Home Leitores Caos in Casa Cultivando Flores e Lutando Contra o Preconceito!

Cultivando Flores e Lutando Contra o Preconceito! [CaosInCasa #211]

Relato meu caso diretamente do interior da Bahia, tenho 20 anos e sou usuário de maconha desde os 15. Sou filho de uma técnica de enfermagem com um comerciante (hoje separados), que vendia a erva proibida. Ele passou três anos na cadeia e quando saiu continuou vendendo sem a concernência da minha mãe, mas hoje ele tem um comércio legal.

Meu primeiro contato com a maconha ocorreu quando encontrei a erva escondida em uma embalagem plástica. Curioso como sempre, resolvi pegar um pouco, mas no início fiquei com medo de utilizar a erva. Guardei por uma semana, ao ponto de quase pegar mofo, até o dia que chamei um amigo maconheiro para ajudar na bolação do beck.

Nessa mesma época meus pais se separaram e continuei morando com a minha mãe. Ela não estava ciente de que seu filho caçula era um usuário de maconha, e eu morria de medo de isso vir a tona, pois ela era uma pessoa com a mente um pouco fechada para esse assunto.

Percebi que ela começou a desconfiar, mas nunca tocava no assunto. Certo dia, quando estava bebendo em casa com amigos, levei os camaradas para mostrar o “tesouro” escondido no quarto. Neste instante a mãe entrou no quarto e me pegou com uma caixinha de fosforo na mão e perguntou o que era. Tentei despistar dizendo que não era nada, mas ela respondeu dizendo que já sabia, mas queria confirmar.

Entreguei a caixa, que foi devolvida rapidamente. “Toma cuidado com isso, Não quero você fumando em esquina e nem em grupo pelo meio da rua”, disse a mãe. Depois dessa cena eu fui fumar com a galera em outro lugar.

Na volta tivemos uma conversa. Ela reforçou que não queria eu fumando na rua e liberou para eu fumar com meus amigos em casa. Hoje em dia ela sabe muito bem como são as coisas. Já tenho até a permissão de cultivar meu próprio fruto em casa. Minha mãe está ciente do plantio e minha noiva me apoia para não financiar o tráfico de drogas.

Queria que todos abrissem os olhos para o tráfico de drogas, compramos coisas que não sabemos de onde vem e nem, quantos guardas tiveram que subornar para chegar ate o seu destino e quantas e outras drogas pesadas podem ser compradas com esse dinheiro sujo. Vamos plantar nossa própria maconha!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Canabidiol desenvolvido na USP chega às farmácias

Fitofármaco derivado da maconha pode ter diversas aplicações terapêuticas. Produto foi criado em parceria com uma indústria farmacêutica do Paraná O primeiro extrato de canabidiol...

Quarentena canábica

Todas as fragilidades da nossa sociedade vem à tona em momentos como o atual, em que vivemos em meio a uma pandemia de coronavírus....

Maconha em tempos de pandemia é o tema da live da Folha nesta quarta

Nesta quarta-feira (29), o Ao Vivo em Casa, série de lives da Folha, fala sobre a indústria da maconha em tempos de Covid-19 e...

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...