Deputado do PSL quer usuários de drogas presos ou internados

Brasil, Featured, Política

hempadao 15 junho, 2019

Eleito pelo PSL do Rio de Janeiro, Daniel Silveira protocolou projeto que inclui participação das Forças Armadas no combate ao tráfico e detenção de um a quatro anos para o usuário de drogas ilícitas

Projeto protocolado na câmara dos deputados no dia 10 de junho pede pena de prisão ou internação compulsória de “drogados”. De acordo com o projeto de lei, quem “adquirir, guardar, transportar ou trazer consigo, para consumo pessoal, drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar”, pode estar sujeito a detenção de um a quatro anos.

A mesma pena é aplicada a quem “semeia, cultiva ou colho plantas destinadas à preparação de pequena quantidade de substância ou produto capaz de causar dependência física ou psíquica”. Segundo o Boletim da Liberdade, o juiz poderá substituir a pena por “tratamento obrigatório especializado”.

Para justificar o projeto, o deputado federal afirmau que a ideia serve para “reagir antes que o horror das drogas se apossa de vez da juventude”, afirma em tom apocalíptico. Daniel também defendeu o “combate sem trégua aos traficantes, desde o graúdo que atravessa as drogas na fronteira até o pequeno passador de droga num condomínio ou bairro”.

Olha a imagem divulgada no perfil pessoal do Deputado:

Mesmo duvidando muito que o projeto possa ganhar força, vale a pena ficar de olho, afinal olha o que diz o texto: “Como as drogas viraram problema de segurança nacional, além de segurança pública, nada mais natural que a entrada das Forças Armadas no combate aos traficantes. O serviço de inteligência das três armas será fundamental. Junto com as Polícias, Federal, Rodoviária Federal, Militares e Civis, as Forças Armadas têm de cerca o tráfico desde a fronteira até a rua”, disse, defendendo a manutenção e expansão da guerra às drogas.

Discordamos respeitosamente do Deputado, sobretudo pensando na segurança dos policiais e operadores da lei. Esta guerra já fez vitimas de demais e continuar investindo em opressão jamais resolverá o problema.

De acordo com o projeto, o destino do usuário será avaliado por um comissão especial em dependência e efeitos das drogas. Caso o tratamento for interrompido, o réu pode ir parar na prisão. Será que tem chance disso virar lei? Num país normal, a resposta seria simples e clara. Por aqui, não sei não…



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




[pro_ad_display_adzone id=17608]
[pro_ad_display_adzone id=17609]