Home Cultura Cinema Bruna Marquezine surge nua e fumando maconha em sua estreia no cinema

Bruna Marquezine surge nua e fumando maconha em sua estreia no cinema

A atriz da Globo sentiu-se à vontade com sua estreia como protagonista no cinema, que teve direito a cenas polêmicas e objetificação de seu corpo

Em sua estreia como protagonista no cinema, no filme “Vou Nadar Até Você”, exibido na última segunda (19), no 47º Festival de Gramado, Bruna Marquezine deixa um pouco de lado o glamour pelo qual é conhecida, para aparecer nua (em mais de uma cena) e fumando maconha. Mas, para a artista de 24 anos, essas passagens não foram um problema.

Fonte: IG

Bruna Marquezine em cena de “Vou nadar até você”
Bruna Marquezine em cena de “Vou nadar até você”

“Não são cenas gratuitas, fazem parte da história. Não foi uma preocupação. O foco era fazer arte, e o ambiente no set era de parceria e liberdade. Todo o resto vira pequeno”, diz Bruna Marquezine , que se emocionou ao dedicar a sessão aos pais.

Boa parte do filme é composta por cenas em que a atriz caminha por vários minutos, sem diálogos, e faz poses sensuais para a câmera de Klaus Mitteldorf, estreante na direção de longas.

Bruna interpreta Ophelia, uma fotógrafa que decide nadar de Santos até Ubatuba, em São Paulo, para encontrar o pai, um alemão (vivido por Peter Ketnath, de “Cinema, aspirinas e urubus”, 2005) que a abandonou antes de ela nascer. No caminho, faz paradas em portos, praias e hotéis baratos; observa o horizonte e fotografa pessoas aleatórias; pede carona para desconhecidos à beira da estrada, esbarra com gente de caráter duvidoso, é assaltada e chora, entre outros perrengues.

Críticas à ‘objetificação’ do corpo

Bruna Marquezine em cena de “Vou nadar até você”
Bruna Marquezine em cena de “Vou nadar até você”

As cenas de nudez, porém, foram problemáticas para alguns espectadores. No encontro da equipe com a imprensa, nesta terça, uma pessoa demonstrou incômodo como a câmera “fetichiza” e “objetifica” o corpo de Bruna (algo que não faz com os atores masculinos), em especial quando ela aparece sem roupa numa banheira e numa cama de hotel. O questionamento foi aplaudido.

“Talvez você não tenha entendido algumas coisas. São cenas naturais. A parte da banheira tem ligação com trabalhos que fiz nos anos 1990. Sempre trabalhei com a plasticidade dos corpos, inclusive de mulheres, e isso ficou bem representado pela Bruna”, rebateu o diretor Klaus Mitteldorf, que também é fotógrafo.

O cineasta encerrou afirmando que “ esta é uma questão sobre minha arte” e que não falaria mais sobre o assunto.

Embora já tenha feito participações em alguns longas, como “Xuxa em o mistério de feiurinha” (2009), esta é a primeira vez em que Bruna assume o papel de protagonista no cinema.

“Sempre tive necessidade artística de fazer cinema, mas sempre emendei trabalhos na TV, não tinha tempo para me dedicar a um projeto com o qual me identificasse “, explica Bruna, cujo último trabalho foi na novela “Deus salve o rei”, da TV Globo . “Eu me encantei com a Ophelia. Não acho que escolhi fazer ela. Ela que me escolheu”.

A atriz descreve a aventura pela qual passa sua personagem como uma jornada de autoconhecimento.

“Eu também entrei nessa jornada de autoconhecimento. Conversei com muitos nadadores e descobri como era sagrado pra eles estar na água, assim como pra minha personagem, que sente mais confortável dentro d’água do que fora dela”, declarou Bruna Marquezine , que fez aulas de natação para se preparar fisicamente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...

Alerj aprova pesquisa e cultivo da maconha medicinal no Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou a realização de pesquisa e cultivo científico da maconha por associações de pacientes. A votação,...

10 universidades pelo mundo que oferecem cursos focados em maconha

A maconha medicinal vem ganhando espaço em diversos lugares do mundo. De olho nisso, algumas universidades estão buscando capacitar seus estudantes para trabalhar no...

Se eu quiser fumar, eu fumo

Dizem por aí que coisa alguma acontece por acaso. Aliás, que o próprio acaso é algo irreal — mesmo que nós ainda não sejamos...