Home Lugares EUA Nova York proíbe alimentos e bebidas à base de CBD

Nova York proíbe alimentos e bebidas à base de CBD

A cidade de Nova York resolveu proibir os alimentos e bebidas com cannabidiol (CBD), um dos principais componentes da maconha e considerado ilegal pelo governo dos Estados Unidos desde dezembro de 2018

Após vários meses de confusão por parte dos estabelecimentos quanto à legislação sobre o CBD, o Departamento de Saúde local informou na segunda-feira em seu site sobre a entrada em vigor do veto e anunciou que os “os produtos devem ser devolvidos ao fornecedor ou descartados”.

Fonte: UOL

A partir de 1º de outubro, as autoridades de Nova York começarão a notificar os estabelecimentos que ainda ofereçam alimentos e bebidas com CBD, o que pode acarretar em multas ou inclusive em um rebaixamento na nota de salubridade exposta na porta dos restaurantes.

De acordo com o jornal local “New York Daily News”, os inspetores da cidade buscarão rotineiramente produtos alimentícios ou bebidas com cannabidiol para confiscá-los, mas a partir de outubro poderão aplicar multas de entre US$ 250 e US$ 600.

Ao contrário do THC (tetraidrocanabinol), que é o outro componente da maconha, o CBD não é um alucinógeno, mas lhe são atribuídas propriedades relaxantes e hoje em dia é possível encontra-lo em diversos produtos, desde óleos corporais até balas ou cartuchos de cigarro eletrônico.

Outras cidades como Los Angeles, San Diego, Portland e Seattle impuseram proibições similares para o CBD, mas nelas é legal o uso do maconha para fins recreativos, diferentemente de Nova York, onde as autoridades do estado fracassaram ao tentar regularizá-lo recentemente.

A Aliança Hoteleira de Nova York evidenciou em fevereiro a confusão que existia entre os estabelecimentos da cidade devido à consideração ilegal do CBD como aditivo em alimentos e bebidas por parte do governo.

Andrew Rigie, o diretor-executivo da organização, disse ao jornal local “AmNY”, que finalmente conseguiram que o Departamento de Saúde nova-iorquino “desse um período de carência” aos bares e restaurantes antes de empreender ações, razão pela qual espera que agora todos os estabelecimentos “estejam prontos para cumprir” com a norma.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos Posts

Menina de 13 anos cria empresa que vende óleo de maconha para crianças doentes

A inspiração para o negócio veio de uma experiência pessoal: Rylie Maedle tem câncer nos ossos e começou a usar a cannabis para fins...

O que o mundo corporativo pensa sobre a maconha medicinal no Brasil?

O que um evento na Vila Olímpia, com jazz e executivos de trajes sociais, significa para o futuro desse debate O evento aconteceu semana passada...

Bruna Marquezine surge nua e fumando maconha em sua estreia no cinema

A atriz da Globo sentiu-se à vontade com sua estreia como protagonista no cinema, que teve direito a cenas polêmicas e objetificação de seu...

Anvisa conclui consulta pública sobre plantio de maconha medicinal com 554 contribuições

A agência esclarece que não precisa do aval do governo ou Congresso para regulamentar o cultivo de 'Cannabis sativa' para fins medicinais e científicos....

Campanha pró-cannabis medicinal gera atrito entre empresas e ativistas

Lançada na semana passada por importadores, iniciativa em defesa do CBD prejudica o debate regulatório, dizem defensores da legalização Às vésperas do encerramento das duas...