Home Colunas Chapa2 Guerra às drogas: violência gera violência

Guerra às drogas: violência gera violência

por S. M. Hermes

A forma como a nossa sociedade opera é oprimindo cada vez mais as minorias, afastando os indivíduos e criando grupos distintos que interagem entre si de maneira mais problemática conforme afundamos nesse oceano de irracionalidade e reacionarismo. Ainda assim, vozes se erguem com intuito de denunciar e combater as injustiças enfrentadas diariamente pelas populações abandonadas à marginalidade pelo Estado, como a da vereadora Marielle Franco, assassinada no último dia 14 junto com o motorista Anderson Gomes.

Desde sempre as minorias e as periferias sofrem com inúmeros problemas indiferentes aos políticos e as elites da sociedade, de acordo com o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública através do estudo “Altas da Violência” publicado em 2017 a cada 100 pessoas assassinadas no Brasil 71 são negras. Sendo que muitas vezes a população das áreas mais carentes — como atualmente no Rio de Janeiro — vive em zonas de conflito.

Lamentavelmente a guerra civil não declarada que ocorre no Rio de Janeiro implica em um número elevado de vítimas. De acordo com dados do ISP (Instituto de Segurança Pública), 2017 foi o ano com maior taxa de mortes violentas desde 2009: 6731 casos, sendo um dos principais agravantes da crise na segurança pública do Estado fluminense o combate ao tráfico de drogas. De acordo com Nem, ex-chefe do tráfico na Rocinha, em entrevista dada ao El País, a única forma de combater o tráfico é legalizando as drogas.

O preceito é simples: violência gera violência; gentileza gera gentiliza. Porém o sistema e seus operadores não tem interesse no bem-estar coletivo, pelo contrário. Enfim, meus sinceros pêsames a todas as vítimas desse conflito.

“Estamos num momento singular da história. Um tempo em que o mundo parece ter virado de cabeça para baixo, e nada é exatamente como imaginávamos. Mas a incerteza é sempre a precursora da mudança radical; a transformação é sempre precedida pela revolta e pelo medo. Peço que tenham fé na capacidade humana para a criatividade e o amor, porque essas duas forças, quando combinadas, têm o poder de iluminar as trevas.” – Trecho do livro Origem (2017) do autor norte-americano Dan Brown.

Fontes:

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/13/politica/1520947959_760179.html

http://www.nocaute.blog.br/brasil/numero-de-assassinatos-no-brasil-volta-crescer-em-2017.html

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/01/18/rio-fecha-2017-com-maior-taxa-de-mortes-violentas-dos-ultimos-oito-anos.htm

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Folião fantasiado de ‘PM da maconha’ é detido em Salvador

Entre tantas fantasias e tantos foliões, um não passou despercebido por policiais militares que faziam a segurança do Furdunço, no pré-Carnaval de Salvador, neste...

Carl Sagan escreveu ensaios chapado de maconha e dizia que a erva lhe dava ‘inteligência e sabedoria’

Cientista, físico, biólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor, divulgador científico e ativista. O norte americano Carl Sagan foi sem dúvida uma das mentes mais brilhantes que o...

Idosos tratam Alzheimer com maconha; eficácia divide opinião de médicos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou uma proposta para simplificar a importação de produtos à base de canabidiol, composto derivado da maconha,...

Maconha é tema da série High Maintenance, da HBO

A série americana High Maintenance, da HBO, parte de um principio polêmico - mas muito interessante. É um show que simplesmente assume que todo mundo fuma...

A culpa é de quem?

A "cultura" é uma rede cooperativa de instintos artificiais que cria mitos e ficções, habituando as pessoas a pensarem, agirem e seguirem determinadas regras...