Home Notícias Ciência Dia Mundial do Alzheimer: tratamento com Cannabis Medicinal tem se mostrado eficaz...

Dia Mundial do Alzheimer: tratamento com Cannabis Medicinal tem se mostrado eficaz para cuidados paliativos da doença

Apesar de ser uma doença sem cura, é possível diminuir o sofrimento do paciente e de seus familiares

INDEOV, empresa brasileira especializada no acesso à cannabis medicinal, alerta para a importância da conscientização sobre o Alzheimer. O Dia Mundial da Doença de Alzheimer, celebrado em 21 de setembro, é uma campanha internacional criada para aumentar a conscientização sobre o Alzheimer e o que pode ser feito para ajudar aqueles que vivem com essa doença.

Fonte: Terra

A Doença de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que leva a demência progressiva, reduz as funções cognitivas e interfere no comportamento e personalidade do paciente, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social. O primeiro sintoma é a perda de memória recente. Com a evolução do quadro, o Alzheimer afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem, deixando o paciente cada vez mais dependente da ajuda de terceiros, até mesmo para atividades básicas do dia a dia.

Segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz), estima-se que existam cerca de 35,6 milhões de pessoas com a Doença de Alzheimer no mundo. No Brasil, há cerca de 1,2 milhão de casos, a maior parte ainda sem diagnóstico.

Apesar de ser uma doença sem cura, é possível diminuir o sofrimento do paciente e de seus familiares, melhorando a qualidade de vida dos que sofrem com o Alzheimer. O tratamento paliativo com cannabis medicinal, por exemplo, tem se mostrado seguro e eficaz para diminuição dos níveis de estresse e agressividade dos pacientes. De acordo com pesquisa realizada pela Universidade do Sul da Flórida, pequenas doses de THC diminuem a concentração de proteína beta-amiloide no cérebro. O acúmulo dessa proteína é uma das causas da doença.

“Acompanhamos o tratamento de muitos idosos que sofrem com a Doença de Alzheimer e podemos ver a evolução do tratamento com a terapia canabinoide. A cannabis medicinal ajuda na regulação do sono, diminuição do estresse e da agressividade. Além de controlar a evolução da doença sem trazer efeitos colaterais, proporcionando mais qualidade de vida aos pacientes e familiares”, comenta Camila Teixeira, CEO da INDEOV, que representa as maiores empresas de cannabis no mundo – Charlotte’s Web e Elixinol.

Sobre a INDEOV
A INDEOV, principal consultoria de cannabis medicinal do país, é representante das maiores empresas de cannabis no mundo – Charlotte’s Web e Elixinol – e atua em uma solução 360º para impactar positivamente a qualidade de vida de pacientes, familiares e cuidadores, oferecendo apoio ao médico sobre a terapia canabinoide e apoio em estratégia terapêutica.
Além disso, também presta consultoria de internacionalização e entrada no mercado brasileiro para empresas com produtos, abrangendo áreas técnicas, médica, negócios, regulatório, compliance e representação comercial.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Osmar Terra defende realização de plebiscito sobre legalização da maconha

Ministro da Cidadania diz que sociedade "tem de ser ouvida" O ministro da Cidadania, Osmar Terra, defendeu neste sábado (7), em Porto Alegre, a realização de um...

Anvisa rejeita cultivo de maconha para fins medicinais no Brasil

Por 3 votos a 1, proposta foi arquivada pela agência reguladora. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitou nesta terça-feira (3) o cultivo de...

Verdinha de Ludmilla faz sucesso na Web!

Mais de 3 milhões de plays em quatro dias de publicação: Verdinha de Mc Ludmilla faz sucesso no YouTube A Mc do funk Ludmilla lançou...

Mercedes Ponce fala sobre ExpoCannabis 2019 ao Hempa

Está chegando mais uma edição da ExpoCannabis 2019! Confira a entrevista com a organizadora do evento Este é o terceiro ano seguido do Hempadão na...

Maconha vira queridinha no mundo dos negócios

Com a legalização ganhando terreno, o cenário mudou: negócios canábicos já servem de lastro para fundos de investimentos negociados em bolsa por João Henriques /...