Home Colunas Clipadão Ministro da Justiça quer reforçar combate às plantações de maconha no Paraguai

Ministro da Justiça quer reforçar combate às plantações de maconha no Paraguai

A visita ao Paraguai feita nesta sexta-feira (22) pelo ministro da Justiça do Brasil, Alexandre de Morais, foi destacada pelas autoridades dos dois países como um claro demonstrativo de fortalecimento da cooperação internacional contra o narcotráfico. Em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã, município sul-mato-grossense a 313 quilômetros de Campo Grande, uma entrevista coletiva apresentou resultados dessa parceria que deve crescer ainda mais.

image

Fonte: MidiaMax

O evento desta manhã marcou o encerramento da segunda fase da Operação Nova Aliança, focada, sobretudo, na destruição de plantações de maconha no Paraguai.  Chefe da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), o coronel Hugo Davi Vera Quintanada afirmou que esse tipo de operação conjunta entre os dois países “tem atacado a estrutura financeira do narcotráfico”. Ele informou que somente de 2013 até agora, essas ações evitaram um lucro superior a US$ 250 milhões aos chefes do esquema criminoso.

“Essas operações de erradicação da maconha têm como fim quebrar o ciclo de produção e evitar o lucro. A nossa parceria e grande amizade com a Polícia Federal do Brasil é um exemplo regional de responsabilidade compartilhada”, ponderou.

Para o ministro da Justiça do Brasil, a parceria deve crescer ainda mais. “A maconha aqui plantada, 80% de sua destinação é para o Brasil. Então as autoridades brasileiras têm o dever de apoiar as autoridades paraguaias como estamos apoiando e vamos ampliar esse apoio. As operações integradas serão ampliadas, recursos destinados à Polícia Federal pelo Ministério da Justiça serão ampliados, para que possamos dar apoio operacional com cessão de viaturas, helicópteros compartilhados, para aumentar o número de operações”, anunciou Morais.

Segundo o ministro, “o combate da criminalidade transnacional, contra tráfico de drogas, armas e contrabando”, é uma das prioridades dele desde que assumiu a pasta e uma determinação do presidente Michel Temer (PMDB). “Desde o início do ano tivemos a oportunidade de, no Paraguai, erradicar 708 hectares, 209 toneladas de maconha pronta para consumo. É muito mais inteligente e eficiente uma parceria para erradicar no momento da plantação do que aguardar para combater depois a droga sendo comercializada”, ponderou.

Em documento divulgado pela Senad, contudo, os dados relativos às operações conjuntas divergem dos narrados pelo ministro brasileiro. A Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai informa ter destruído 162 hectares de maconha, incinerado 66.910 quilos da droga pronta para venda, além de ter destruído 103 acampamentos montados por plantadores.

Diretor-geral da PF brasileira, Leandro Daiello Coimbra ressaltou que cooperação entre Brasil e Paraguai é uma parceria antiga. “A parceria que temos com a Senad e com o governo paraguaio já virou uma amizade, amizade de organizações que pensam no bem da sociedade brasileira e da sociedade paraguaia e esse bem será traduzido no combate ao crime transnacional”, pontuou. “Aprendemos muito com os senhores no Paraguai, queremos aprender mais e queremos também trazer nossas experiências. Estou cada vez mais impressionado com a qualidade da Senad e o conhecimento que os senhores têm para erradicar [a maconha]”.

Durante a manhã de hoje, comitivas de autoridades dos dois países foram até uma região do Paraguai onde foi realizada a destruição de uma plantação de maconha. O ministro da Justiça desembarcou em Ponta Porã pouco antes das 10h, trazido a Mato Grosso do Sul num avião da Força Aérea Brasileira. Na quinta-feira (21) Alexandre de Morais foi notícia em todo o mundo depois de anunciar a prisão de 10 pessoas suspeitas de planejar um ataque terrorista durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

5 COMMENTS

    • Mortandela pau no cu do karaoho…. Playconha fuma só do verdinho …. O golpe dado não s tira seu viado….. Mortadelas vcs nunca serão respeitados na sociedade seus parasitas…

  1. Ainda bem que eles estão no Paraguai.
    Porque a maconha da Colômbia,México e Bolívia são bem melhores.
    E isso porque ainda não tão trazendo camarão do Chile,Argentina e claro…Uruguai.Kkkkkkk,esse é o país da piada pronta não é mesmo?!

  2. Grande marmelada,se o combate resolvesse em alguma coisa o correto seria faltar drogas nos pontos de vendas.
    Mas isso nunca vai acontecer.
    Nunca falta droga pra traficante vender.
    Esse sistema é uma verdadeira piada.
    Vem falar de bem de sociedade…invadindo nossa privacidade e violando nossos direitos.
    Grande papel da Justiça esse,se não fosse no Brasil eu acharia
    engraçado,mas olha o cenário político desse país cara…
    Bom,enquanto eles trabalham no combate o Brasil é o maior exportador de drogas da América Latina.
    A única impressão que eu tenho é que existe uma quantidade absurda de dinheiro sendo arremessada aos ares para quem estiver mais perto tentar pegar a maior quantidade.
    Porque droga,nunca vai faltar,nem pra vender,nem pra comprar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Must Read

Maconha nos cachimbos de William Shakespeare?

Registros supõem que há resquícios de maconha nos cachimbos usados por William Shakespeare há cerca de 400 anos atrás A notícia não é exatamente nova,...

Minas Gerais entra na era da Cannabis medicinal

Regulamentação proposta pela Anvisa abre as portas do país e do estado para investimentos em pesquisa, educação e plantio da erva para produção de...

CBD deve chegar aos shoppings dos EUA até o fim do ano

Mega empresa canábica investe em varejo de derivados de maconha em shoppings dos EUA A gigantesca especializada em maconha Green Growth Brands, com sede em...

HQ entrelaça maconha e racismo ao longo da história dos EUA

‘Cannabis’, do quadrinista Box Brown, ganha edição em português O quadrinista americano Box Brown tinha 16 anos em 1996, quando foi preso por posse de...

Igreja britânica investe fundo de US$ 10 bi em maconha

Investimento pioneiro mistura religião e maconha na Inglaterra Quando Shavo Odadjian, baixista da banda System of a Down, me disse que estava lançando uma variedade...