Wild Dagga – A Cannabis Selvagem

Portas da Percepção

hempadao 1 junho, 2013

por Catiusia

clip_image002Conhecemos muito pouco sobre a diversidade de plantas usadas medicinalmente, e também em rituais religiosos, pelos povos do continente africano. Duas das plantas nativas da África sobre as quais temos mais estudos etnobotânicos atualmente são a kanna (Sceletium tortuosum) e wild dagga, ou cauda-de-leão (Leonotis leonorus). O nome latino Leonotis leonorus faz menção à cor e formato das flores da wild dagga, sendo de cor laranja inteso e com formato alongado. Ambas as plantas produzem alcalóides com algum tipo de ação psicoativa em seres humanos. Essas plantas desempenharam um papel importante durante as migrações de tribos africanas, e hoje ainda são usadas pelas tribos com objetivos religiosos ou medicinais. Além disso, a wild dagga possui uma estreita relação com o uso da cannabis por essas populções indígenas africanas.

Remonta aos anos de 1650 a 1680 os primeiros relatos de viajantes europeus sobre o uso recreativo ou religioso de plantas por populações africanas. Jan van Riebeeck, um alemão que visitou o Cabo da Boa Esperança em 1668, escreveu em seus relatos de viagem sobre o uso de uma planta pelos indios africanos da tribo dos Hotentotes. A planta era a wild dagga, que como escrito por Riebeeck, era macerada pelos indios e ingerida, deixando-os embriagados. Outros autores trazem informações adicionais sobre o uso da dagga, evidenciando que os Hotentotes também fumavam extratos da planta. Outra espécie documentada po Riebeeck, em suas viagens pela África do Sul, foi a kanna, que como a própria etimologia do nome sugere (Kanna também era chamada de Kougoed, que significa “algo para mastigar, mascar”), era mascada pelos viajantes e migrantes que cruzavam grandes distâncias na África, principalmente por ser capaz de inibir o apetite e, em doses mais elevadas, causar um estado eufórico, garantindo disposição física para a caminhada.

As tribos africanas do grupo dos Khoisan foram quem descobriram e espalharam o uso de kanna e dagga. O grupo dos Khoisan é, na verdade, o agrupamento antropológico de duas tribos que compartilhavam culturas semelhantes, os Khoekhoe e os Bushman. Essas tribos são consideradas os grandes protetores do meio ambiente, pois acreditavam que seriam punidos pelas divindades, caso fizessem uso inadequado dos recursos ambientais que os deuses haviam entregado a eles. Para os Bushman, as plantas eram sagradas pois proporcionavam o encontro com os deuses e eram o alimento e a cura para suas doenças. 

clip_image004Essas tribos habitaram desde os territórios centrais desertificados até a costa a leste do continente africano, onde, provavelmente, tiveram contato com a cannabis. Existem na África três diferentes nomenclaturas historicamente associadas à cannabis, cada uma estando ligada a uma diferente região geográfica do continente. Essa diferença de nomenclatura foi devida à grande expansão da cannabis no continente africano onde a planta passou a ser usada por muitas tribos diferentes, que a denominaram de acordo com seus costumes. Na parte central e costa leste a cannabis era referida como bangi, nas áreas a oeste era denominada djamba e nas regiões mais ao sul era chamada dagga. Aí está a evidência da associação de uso entre a cannabis e a Leonotis leonorus, ou a wild dagga, que, traduzindo seria a dagga selvagem, ou a cannabis selvagem.

Os efeitos da cannabis e wild dagga são muito parecidos, um leve estado eufórico seguido por um relaxamento, embora os efeitos de wild dagga sejam um tanto menos intensos que os de cannabis. Apesar de não serem aparentadas botanicamente, as duas plantas são semelhantes também na forma de crescimento, e principalmente na aparência das flores secas, sendo que a wild dagga é atualmente muito conhecida como legal buds e vendida como tal. É interessante notar que a cannabis tornou-se tão conhecida e utilizada dentre as populações tribais africanas que a wild dagga acabou levando seu nome, e tornou-se conhecida, literalmente, como “cannabis selvagem”, mesmo sendo uma planta nativa daquele continente. Não há dúvidas que a cannabis tem e teve uma influência muito grande na formação cultural em diversos locais pelo mundo afora.



13 respostas para “Wild Dagga – A Cannabis Selvagem”

  1. Good day! This post could not be written any better!

    Reading through this post reminds me of my previous room mate!
    He always kept talking about this. I will forward this page to him.
    Pretty sure he will have a good read. Thanks for sharing!

  2. Very good info. Lucky me I discovered your site by accident (stumbleupon).
    I’ve bookmarked it for later!

  3. Avatar black mass disse:

    Way cool! Some very valid points! I appreciate you writing this write-up and the rest
    of the site is extremely good.

  4. Avatar cheap flights disse:

    This is very interesting, You’re an overly skilled blogger.

    I have joined your feed and look forward to searching
    for extra of your fantastic post. Additionally, I’ve
    shared your web site in my social networks

  5. Avatar cheap flights disse:

    There is definately a lot to find out about this subject.

    I love all of the points you’ve made. cheap flights 32hvAj4

  6. Incredible story there. What happened after? Good luck!

  7. Definitely believe that which you stated. Your favorite reason appeared to
    be on the internet the simplest thing to be aware of.
    I say to you, I definitely get annoyed while people think
    about worries that they plainly don’t know about.
    You managed to hit the nail upon the top and defined out the whole thing without
    having side-effects , people can take a signal. Will likely be back to get more.
    Thanks

  8. Avatar SMS disse:

    I love looking through a post that can make people think. Also, many thanks for permitting me to comment!

  9. Thanks for fantastic info I was looking for this info for my mission.

  10. These are actually great ideas in concerning blogging.

  11. Like!! Really appreciate you sharing this blog post.Really thank you! Keep writing.

  12. Hello there! I could have sworn I’ve been to this website before but after browsing through many of the articles I realized it’s new to me.
    Nonetheless, I’m definitely delighted I discovered it and
    I’ll be book-marking it and checking back regularly!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




[pro_ad_display_adzone id=17608]
[pro_ad_display_adzone id=17609]