Home Blog InstaGrow Visita ao grow do @MaconhaMeuRemedio

Visita ao grow do @MaconhaMeuRemedio

A entrevista foi concedida em abril, mas por pura sequela só veio parar aqui hoje. Eu sei que vocês entendem a gente. O quadro era pra sair toda terça, mas devido as viagens acabei esquecendo totalmente. Mas bora fazer essa força pra essa corrente de compartilhamento de informações sobre cultivo seguir em frente. Essa semana vamos lá no amigo @maconhemeuremedio, se liga aí:

1) Qual seu login de cultivador no insta?

Meu login é Maconhameuremedio

2) Há quanto tempo tem a conta e porque decidiu criar?

A conta é bem recente, criei em janeiro desse ano. Fiz a conta porque a gente cria um amor e um carinho tão grande pelas plantinhas que da vontade de mostrar para todo mundo, e vi que muita gente estava fazendo isso, então porque não? É igual o pessoal que ama seus cachorros e gatos, e vive postando suas fotos. Mas não só para mostrar meus cultivo, criei a conta para compartilhar também os conhecimentos que venho adquirindo aos poucos, e como forma de militância, ajudar a encher as redes sociais de fotos e hashtags da nossa querida planta.

3) Conta pra gente como é sua experiência com cultivo.

Sou recém formado e ainda moro com meus pais, logo depois que consegui tirar todo o preconceito e as desinformações da cabeça deles comecei a plantar em casa, desde então cultivar maconha tem sido um grande hobby. Além do prazer de você ter aquele verdinho do seu próprio jardim, cultivar a planta é uma delícia. Olho e mexo nelas todos os dias, durante a semana é: Acordar, dar uma olhadas rápida nas meninas, trabalhar, volta pro almoço e mais uma olhada nas meninas, trabalhar e na volta adivinha? mais uma olhada nelas. Hoje eu digo que plantar maconha por si só já é uma terapia, tanto que, entre um cultivo e outro que fico algumas semanas sem plantar (não fumo todos os dia, pelo meu consumo não tenho a necessidade de sempre ter plantas no grow) sinto muita falta delas. Cultivando maconha também acabei pegando interesse pela jardinagem, hoje além da ganja, tem pé de hortelã, manjericão, salsinha e cebolinha. No começo, em casa, minha mãe reclamava do cheiro, porque quem cultiva sabe como é né, que plantinha cheirosa! Mas hoje todos adoram as plantinhas, quando viajo sempre conto com a ajuda deles para cuidar das meninas.

IMG_20180120_102545523

4) Qual foi o melhor strain que você já cultivou?

Não faz muito tempo que cultivo, pude cultivar poucas genéticas até então, mas uma que gostei foi a Lelé da cuca do MSB, uma auto cruza de northern lights com um gostinho adocicado e uma brisa muito boa.

5) Que set-up você usa no seu grow?

Cultivo minhas plantas em um jardim de inverno ao lado do meu quarto, durante o dia acabo aproveitando umas 2-3h de luz natural direta e também deixo uma hps de 250W em cima delas. O lugar em bem ventilado mas deixo um ventilador desses de grow para elas terem uma brisinha.

6) Qual a maior alegria e a maior dificuldade em cultivar seu próprio fumo?

Para mim a maior alegria é você parar de financiar o tráfico e a guerras as drogas. Como um militante e um interessado pelo assunto, sabemos o tanto que pessoas na periferia sofrem e morrem para políticos e corruptos encherem seus bolsos graças a essa guerra. Mesmo sabendo que não é o usuário quem financia, e sim a proibição, é triste saber que querendo ou não é seu dinheiro que está rodando ali. Acho que a maior dificuldade é começar. O começo é difícil, você tem que achar o lugar, muita das vezes vai ter que arcar com um investimento inicial em lâmpadas, solo, ventilação e tudo mais, vai ter que estudar bastante, vai apanhar para aprender e tudo isso de modo ilegal para dificultar mais um pouquinho. Mas depois de um tempo você pega o jeito e vai melhorando aos poucos, sempre aprendendo, cada cultivo um novo aprendizado.

7) Como tem sido seu solo e que alimentação tem dado pra galerinha?

O solo que uso é o carolina soil e só, tiro do saco, deixo um tempo com água para umedecer e depois vai pro vaso. É um solo muito bom, quase inerte e bem arejado, elas adoram. Nutrientes hoje em dia uso a linha da biobizz, mas no começo usava a linha da biofert, que é mais generalista e mineral, recomendo para quem está começando pois o investimento é menor, mas requer muito cuidado!

8) Uma dica para quem nunca cultivou.

Aqui peço licença para dar mais de uma dica. A primeira, “menos é mais”, lembre disso, sempre que for dar nutrientes para sua planta, prefira errar para menos do que para mais, então comece sempre dando metade da quantidade de nutrientes orientada pelo fabricante e vá aumentando aos poucos, de acordo com os sinais da sua planta. A segunda, seja organizado, com seu grow, instrumentos e anotações, anote tudo, data de germinação, poda, troca de fotoperíodo e tudo mais. A terceira, tenha paciência, é muito difícil no começo, a ansiedade é demais no primeiro cultivo, mas tenha calma, o cultivo, a secagem, a cura, tudo tem seu tempo, você acaba perdendo muito se tentar acelerar as coisas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Folião fantasiado de ‘PM da maconha’ é detido em Salvador

Entre tantas fantasias e tantos foliões, um não passou despercebido por policiais militares que faziam a segurança do Furdunço, no pré-Carnaval de Salvador, neste...

Carl Sagan escreveu ensaios chapado de maconha e dizia que a erva lhe dava ‘inteligência e sabedoria’

Cientista, físico, biólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor, divulgador científico e ativista. O norte americano Carl Sagan foi sem dúvida uma das mentes mais brilhantes que o...

Idosos tratam Alzheimer com maconha; eficácia divide opinião de médicos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou uma proposta para simplificar a importação de produtos à base de canabidiol, composto derivado da maconha,...

Maconha é tema da série High Maintenance, da HBO

A série americana High Maintenance, da HBO, parte de um principio polêmico - mas muito interessante. É um show que simplesmente assume que todo mundo fuma...

A culpa é de quem?

A "cultura" é uma rede cooperativa de instintos artificiais que cria mitos e ficções, habituando as pessoas a pensarem, agirem e seguirem determinadas regras...