Home Blog REeDUcaÇÃO REeDUcaÇÃO #26 – De frente com o Almanaque das Drogas!

REeDUcaÇÃO #26 – De frente com o Almanaque das Drogas!

por Guilherme Storti

Salve hempada brasileira!!

almanaque tarspEssa semana eu tive o imenso prazer de estar acompanhando parte da passagem do Tarso Araújo por Salvador. Para aqueles que não o conhecem, Tarso Araújo é um jornalista que já passou por inúmeros veículos de comunicação e ultimamente estava fazendo parte da equipe da Revista Galileu. Ele, inclusive, foi quem produziu a última reportagem capa da Galileu, sobre maconha.

Mas além da grande prestação de serviços como jornalista, o Tarso resolveu ir mais longe e tomou a decisão de escrever um livro, o Almanaque das Drogas.

Em bate papo com o Tarso, durante dois dias, pude conferir um pouco sobre como pensa o escritor do grande Almanaque acerca das nossas políticas de drogas e quais foram as suas motivações para dar inicio a essa grande e valiosa obra, que segundo ele, é um livro baseado nos princípios da redução de danos.

 

Ao decorrer da sua carreira como jornalista, o Tarso Araújo começou a perceber o quão as pessoas estavam desinformadas acerca do delicado assunto das “drogas” e o quanto essas pessoas não tinham acesso a um material de confiabilidade e que as preparassem para um debate racional, tendo em vista a grande quantidade de informações falsas que chegavam às grandes mídias. O Almanaque surge então como uma válvula que facilita muito a compreensão
do leitor em torno deste assunto polêmico que é o mundo das drogas.

Dividido e setorizado por cores e assuntos, o livro traz uma forma muito interessante de dinâmica de consulta, dando possibilidade ao leitor de localizar o assunto de maior interesse sem ter a necessidade de vasculhar o livro inteiro (embora seja altamente recomendável ler o Almanaque folha por folha). Dividido em seis tópicos importantes a serem analisados pelos leitores que procuram informações sobre drogas o livro é uma grande chamada para a
consulta pontual e uma ótima ferramenta de redução de danos, pois além de ser dinâmico ele é bem ilustrativo (possui várias imagens) e de leitura simples, ou seja, acessível para todos os públicos e níveis educacionais, visto que não é um livro de linguagem científica.

Bem dividido, bem ilustrado, bem pensado e muito bem executado o Almanaque se torna o mais novo livro de consulta para os pais “caretas” entenderem um pouco mais sobre o assunto que tanto nos mobiliza e causa polêmicas. Sem contar na grande importância social, pois é um assunto não só direcionado aos pais e sim para a toda sociedade conservadora que a todo o momento vem criticar os usuários de drogas e as suas problemáticas sem ao menos conhecerem os aspectos mais relevantes do debate.

Outro elemento que motivou bastante o Tarso para criar esse livro foi a grande quantidade de informações suspeitas que são disponíveis na internet, pois ele acredita que um dos problemas que rodeia nossa política de drogas é a informação desencontrada, sem confiabilidade e que acaba municiando a crítica negativa sobre o tema. Inclusive foi um ponto em que chegamos numa certa divergência, pois na própria internet encontramos os dois lados da moeda. Assim como temos informações desencontradas e falsas, também temos muitas informações valiosas e que cada vez mais estão chegando à população via militância na web, como é o caso do próprio Hempadão. Defendo que a Internet seja um instrumento de redução de danos justamente pela facilidade de se ter acesso a um vasto conteúdo, porém, bem pontuado que seja muito perigoso boa parte desse conteúdo em termos de confiabilidade, mas que aos poucos, e com pessoas extremamente dedicadas à causa, vamos quebrando essas informações desencontradas e levando cada vez mais conteúdo confiável para o leitor se deliciar com o incrível mundo das substâncias psicoativas e todas as suas soluções inteligentes e divergências científicas.

Enfim, o que vocês acham do papel da internet na formação de opiniões em relação a temática das drogas??? Esse debate necessita da opinião de [email protected] vocês!!! Participem!! Salve, salve!!

Ps: conheçam o blog do almanaque: www.almanaquedasdrogas.com

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

De saúde ao mundo dos negócios, a maconha é uma fábrica de notícias

Falamos da cannabis abordando diferentes aspectos: saúde, economia, segurança pública, cultura, história, esportes… por João Henriques / Ilustração: Felipe Navarro Antes de começar a leitura deste...

Nelson Motta revela que fuma maconha todos os dias há 55 anos

Jornalista, que está com 74 anos, falou com naturalidade sobre seu hábito diário de consumir cannabis e ainda atestou: "Tenho uma memória incrível" Sem tabus...

Governo age para brecar liberação da maconha medicinal

Projeto de Lei que regulamenta venda de remédios e uso está parado na Câmara, enquanto Anvisa adiou votação de regulamentação do plantio revista para esta...

Pesquisadora defende regulamentação da Cannabis Medicinal: ‘Temos de saber o que o paciente está tomando’

Akemi alerta para o risco do uso do medicamento sem orientação Na próxima terça-feira, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) julgar se regulamenta...

Pedidos para maconha medicinal triplicam nos tribunais mineiros

O uso da maconha medicinal no tratamento de epilepsias, esclerose múltipla, dor neuropática e paralisia cerebral tem ganhado cada vez  mais força em Minas....