Home Colunas Clipadão Investir em maconha é mais seguro que bitcoin, diz gestora de fortunas

Investir em maconha é mais seguro que bitcoin, diz gestora de fortunas

A legalização do uso recreativo e medicinal da maconha no Canadá e partes dos Estados Unidos foi uma quebra de paradigmas sem precedentes. Mais do que uma mudança nos costumes, a flexibilização do consumo da cannabis também teve seus reflexos no mercado financeiro. Enquanto alguns analistas pregam precaução e temem uma nova bolha inflacionária, outros apontam a erva como um investimento sólido e rentável.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

A gestora de grandes fortunas Carol Pepper é uma das entusiastas do potencial da erva. Em entrevista à CNBC, a diretora da Pepper International disse que as ações das produtoras e distribuidoras de maconha estão “próximas a uma grande área de crescimento.”

A valorização das principais produtoras e distribuidoras de cannabis no último ano reforça o otimismo de Pepper. Os papéis da Canopy Growth subiram mais de 65% no acumulado de 2018, enquanto a Cronos Group registrou alta de 115%. As duas empresas têm sede no Canadá e são líderes do setor.

Pepper disse que a mudança na legislação canadense “superou as expectativas” e que o sucesso chegou ao ponto em que as empresas começaram a exportar para a Europa. “As aplicações médicas para cannabis são surpreendentes. As pesquisas estão sendo feitas e eu realmente acho que esta é a próxima área de crescimento”, disse ela, observando evidências da eficácia da droga no tratamento de artrite e epilepsia.

A gestora de patrimônios também refutou a ideia de o mercado da maconha seguir o mesmo caminho que o bitcoin, que já teve valor de US$ 19 mil e atualmente é comercializado a US$ 3,9 mil. Para ela, a principal diferença é que a maconha é algo palpável e com benefícios comprovados, ao contrário da criptomoeda. “Eu acho que é uma planta fenomenal que faz muito bem para nosso planeta. E estou feliz por finalmente estar sendo legalizada.”

Mas há quem pense diferente. Em conversa com a CNBC durante do Fórum Mundial de Davos, em janeiro, o CEO da Canopy Growth, Bruce Linton, disse que os investidores precisam de cautela com o novo mercado.

“Muitas pessoas estão entrando no espaço da cannabis, o que é ótimo, mas elas realmente têm que ter um propósito, devem ser capazes de gerar um negócio. Todo mundo quer estar no espaço da maconha, e acho que os investidores precisam ser seletivos, por que haverá um novo nome a cada semana.”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Canabidiol desenvolvido na USP chega às farmácias

Fitofármaco derivado da maconha pode ter diversas aplicações terapêuticas. Produto foi criado em parceria com uma indústria farmacêutica do Paraná O primeiro extrato de canabidiol...

Quarentena canábica

Todas as fragilidades da nossa sociedade vem à tona em momentos como o atual, em que vivemos em meio a uma pandemia de coronavírus....

Maconha em tempos de pandemia é o tema da live da Folha nesta quarta

Nesta quarta-feira (29), o Ao Vivo em Casa, série de lives da Folha, fala sobre a indústria da maconha em tempos de Covid-19 e...

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...