Hábitos nocivos legalizados, ou não

Chapa2

hempadao 5 dezembro, 2017

por S. M. Hermes

Com certeza ambos os hábitos de fumar tabaco ou maconha são prejudiciais à saúde de certa forma (se não de toda forma) e nenhum desses dois vícios é louvável e discutível em um âmbito onde essas duas substâncias são encaradas de formas equivalentes e sob um mesmo viés político, social e até científico — porém, não é assim que a banda toca.

Pelo fato da maconha ser classificada como uma droga ilegal o tratamento que ela recebe do Estado difere do tabaco, que é uma droga legalizada ampla e mundialmente. Mesmo assim, atualmente o cigarro vem sendo encarado pela sociedade em geral como algo desnecessário, como um hábito pecaminoso e lamentável, até mesmo tão quanto a maconha.

Traçando um paralelo quanto sua classificação entre álcool, tabaco e maconha as três diferem, nessa mesma ordem, em uma droga depressora do Sistema Nervoso Central, uma estimulante e uma “alucinógena”, ou perturbadora. Existem variados filmes, documentários e vídeos que elucidam as diversas questões que cercam o universo das drogas legais e ilegais podendo suprir os indivíduos de informações e fatos relevantes.

Obvia e claramente houve todo um plano de fundo que veio a configurar o sistema que é adotado praticamente em nível mundial no que diz respeito a substâncias psicoativas: a declaração do então presidente norte-americano Nixon que iniciou a campanha de Guerra às Drogas em 1971. E questões financeiras sempre estiveram e sempre estarão envolvidas de forma intrínseca com as leis e a justiça em geral enquanto vivermos em um sistema monetário.

Acredito que seja praticamente impossível distinguir o ato de fumar maconha e o de fumar tabaco um enquanto pior e mais nocivo que o outro. É através da indústria ou através do tráfico, da conscientização ou da repreensão, da grande mídia ou da mídia independente que nós enquanto indivíduos somos cada vez mais condicionados, direcionados e distanciados um dos outros, sendo que a ideia é totalmente oposta.

Quem sabe se todas as drogas — sem exceções — tivessem seu uso regulamentado e livres de qualquer discriminação social um espaço para discussões mais necessárias e mais importantes, como por exemplo machismo ou racismo pudesse ganhar maior notoriedade entre os indivíduos. “A Lei da Compensação está sempre em ação, esforçando-se para balançar e contrabalançar, e sempre vindo a tempo, sendo necessário diversas vidas para o movimento de volta do Pêndulo do Ritmo.”



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina