Home Cultura Cinema Baseado em Fatos Raciais: maconha e preconceito no Netflix

Baseado em Fatos Raciais: maconha e preconceito no Netflix

Já imaginou uma aula de história, regada à jazz, rap, vinil e maconha? Gostou? Então assista ao documentário “Baseado em Fatos Raciais”na Netflix

O título em português já aponta o tema principal: como a erva se tornou parte de uma campanha política de demonização baseada em preconceitos raciais contra a população negra e latina nos Estados Unidos.

Fonte: Catraca Livre

Quem dirige e narra o documentário é Fab 5 Freddy, grafiteiro que fez parte do grupo histórico “Fabulous 5”, cineasta, rapper e pioneiro do hip hop.

Crédito: Reprodução / Netflix

Fab 5 vai traçando uma linha do tempo fazendo a conexão da maconha com a história da música americana, partindo do jazz e chegando no rap.
Através da narrativa e de depoimentos de artistas, ativistas e de famílias afetadas por injustiças, vamos percebendo a lógica perversa que foi construída ao redor da maconha para associá-la à cultura negra e latina com o intuito de demonizá-las e criminalizá-las.

Foram sucessivos governos cometendo injustiças, promovendo mortes e prisões. Imagine ficar preso por anos pelo porte de um cigarro de maconha.

No filme conhecemos o ponto de vista de figuras como Snoop DoggB-Real e Sen Dog do Cypress HillDarryl DMC, Damian Marley. O tema, que é bem pesado, tem seus momentos mais suaves onde se aprendem curiosidades do mundo da música e sobre história em geral e acompanhamos o entendimento do potencial de cura que a erva tem e a progressiva queda dos preconceitos no mundo todo dando lugar a conceitos científicos.

Crédito: Reprodução / Netflix

Chegando ao momento atual o filme aponta que 36 estados americanos já se utilizam da maconha, de forma legal, com fins medicinais e 10 de maneira recreativa. A legalidade criou uma nova  indústria e muita gente agora ganha dinheiro com isso.

Crédito: Foto: PixabayCultivo legalizado da maconha

Depois que milhões de vidas foram destruídas nessa “guerra contra as drogas” a maconha vira negócio e é aceita. A pergunta que vem a seguir é: por que a maconha, um dia, foi proibida mesmo?

“Baseado em Fatos Raciais” propõe uma reflexão extremamente importante: mesmo com o comércio legalizado da maconha, a vida da população negra continuará afetada pelo preconceito e estigmatização construídos cruelmente pelo racismo criminoso.

O movimento em favor da legalização da maconha no mundo é uma realidade irreversível.

Cabe a nós buscar informação segura, científica e entender quais os verdadeiros riscos e benefícios em cada caso. O que pode ser bom para você, talvez nao seja bom para mim, mas conhecimento é certamente bom para todos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Must Read

Minas Gerais entra na era da Cannabis medicinal

Regulamentação proposta pela Anvisa abre as portas do país e do estado para investimentos em pesquisa, educação e plantio da erva para produção de...

CBD deve chegar aos shoppings dos EUA até o fim do ano

Mega empresa canábica investe em varejo de derivados de maconha em shoppings dos EUA A gigantesca especializada em maconha Green Growth Brands, com sede em...

HQ entrelaça maconha e racismo ao longo da história dos EUA

‘Cannabis’, do quadrinista Box Brown, ganha edição em português O quadrinista americano Box Brown tinha 16 anos em 1996, quando foi preso por posse de...

Igreja britânica investe fundo de US$ 10 bi em maconha

Investimento pioneiro mistura religião e maconha na Inglaterra Quando Shavo Odadjian, baixista da banda System of a Down, me disse que estava lançando uma variedade...

Cultivo de maconha para uso medicinal é tema de consulta pública

Anvisa abriu uma consulta pública para tratar da regulamentação, do cultivo e da produção da Cannabis para o uso medicinal O cultivo de maconha para...