Home Blog OnJack As Verdadeiras Consequências da Proibição!

As Verdadeiras Consequências da Proibição! [OnJack Ed. 210#]

Postagens anteriores aqui!

 

maconha-adolescentes-americanos-436[2]Quando a DuPont nos garante que graças a ela teremos “Vida Melhor Através da Química” não nos diz que es­se estado de coisas durará apenas 100 anos, findos os quais todo o planeta morrerá em seu benefício.

A Inglaterra e a Holanda aprenderam a tratar os utilizadores de substâncias ile­gais como seres humanos — mantendo­-os abastecidos com quantidades sufi­cientes de medicamentos de modo a não perturbarem as atividades dos outros. Esta política, que permite a essas pessoas levarem vidas de outro modo produtivas e normais, está agora firmemente im­plantada, é eficaz e popular naqueles paí­ses. Em 1990, a Suíça deu início à sua própria experiência de tolerância loca­lizada do uso público de drogas.

Quando o governo suíço tentou, em 1997, recriminalizar a cannabis através de um referendo, perdeu por 79% dos votos.**

Sendo assim, por que é que pacíficos cultivadores e utilizadores de cannabis devem ser cadastrados e perseguidos co­mo se de criminosos crónicos se tratasse, enquanto 35% de todos os roubos e as­saltos são cometidos por toxicodepen­dentes, 40 a 50% dos assassínios, violações e mortes na estrada se relacionam com o álcool,* e é mais fácil encontrar heroína nas prisões do que na rua? Acresce ainda que, estatisticamente, os índices de crime e violência dos utilizadores de cannabis são idênticos ou inferiores aos do conjunto da população não fumadora de cannabis.

* Estatísticas do FBI, 1996.

**Março de 2001: a Suíça prepara-se para descrimi­nalizar não só o consumo mas também a produção de cannabis, ultrapassando a Holanda em termos de liberalização das leis antimarijuana, (N. do T.)

De fato, abstraindo o uso da cannabis, se retirarmos da equação a máfia e os tra­ficantes de heroína e outras drogas, redu­zimos 80% do crime não relacionado com o álcool. Como exemplo direto, o índice de assassínios subiu constantemente du­rante a era de proibição do álcool, os “Lou­cos Anos Vinte”, baixando então todos os anos durante os dez anos seguintes à anu­lação da proibição em 1933. *

* Estatísticas do FBI

Devemos encontrar outra forma de li­dar com o uso de drogas, ou estarmos preparados para uma continuada erosão exponencial das nossas liberdades, in­cluindo os direitos à livre expressão, ao debate público e a uma comunicação so­cial livre, incluindo livros e canções.

Aceite-se o fato de virtualmente todo o crime relacionado com drogas decres­cer se tratarmos os toxicodependentes e utilizadores em vez de os retirarmos da sociedade. Devemos ajudá-los, educá-los e encorajá-los a serem financeiramente produtivos. 

O OnJack publica, semanalmente, trechos da tradução do livro de Jack Herer, The Emperor Wears no Clothes.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Só digo uma coisa: não digo nada

E digo mais: só digo isso. Em termos de comédia, realmente tem sido bastante complicado concorrer com a realidade, vide 50 mil anos atrás....

Osmar Terra defende realização de plebiscito sobre legalização da maconha

Ministro da Cidadania diz que sociedade "tem de ser ouvida" O ministro da Cidadania, Osmar Terra, defendeu neste sábado (7), em Porto Alegre, a realização de um...

Anvisa rejeita cultivo de maconha para fins medicinais no Brasil

Por 3 votos a 1, proposta foi arquivada pela agência reguladora. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitou nesta terça-feira (3) o cultivo de...

Verdinha de Ludmilla faz sucesso na Web!

Mais de 3 milhões de plays em quatro dias de publicação: Verdinha de Mc Ludmilla faz sucesso no YouTube A Mc do funk Ludmilla lançou...

Mercedes Ponce fala sobre ExpoCannabis 2019 ao Hempa

Está chegando mais uma edição da ExpoCannabis 2019! Confira a entrevista com a organizadora do evento Este é o terceiro ano seguido do Hempadão na...