Home Blog Antiguinabis Maconha e Hinduísmo – Antiguidades Canábicas!

Maconha e Hinduísmo – Antiguidades Canábicas!

por Rafael Moraes

Aaaah, a Índia. Berço do Hinduísmo, do famoso festival primaveril Holi, da Odissi (dança tradicional), do delicioso curry, e da…MACONHA? Sim! Ela não só tem prestígio na história Indiana como também é objeto de veneração na religião Hindu. Só pra constar: os pioneiros no uso enteógeno e ritualístico da verdinha são os Hindus, tanto que ela é considerada uma das 5 plantas sagradas de acordo com o Atharva Veda (tipo de livro sagrado). O mesmo livro também narra que a planta é fruto do "Néctar Sagrado" (amrita) que teria caído na terra e originado-a. Fita quente: é hábito SAGRADO oferecer uma tigela de maconha para os outros durante o festival Durga Puja. Uma comparação análoga seria dizer que a Cannabis é sagrada para o Hinduísmo assim como o vinho é sagrado para o Cristianismo.

A bebida Indiana mais ilustre é feita com…MACONHA (duur). Isso mesmo, o Bhang é um drink exótico preparado com as folhas secas da Cannabis, e sua influencia na sociedade indiana foi tão relevante que ele era servido em casamentos e outras festas religiosas. Anfitriões que não serviam Bhang aos convidados durante uma visita amigável ou reunião familiar eram taxados de descorteses e misantrópicos. No século XII a bebida era consumida antes de conflitos armados para despertar a euforia e coragem nos soldados (assim como os vikings consumiam cogumelos alucinógenos e os europeus se entupiam de álcool antes das guerras), característica que rendeu ao drink o epíteto de "Vijaya" ou "bebida da vitória". Sua origem remonta à lenda de que em certo dia escaldante, Shiva teria procurado por uma sombra para se refrescar e escolhera um pé de Cannabis para seu cochilo sagrado. Com o sucesso do cochilo, Shiva se encantara com a planta e teria presenteado-a aos humanos (valeu Shiva, é nois!).

Mas o Bhang é um drink consideravelmente fraco, com uma finalidade religiosa e meditativa. Se os indianos procuram por uma brisa fenomenal, eles caem de boca no Charas. E o que é o charas vocês me perguntam? Bem, simplesmente é um haxixe potente amplamente usado para fins medicinais e religiosos, que é rentável às populações do nordeste indiano e tem sua importância atribuída ao deus Shiva. Até a década de 80 esse néctar sagrado era legalizado e vendido em lojas do governo, mas graças a prepotência dos Estados Unidos (novamente interferindo nas culturas alheias), atualmente é criminalizado e punível de 10 anos de encarceramento. Claro, como uma óbvia consequência da criminalização, este fator não coíbe a venda de charas, já que o mesmo possui atributos sacros e é indispensável para os hinduístas.

E claro, como de costume em todas as culturas que tiveram contato com a Cannabis, a medicina indiana (comumente conhecida como Ayurveda) também foi fortemente influenciada pelos aspectos beneficentes da planta, principalmente a medicina holística! Reumatismo, malária, diarreia, convulsões, histeria, contrações gastrointestinais, tosse, dor pulmonar, intoxicação…Todos esses males eram (e ainda são) tratados ou amenizados com as propriedades da verdinha. Era comum também o uso de maconha como afrodisíaco, principalmente na noite de núpcias de um casal.

Resumindo: se tem algo que não falta na índia, é maconha! Em outro texto abordarei minuciosamente o movimento Rastafári, mas sem dúvida, a religião da maconha é o Hinduísmo! Então vem à tona a pergunta: se a Cannabis e suas variantes são intrínsecas à Índia e ao Hinduísmo, porque atualmente seu consumo no país é proibido (descriminalizado em algumas regiões do norte e nordeste apenas) ? Com a chegada dos neocolonizadores britânicos ao país, o consumo de charas e ganja (gíria local) foi desencorajado e estigmatizado, e com o tempo, a nova sociedade que ia se desenvolvendo em torno desses valores foi propagando a ideia errônea da maleficidade da Cannabis. Grupos religiosos, tradicionalistas e pró-legalização praticam sua luta diária de resistência a essa moral imperialista, e se Shiva, Vishnu, ou Brâma quiserem (e eu sei que eles querem hehehe), um dia o governo indiano reconhecerá a importância cultural e histórica da maconha, tornando-a acessível para a população.

Fontes:
http://www.holifestival.org/tradition-of-bhang.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Charas
http://www.druglibrary.org/schaffer/hemp/history/first12000/1.htm
https://www.cnsproductions.com/pdf/Touw.pdf
https://books.google.com.br/books?hl=en&lr=&id=GHqV3elHYvMC&oi=fnd&pg=PP10&dq=Forces+of+Habit&ots=LhzDAe2AiO&sig=WPSqieJLktVihJoofw6D7iE_7m4#v=onepage&q=atharva&f=false

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...

Alerj aprova pesquisa e cultivo da maconha medicinal no Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou a realização de pesquisa e cultivo científico da maconha por associações de pacientes. A votação,...

10 universidades pelo mundo que oferecem cursos focados em maconha

A maconha medicinal vem ganhando espaço em diversos lugares do mundo. De olho nisso, algumas universidades estão buscando capacitar seus estudantes para trabalhar no...

Se eu quiser fumar, eu fumo

Dizem por aí que coisa alguma acontece por acaso. Aliás, que o próprio acaso é algo irreal — mesmo que nós ainda não sejamos...