Home Cultura Literatura Lançamento da biografia “Eu sou assim Eu sou Speed” no Rio e...

Lançamento da biografia “Eu sou assim Eu sou Speed” no Rio e Niterói

Ex-integrante do Planet Hemp e parceiro de Black Alien no rap, Speed é homenageado em livro. O lançamento oficial acontecerá nos dias 8 (Tijuca), 10 (Niterói) e 15 de agosto (São Paulo).

“Rapper, produtor e videomaker”. Era assim que Speed se autodenominava. Durante toda a sua carreira, Claudio Marcio de Souza Santos foi autodidata e um verdadeiro artista independente, produzindo as suas próprias músicas, álbuns e videoclipes. Quase 10 anos após a sua morte, o músico ganha uma biografia: “Eu sou assim Eu sou Speed” (Ilustre Editora, 160 páginas, FR$ 40), de Pedro de Luna e Rafael Porto.

Nascido em 1972 na cidade de Niterói (RJ), onde tocou com as suas primeiras bandas, Claudio começou a fazer da música sua profissão, a partir da banda Speed Freaks – ao lado dos parceiros DJ Rodrigues e Black Alien, considerados precursores da “nova escola” do rap nacional. Com o fim do grupo, tomou para si o pseudônimo “Speed” ou “Speedfreaks” tudo junto.

Nos anos 1990, Speed fez parte da crew do Planet Hemp e estava na gig das melhores bandas da sua geração. Participou de shows, jam sessions e gravações com os amigos do Rumbora, Chico Science & Nação Zumbi, Charlie Brown Jr., Raimundos e tantos outros. Também gravou e/ou cantou com Marcelo D2, BNegão, Max. B.O., Rodrigo Brandão, Rappin’ Hood, Lurdez da Luz, Tigrão, Paulo Napoli, Marechal, Otto, Jacksom, De Leve, Gilber T, Daniel Bozzio e Alexandre Basa, só para citar alguns nomes nesta extensa lista de amigos que a música lhe apresentou. No primeiro disco do Planet Hemp, “Usuário”, há inclusive uma música em sua homenagem, a instrumental “Speed Funk”.

Em 1999, Speed mudou-se para São Paulo, onde morou por muitos anos e consolidou a sua carreira de MC e produtor. Neste período, lançou o CD “Expresso”, considerado pela crítica especializada como “o melhor álbum de rap dos últimos os tempos”. O MC também fez grande sucesso no exterior com a versão do FatBoy Slim para a música “Quem que Caguetou?”, parceria sua com Tejo e Black Alien. Speed morou quase 10 anos na capital paulistana, retornando para Niterói apenas em 2008.

Como marca registrada, seus raps abordam temas diversos da natureza humana, sem perder o teor crítico e o senso de humor. Speed dizia que não tinha “patrão nem capataz”, vivia o chamado “estilo livre”. Em 2010 o músico foi assassinado a tiros numa comunidade em Niterói, e deixou como legado seis álbuns, dois EPs, três demos e dezenas de videoclipes, além de parcerias, coletâneas e projetos inacabados.

Após uma extensa pesquisa, o livro ficou pronto e agradou bastante aos autores pela riqueza de detalhes e a imensa quantidade de imagens, quase todas inéditas. A publicação foi viabilizada através de uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Catarse e, além do livro, incluiu também uma camiseta. Quase 10 anos após a sua morte, a biografia “Eu sou assim Eu sou Speed” imortaliza a importante produção desse grande artista que, entre tantos talentos, tocava “baixo pra caralho!”.

SOBRE OS AUTORES – Este é o primeiro livro de Rafael Porto, que guarda todo o acervo do Speed, inclusive o seu último HD de trabalho, e preserva o legado do artista no site speedvive.com e nas redes sociais. Mais experiente, Pedro de Luna escreveu a biografia “Planet Hemp: mantenha o respeito” e outros oito livros. Os dois autores se conheceram quando Luna preparava o livro “Brodagens – Gilber T e as histórias do rap e do rock carioca”, lançado em 2016 pela Ilustre Editora.

