Home Canadá Com legalizações, startups da maconha recebem investimento recorde em 2019

Com legalizações, startups da maconha recebem investimento recorde em 2019

Setor recebeu US$ 1,3 bilhão em apenas seis meses; em 2018, valor total foi de US$ 1 bilhão

Fundos de venture capital estão de olho da maconha legalizada e já fizeram investimento recorde nas startups desse setor neste ano. De acordo com um estudo da consultoria PitchBook Data, o investimento em 2019 já superou o montante destinado a essas companhias durante todo o ano de 2018. O estudo mostra que o crescimento “agressivo” dos investimentos é uma forma de apoio dos fundos à legalização da maconha em escala federal, como acontece no Canadá, por exemplo.

MULHER ESCOLHE POTE COM MACONHA DENTRO DE LOJA (FOTO: HEATH KORVOLA VIA GETTY IMAGES)

Fonte: Época

Segundo a pesquisa, nos seis meses de 2019, as startups que trabalham com cannabis já receberam US$ 1,3 bilhão em capital de risco. No ano passado inteiro, o total foi de US$ 1 bilhão; em 2017, de US$ 370 milhões.

Nos Estados Unidos, a legislação varia de acordo com os estados. Em dez deles, mais o Distrito de Colúmbia, da capital Washington, legalizaram completamente o cultivo e consumo da droga. Outros 33 permitem o uso medicinal da planta – em 14 há restrição ao tetra-hidrocanabinol (THC), o princípio ativo alucinógeno da maconha, mas permitem o consumo de produtos que usem o CDB, substância que é usada, por exemplo, no tratamento de epilepsia.

De acordo com o site Axios, o valor investido se distribui entre diversos players, de produtores a startups de logística, finanças, varejo e acessórios. Apesar do número já maior do que o de 2018, o valor ainda é pequeno em comparação com outros mercados.

Além disso, a questão da legalização pode se tornar uma “pegadinha” para a indústria da cannabis. Para ilustrar o conceito, o Axios faz uma lista de questionamentos: por que produtores precisarão de transportadoras especializadas se puderem trabalhar com a FedEx? Por que dispensários precisarão de fintechs quando bancos puderem cuidar de suas contas?

O site ouviu Brendan Kennedy, CEO da startup canadense Tilray, o primeiro unicórnio do setor da maconha, listada na bolsa norte-americana Nasdaq. “Investir em empresas especializadas que se tornarão irrelevantes após a legalização nunca fez sentido para mim. Eu acredito que, eventualmente, esses investimentos não reverterão em nada”, afirma.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...

Alerj aprova pesquisa e cultivo da maconha medicinal no Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou a realização de pesquisa e cultivo científico da maconha por associações de pacientes. A votação,...

10 universidades pelo mundo que oferecem cursos focados em maconha

A maconha medicinal vem ganhando espaço em diversos lugares do mundo. De olho nisso, algumas universidades estão buscando capacitar seus estudantes para trabalhar no...

Se eu quiser fumar, eu fumo

Dizem por aí que coisa alguma acontece por acaso. Aliás, que o próprio acaso é algo irreal — mesmo que nós ainda não sejamos...