Puff Life na Califa – Marola Master!

Adão e Erva

hempadao 22 junho, 2018

Todo maconheiro tem suas ferramentas. Se botar na ponta do lápis, acabam que são muitas. Seda, piteira, tesourinha ou dixhavador, bowl ou alguma superfície pra fazer o mix, sem falar nas especiarias em si. Pra não andar com tudo isso jogado pela mochila e a hora da tarpegem ficar parecendo uma gincana do Gugu, dessa vez um viajei com tudo organizado no Kit Puff! E, acreditem, ele foi comigo… mas na hora de voltar da Califa, ele resolveu ficar por lá!

Quando desembarquei no aeroporto de San Francisco minha host querida tinha consigo uma linda bag de Blueberry, mas só seda pequena e nada pra manufaturar tão belo bud. Abri a mala e a primeira coisa que saquei, em terras do Tio Sam, foi o Kit Puff, com todos apetrechos em mãos pra confeccionar o primeiro beck na califa, um que certamente jamais vou esquecer.

Infelizmente a greve dos caminhoneiros atrasou a encomenda que me faria viajar com pelo menos 6 cases. Mas em todo caso, não perdi a oportunidade de registrar o filho único de mãe solteira que viajou comigo. O kit preto foi ao centro de San Francisco, conheceu a lounge dos dispensários, marolou no parque Golden Gate e até ajudou a confeccionar uns baseados no turístico píer 29.

IMG_0520Durante a Cannabis Cup ter uma bolsa com todos o seu kit é fundamental. Como fui com o case pequeno, ele cabia perfeitamente no bolso do colete ou casaco, então a companhia foi inevitável.

Confesso que as vezes sou apegado demais às coisas. Não devia, mas fazer o quê. Certa hora, chapadão, quando me foi exigido a prática com os dedos para apertar a MoonRock, notei que a tesourinha não estava mais por lá. Cheguei a brincar com os amigos: “Destino nobre dessa tesoura. Comprada em Campos do Jordão e perdida na Califónia”, já que estava desfalcando o kit Puff.

Só a noite, quando revirando os brindes e amostras da copa, achei ela perdida na mochila. De volta no estojo, o futuro do apetrecho era certo, voltar comigo pro Brasil, pra encarar prensados nunca dantes vistos em território californiano. Ela veio, mas o case ficou. Destino nobre desse utensílio, trocar o Rio de Janeiro por uma vida mansa no distrito de Vacaville.

Minha amiga Fernanda Ballard e seu marido, Cody, certamente vão fazer um bom proveito dele. Não perde, não! Esse aí um exemplar raro – ainda – aí na gringa, de uma marca brasileira que além de produzir estojos de qualidade, ajudou o Hempa a realizar o sonho de conhecer a meca da cannabis. Fica ligado que em breve vai rolar promoção dos Kit Puff lá no insta do Hempa.

A viagem foi melhor com uma mala portátil exclusiva pras maconheiragens. Sem nunca deixar de ter em mãos tudo que precisava, devo ter apertado, pelo menos, uns 42 baseados. Obrigado Puff Life, marolamos juntos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




[pro_ad_display_adzone id=17608]
[pro_ad_display_adzone id=17609]