truly has all of the info I needed about this
    subject and didn’t know who to ask.

  6. My partner and I stumbled over here from a different page and thought I might check things out.
    I like what I see so now i am following you. Look forward to exploring
    your web page again.

  7. Avatar who g disse:

    Hi there, its nice article about media print, we all be aware of media is a
    wonderful source of information.

  8. Avatar g other disse:

    Unquestionably consider that that you stated. Your favourite reason appeared to be at the net the
    simplest thing to consider of. I say to you, I certainly get irked whilst other folks think about worries that they plainly do not realize about.
    You managed to hit the nail upon the highest and
    also outlined out the whole thing with no need side-effects , folks
    can take a signal. Will likely be again to get more.
    Thanks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




[pro_ad_display_adzone id=17608]
[pro_ad_display_adzone id=17609]