Home Blog O que é Haxixe? Origem, tipos e como fazer...

O que é Haxixe? Origem, tipos e como fazer…

Todo bom maconheiro já ouviu falar ou teve a honra de degustar um bom hash. Mas como sempre tem alguém na dúvida… vale abordar o assunto!

Hash, também conhecido como haxixe, é o produto de um método tradicional de consumir resina de cannabis prensada. A resina é retirada da planta através de diferentes processos, que no geral incluem uma peneira. Existem muitos métodos diferentes de fazer haxixe e as técnicas variam em cada região.

Atualmente, a tecnologia revolucionou o negócio de concentrados e haxixie. Extrações a base de solventes e feitas com máquinas são mais comuns nos EUA  do que nos produtores mais tradicionais, incluindo o charas, que originalmente eram bolas de resina de plantas indica do Himalaia.

Extrações a base de solventes, como o BHO e o óleo de CO2 pode não ser extremamente puras. Por isso, pode haver algum benefício na opção por formas menos processadas de resina concentrada.

Muitos terpenos e moléculas de sabor da cannabis são perdidos durante a extração a base de solventes (especialmente CO2), e tem sido considerado um produto de cannabis saudável graças às concentrações mais elevadas de CBD tipicamente presentes no haxixe tradicional.

Com formas mais tradicionais de fazer hash, cristais de kief peneirados são prensados, amassados ​​e, às vezes, aquecidos para criar uma bola ou um tijolo comprimido de haxixe. Globos pegajosos deste material podem ser colocados em um pipe ou em cima de um bud em um vaporizador. Alguns hashs tem uma consistência mais macia e quebradiça.

Este tipo de haxixe é geralmente prensado em vez de ser enrolado à mão. De fato, até a invasão americana ao Afeganistão em 2001, o haxixe era prensado usando uma técnica que exigia que ele fosse enterrado no subsolo, permitindo que ele fosse naturalmente prensado.

Esse tipo de hash é muito simples de se fazer em casa. Qualquer pessoa com kief pode simplesmente colocar seus cristais açucarados em uma prensa e transformar o pó solto em um disco simples, parecido com um hash. Embora a criação tradicional de haxixe seja um negócio meio artesanal, o kief comprimido talvez seja a maneira mais simples de fazer um hash básico.

De Onde vem o haxixe?

O haxixe é uma das maneiras mais antigas de processar a cannabis. O norte da África e o Oriente Médio são as duas regiões mais conhecidas pela tradição de fazer haxixe. O haxixe é conhecido como tendo origem no Oriente Médio e essa região, atualmente, particularmente no Líbano ainda é conhecida por produzir o melhor haxixe do mundo. Já os maiores exportadores de hash do mundo são o Marrocos e o Afeganistão.

A primeira menção ao haxixe na história foi encontrada em escritos do século XI, popular no livro “As mil e uma Noites”.

Também há evidência histórica de que o haxixe era consumido regularmente na Pérsia, atual irã, e dizem que foram os persas que difundiram o uso de haxixe pelo restante do Oriente Médio. Também há teorias de que o povo mongol, sob governo de Genghis Kan, também ajudou na difusão do uso pelo Oriente Médio e levaram até a parte central da Europa.

As lendas também falam de um grupo do século XI chamado Order of Assassins (Ordem dos assassinos, em tradução livre), uma cultura real de fumantes de haxixe popularizada atualmente pelo jogo Assassin’s Creed. Diz-se que palavra assassin (assassino, em inglês) vem da palavra Hashishin, o que significa hash eaters, ou “comedores de haxixe.” As cartas de viagem de Marco Polo e outros registros históricos mencionam os hashishins como um grupo de guerreiros liderados por um homem chamado Sheik hasan ibn al-Sabbah que foram treinados para defender a Terra Santa das cruzadas.

Enquanto alguns cruzados levaram a maconha com eles de volta para o ocidente, o hash parece ter chegado à Europa através das tropas de Napoleão, depois que conheceram a substância no Egito. O hash ficou tão popular entre os soldados franceses que foi banido no Egito em 1800. Ironicamente, após o fim da ocupação, em 1801, as tropas levaram a cannabis de volta à França com eles e, em 1843, o haxixe estava disponível em todo o país.

Hoje em dia, várias formas de haxixe e diferentes tecnologias de processamento da resina fazem do concentrado algo muito potente e popular pelo mundo todo.

 

Tipos comuns de haxixe

Além dos concentrados, aqui estão alguns tipos específicos de haxixe mais comumente encontrados em dispensários.