LANÇAMENTOS – A biografia “Eu sou assim Eu sou Speed” será lançada dia 8 na Smoke Lounge (Tijuca), dia 10 em Niterói e dia 15 em São Paulo. Mais adiante estão previstos eventos em Belo Horizonte e São Gonçalo.

> No evento carioca, além da presença dos autores e venda do livro, haverá show com as bandas Gas Dance e Os Vulcânicos. A primeira ataca de batidas sessentistas e guitarras envoltas em fuzz e delay com cinco integrantes nas apresentações ao vivo. Na ativa desde 2010, o quarteto Os Vulcânicos já lançou dois EPs e misturam tambores selvagens com guitarras iradas. A entrada para o evento custa R$ 15 e o livro estará à venda por R$ 40, em dinheiro ou no cartão.

> No evento de Niterói, além da presença dos autores e venda do livro, haverá apresentação de DJs e MCs. A abertura ficará a cargo de Victor Bhing seguida pelo show da Hostil Gang, liderada por Tigrão “Big Tiger”. Os dois rappers eram muito amigos de Speed e produziram juntos quando ele voltou de São Paulo em 2008. A entrada para o evento custa R$ 10 ou R$ 40 já com o livro incluso, em dinheiro ou no cartão.

Serviço:

Lançamento da biografia “Eu sou assim Eu sou Speed” (Ilustre Editora, 160 páginas, R$ 40) de Pedro de Luna e Rafael Porto no RIO DE JANEIRO.

Show com as bandas Gas Dance e Os Vulcânicos.

Data: Quinta, 8 de agosto, às 20h.

Local: Smoke Lounge – Rua Ibituruna 8, Maracanã. Telefone: (21) 3197-1975.

Entrada: R$ 15.

Censura: 18 anos.

Lançamento da biografia “Eu sou assim Eu sou Speed” (Ilustre Editora, 160 páginas, R$ 40) de Pedro de Luna e Rafael Porto em NITERÓI.

Show de abertura com Victor Bhing e, na sequência, apresentação da Hostil Gang (Tigrão Big Tiger, Ami$h, Lil Ric, Cauê MC, Shess, Pedro Viola, Gustavo Hache).

Nos intervalos discotecagem com os DJs Vini Porto, Biduzen e Luan Leal.

Data: Sábado 10 de agosto, às 20h.

Local: Espaço Moinho – Travessa Ari Pinto Lima, 49 – Fonseca Niterói (Alameda São Boaventura – ponto de ônibus Estação N. S. Mercês). Telefone: (21) 99537-7197. www.facebook.com/pg/espacomoinhorj

Ingressos: R$ 10 (sem livro) R$ 40 (com livro).

Censura: 18 anos.

https://www.facebook.com/events/2371284166447662/

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

De saúde ao mundo dos negócios, a maconha é uma fábrica de notícias

Falamos da cannabis abordando diferentes aspectos: saúde, economia, segurança pública, cultura, história, esportes… por João Henriques / Ilustração: Felipe Navarro Antes de começar a leitura deste...

Nelson Motta revela que fuma maconha todos os dias há 55 anos

Jornalista, que está com 74 anos, falou com naturalidade sobre seu hábito diário de consumir cannabis e ainda atestou: "Tenho uma memória incrível" Sem tabus...

Governo age para brecar liberação da maconha medicinal

Projeto de Lei que regulamenta venda de remédios e uso está parado na Câmara, enquanto Anvisa adiou votação de regulamentação do plantio revista para esta...

Pesquisadora defende regulamentação da Cannabis Medicinal: ‘Temos de saber o que o paciente está tomando’

Akemi alerta para o risco do uso do medicamento sem orientação Na próxima terça-feira, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) julgar se regulamenta...

Pedidos para maconha medicinal triplicam nos tribunais mineiros

O uso da maconha medicinal no tratamento de epilepsias, esclerose múltipla, dor neuropática e paralisia cerebral tem ganhado cada vez  mais força em Minas....