Home Blog Por que fumar maconha dá fome?

Por que fumar maconha dá fome?

Que maconha dá fome a gente já tá cansado de saber. Mas você consegue explicar o porque e a utilidade disso?

Como falado anteriormente, o corpo humano produz “a tal da maconha interna” que faz parte de um sistema responsável pelo controle de diversas funções, como regulação da ingestão alimentar, controle de humor e energia. 

por Paulo César*

Em contato com a maconha, mesmo de forma recreativa, nosso sistema costuma reagir com o efeito de procurar por alimentos, notadamente alimentos palatáveis (é o que se chama popularmente de “larica”).

Dados médicos já demonstraram o uso de canabinóides para alívio de anorexia e náuseas em pacientes com doenças alimentares. Daniella Cota e sua equipe publicaram na revista científica “The Journal of Clinical Investigation” que a administração de endocanabinóides aumenta a ingestão alimentar de roedores. Isso acontece porque, anatomicamente, vemos os endocanabinoides e os receptores CB1 amplamente distribuídos em áreas do nosso cérebro envolvidas no controle alimentar.

Uma interessante característica do sistema endocanabinóide é o fato de agir “sob demanda”. Isto significa que é acionado apenas quando necessário e funciona para reparar ou modular a função de outros sistemas. Os receptores CB1 também estão presentes no trato gastrointestinal, nas mesmas regiões onde se expressam hormônios envolvidos no controle alimentar, sugerindo um possível papel do sistema endocanabinóide na modulação da alimentação através de uma sinalização intestino-cérebro.

Já foi demonstrado que o jejum aumenta os níveis de anandamida, um do endocanabinóides produzidos pelo corpo, no intestino delgado, o que se relacionaria ao estímulo da ingestão alimentar.

Essa característica pode ser usada na medicina de diferentes formas. Para o tratamento de determinadas enfermidades, o estímulo ao apetite é fundamental. Fome e relaxamento podem ser curativos ou simplesmente garantir qualidade de vida a muitos pacientes.

No entanto, cientistas já demonstraram que em algumas doenças, como na obesidade, há um desregulação desse via intestino-cérebro. Essa desregulação também é observada no sistema endocanabinóide e é vista desde a alteração no nível dos endocanabinóides até na funcionalidade de seus receptores, mas todas levam a um aumento da ingestão de alimentos, desbalanço energético e ganho de peso.

**doutor em Neurobiologia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos Posts

Tendência, “cheiro de maconha” (quem diria) conquista marcas de perfume

O apelo dos perfumes cheirando a maconha pode estar em sua capacidade de trazer lembranças “Cheirar a maconha” já foi algo ruim, mas agora influenciadores...

O que é Haxixe? Origem, tipos e como fazer…

Todo bom maconheiro já ouviu falar ou teve a honra de degustar um bom hash. Mas como sempre tem alguém na dúvida... vale abordar...

Maconha vira matéria na Faculdade de Veterinária da UFSC

A Endocanabiologia (estudo das substâncias orgânicas e inorgânicas da Cannabis) já entrou para o currículo da Faculdade de Medicina Veterinária da UFSC (Universidade Federal...

Canabidiol até em bala de goma: o que a febre do produto nos EUA nos ensina

Três letrinhas vêm ganhando as prateleiras e os cardápios de diversos lugares cool dos Estados Unidos há mais ou menos um ano: CBD, de...

Plataforma amplia conhecimento sobre o uso medicinal da maconha

Batizada de CanTera, a ferramenta é voltada sobretudo para médicos. Entre 400 mil profissionais no Brasil, apenas mil receitam o produto discussão em torno da...