Home Colunas Chapa2 Quarentena canábica

Quarentena canábica

Todas as fragilidades da nossa sociedade vem à tona em momentos como o atual, em que vivemos em meio a uma pandemia de coronavírus. Mudanças são iminentes, e a nossa readaptação individual está vinculada ao bem-estar coletivo. É exatamente essa a hora da verdade.

por S. M. Hermes

“Tudo que acontece uma vez, pode nunca mais acontecer. Mas tudo que acontece duas vezes, acontecerá certamente uma terceira.” – Paulo Coelho, em O Alquimista (1988).

Na terça-feira dia 22 de abril, conforme reportagem da Newsweek, o Líbano aprovou a legalização da maconha para fins medicinais e industriais. A medida já vinha aparecendo na pauta do país desde antes da chegada do coronavírus. Em relação ao uso recreativo da planta, nada é previsto na nova lei.

Um laboratório de Israel, segundo informações da Health Europa, está estudando o uso de terpenos de Cannabis para tratamento da COVID-19. A formulação do mesmo é exclusivamente dedicada à terapia e prevenção de infecções virais. Confira ambas matérias na íntegra (divulgadas pelo Smoke Buddies) através dos links disponíveis nas fontes, localizadas no final do texto.

Camarões da pandemia

Faziam cerca de três meses que não queimava uma flor de Cannabis. Nesse período, tive acesso apenas ao nosso clássico e altamente nocivo fumo prensado. Foram as famosas e populares vacas magras de verão.

Nesse março passado foi que a coisa deu uma guinada legal e bacana. Concomitante ao início da pandemia de coronavírus no Brasil, começou a chover camarões na horta do camarada que aqui vos escreve — sim, milagres acontecem.

Fui de Porto Alegre até Novo Hamburgo, durante meu horário de almoço, fazer essa primeira mão salvadora. Devido à COVID-19, foi possível fazer esse bate e volta de 80 quilômetros em pouco mais de uma hora, garantindo 10 gramas de Honey Cream.

Já no exato momento, são três contatos disponíveis aqui no meu dial. Algo que não ocorria desde… sei lá quando. Além da Honey Cream rolaram Moby Dick, GSC, Tangie, OG24K e Gelato. Ainda assim, não se pode dar chance ao azar. Até por quê, como diria o velho drogado “quando a esmola é demais, o santo desconfia”.

Entrevista @theweedwonka

Hoje temos uma participação especial aqui nesse querido e glorioso espaço que o Hempadão carinhosamente nos concede. Fazendo às vezes de correspondente, ele nos manda informações direto dos Estados Unidos: palmas pro nosso grande amigo e maconheiro @theweedwonka.

  1. M. Hermes:
    Começando pelo começo, sinta-se a vontade pra contar um pouco da tua história e mandar teu salve, alô ou sinal de fumaça.

Weed Wonka:
Salve salve rapazeada, aqui The Weed Wonka que vos fala, tudo bem por aí? Espero que sim! Então, tive a ideia de criar o @theweedwonka em 2014, quando surgiu o pensamento de fazer um diário canábico. Compartilhar meus rolês, criar um conteúdo informativo, mais puxado pro lado do ativismo mesmo. E como acreditamos e apreciamos a Cannabis, queremos nos conectar com vários consumidores e entusiastas pelo Brasil e mundo afora.

SM:
Chegou quando nos EUA? E em relação ao coronavírus, qual era o clima na chegada?

WW:
Cheguei dia 8 de fevereiro de 2020, entrei pela Flórida e parecia tudo bem. Desde que saí do Brasil já tinham muitas pessoas utilizando máscara e luvas, mas ao todo foi uma viagem tranquila.

SM:
E atualmente, qual é a situação aí?

WW:
No estado de Nova Jersey, onde eu moro, o clima é tenso. Por eu estar próximo de Nova York, creio que a pandemia ainda possa piorar. Só aqui no estado são mais de 100 mil casos confirmados.

SM:
Tem conseguido comprar Cannabis?

WW:
Consegui comprar recentemente. Muitas smokeshops estão fechadas, porém, seguem fazendo entregas.

SM:
Quais tem sido os passatempos pra encarar o isolamento mais numa boa?

WW:
Tenho desenhado bastante, fazendo algumas colagens digitais também. E como recentemente voltei a trabalhar, meu tempo está bem ocupado.

Fontes:

https://www.smokebuddies.com.br/libano-aprova-legalizacao-da-maconha-para-fins-medicinais-e-industriais/

https://www.smokebuddies.com.br/laboratorio-de-israel-estuda-terpenos-de-cannabis-para-tratamento-da-covid-19/

3 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Canabidiol desenvolvido na USP chega às farmácias

Fitofármaco derivado da maconha pode ter diversas aplicações terapêuticas. Produto foi criado em parceria com uma indústria farmacêutica do Paraná O primeiro extrato de canabidiol...

Quarentena canábica

Todas as fragilidades da nossa sociedade vem à tona em momentos como o atual, em que vivemos em meio a uma pandemia de coronavírus....

Maconha em tempos de pandemia é o tema da live da Folha nesta quarta

Nesta quarta-feira (29), o Ao Vivo em Casa, série de lives da Folha, fala sobre a indústria da maconha em tempos de Covid-19 e...

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...