Home Colunas Clipadão Parlamento português rejeita legalização da maconha para uso recreativo

Parlamento português rejeita legalização da maconha para uso recreativo

Duas propostas só receberam votos a favor dos partidos que as tinham apresentado e de grupo de deputados socialistas. Posse para consumo individual foi despenalizada no país em 2001 e o parlamento aprovou no ano passado uso para fins medicinais.

Fonte: G1

O parlamento de Portugal rejeitou nesta sexta-feira (18) duas propostas que buscavam legalizar a maconha para uso recreativo, que só receberam os votos a favor dos partidos de esquerda que as tinham apresentado e de um grupo de deputados socialistas.

O fracasso das iniciativas, apresentadas pelo Bloco de Esquerda, formado por 19 deputados, e pelo partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN, um deputado), já era esperado na Assembleia da República, onde foram debatidas na quinta-feira.

Os dois projetos propunham que a venda de cannabis fosse autorizada em estabelecimentos específicos (em farmácias, no caso da iniciativa do Bloco de Esquerda) a maiores de idade e para um máximo de 30 dias de consumo.

As propostas também contemplavam a possibilidade do autocultivo – de até cinco plantas no caso do Bloco de Esquerda e de seis no texto elaborado pelo PAN -, o que foi justamente o ponto mais criticado pelos deputados de direita durante o debate.

Apesar de os dois partidos terem se mostrado dispostos a discutir mudanças nos projetos se fossem levados à comissão pertinente, a derrota na votação pôs fim à sua tramitação parlamentar.

Meio milhão de portugueses (de uma população de 10,3 milhões) consomem maconha regularmente e um de cada dez a provou pelo menos uma vez, segundo o último relatório do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), publicado nesta mesma semana.

O uso recreativo de cannabis está permitido no Uruguai e no Canadá.

Em Portugal, sua posse para consumo individual foi despenalizada em 2001 e o parlamento aprovou no ano passado um projeto de lei que legalizava seu uso para fins medicinais.


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Canabidiol desenvolvido na USP chega às farmácias

Fitofármaco derivado da maconha pode ter diversas aplicações terapêuticas. Produto foi criado em parceria com uma indústria farmacêutica do Paraná O primeiro extrato de canabidiol...

Quarentena canábica

Todas as fragilidades da nossa sociedade vem à tona em momentos como o atual, em que vivemos em meio a uma pandemia de coronavírus....

Maconha em tempos de pandemia é o tema da live da Folha nesta quarta

Nesta quarta-feira (29), o Ao Vivo em Casa, série de lives da Folha, fala sobre a indústria da maconha em tempos de Covid-19 e...

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...