Bubble Hash

O bubble hash é feito através da agitação da resina da cannabis usando água gelada e bolsas para separar a resina do material vegetal. O material extraído sai na bag, em diferentes estágios, já que as telas apresentam diversas gramaturas. Depois de retirada a resina, o material deve ser devidamente seco antes de ser degustado.

Charas

Charas são bolas de haxixe tradicionais que são peneiradas e enroladas com a mão no Nepal e norte da Índia. Na sua região nativa, o charas é feito com plantas indica, o que dá a essas bolas deliciosas um efeito calmo e sedativo. O charas é uma bola escura, pegajosa e flexível, com uma textura semelhante à massinha de modelar.

Dry Ice Hash

Este é similar ao bubble hash mas utiliza o gelo seco. O resultado é um delicioso pó dourado que você consegue colocar num baseado ou junto com uma flor em um vaporizador.

Esse método de extração é muito rápido, levando uns 15 minutos no total e o gelo seco não deixa umidade. Isso significa que o haxixe estará pronto para o consumo logo após a extração.

Finger Hash

O finger hash ou “haxixe de dedo” é familiar a qualquer um que já tenha feito a manicura de alguns buds de maconha. Enquanto a cannabis é manuseada, os tricomas pegajosos formam uma camada espessa de resina nos dedos. As pessoas geralmente conseguem esse haxixe esfregando as mãos para que essa resina caia num prato. Uma característica que difere esse tipo de outros é o frescor que vem dos terpenos aromáticos. Isto acontece devido ao frescor do material.

Haxixe de Liquidificador

Considerado um passo á frente do hash de dedo no quesito sofisticação, o hash de liquidificador precisa de um… surpresa! Liquidificador! A cannabis é colocada no liquidificador com gelo e água. Bater essa mistura separa os tricomas dos materiais da planta. Os tricomas afundam quando o liquidificador é desligado. Uma tela fina segura a matéria da planta mas permite que a água e os tricomas passem. Depois de descansar em um pote por, mais ou menos, meia hora, os dois-terços de cima são jogados fora (com cuidado para não dispensar os tricomas). Refrigere essa mistura por 10 minutos, depois passe num filtro de café. O kief que resulta, depois de seco, pode ser prensado para virar haxixe usando calor e pressão.

 Silk Screen Hash

Com esse método, a cannabis dixavada é sacudida em uma tela. Os tricomas se separam e e caem numa superfície firme, preferencialmente uma superfície escura, onde conseguem ser vistos e coletados. Esse kief é, depois, prensado em forma de haxixe. Algumas pessoas usam várias telas progressivamente mais finas para criar um haxixe de mais alta qualidade com quase nenhuma matéria vegetal.

Flat Screen Hash

Usando essa técnica, é utilizada uma tela reta de metal com buraquinhos entre 70 e 125 microns. O trim seco é movido de um lado pro outro da tela. Isso destaca os tricomas, que caem através da tela e são coletados como kief. Mais pressão na cannabis cria uma forma de haxixe mais fraca, com mais matéria vegetal.

Drum Hash

Este método é basicamente uma maneira automática de fazer o screen hash. O trim é colocado em um tambor e o tambor vibra. Isto faz os tricomas caírem pela tela fina. Isso pode continuar por horas. Rende uma fina camada de kief, que pode depois ser prensado como haxixe.

Tradução livre de: https://herb.co/learn/what-is-hash/

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Osmar Terra defende realização de plebiscito sobre legalização da maconha

Ministro da Cidadania diz que sociedade "tem de ser ouvida" O ministro da Cidadania, Osmar Terra, defendeu neste sábado (7), em Porto Alegre, a realização de um...

Anvisa rejeita cultivo de maconha para fins medicinais no Brasil

Por 3 votos a 1, proposta foi arquivada pela agência reguladora. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitou nesta terça-feira (3) o cultivo de...

Verdinha de Ludmilla faz sucesso na Web!

Mais de 3 milhões de plays em quatro dias de publicação: Verdinha de Mc Ludmilla faz sucesso no YouTube A Mc do funk Ludmilla lançou...

Mercedes Ponce fala sobre ExpoCannabis 2019 ao Hempa

Está chegando mais uma edição da ExpoCannabis 2019! Confira a entrevista com a organizadora do evento Este é o terceiro ano seguido do Hempadão na...

Maconha vira queridinha no mundo dos negócios

Com a legalização ganhando terreno, o cenário mudou: negócios canábicos já servem de lastro para fundos de investimentos negociados em bolsa por João Henriques /...