Home Blog Antiguinabis Ascensão e queda da verdinha

Ascensão e queda da verdinha

por Rafael Moraes

Muito se especula a respeito do uso recreativo da Cannabis na Europa. Possivelmente o conhecimento dos europeus pela planta se dera através das rotas de comércio, em especial a Rota da Seda. Historiadores sugerem que a rotina “cannábica” nesse continente já era notória entre os celtas e tribos germânicas, principalmente os Vikings. Tanto era que a maioria dos tecidos usados pelos guerreiros nórdicos eram produtos do cânhamo, e ocasionalmente, reis e rainhas ou nobres de importância eram queimados junto a sementes de maconha. Mas foi no século IX que o “Marco Polo da Cannabis” mostrou as caras na Europa. Dr. William O’Shaughnessy, médico irlandês, foi o primeiro homem do continente que dedicou seu tempo ao estudo da Mary Jane .

O médico tivera seu primeiro contato com a planta como professor no Medical College of Calcutta. Em 1830, ele já estava na ativa testando compostos medicinais em animais. Não demorou muito tempo para que o entusiasmo tomasse conta: percebendo a eficiência e segurança do uso, William começou a administrar Cannabis para pacientes com dores, espasmos musculares e principalmente cólera fatal. Tal descoberta fascinou médicos ao redor do mundo, resultando em uma avalanche de pesquisas e investimento para que as propriedades benéficas da planta fossem trazidas à tona. Em 1893-1894, fora instituída a “Indian Hemp Drugs Commission”, a primeira farmacopéia européia que listava as injúrias remediadas com Cannabis, entre elas: cãibras, dores de cabeça, asma, diabetes, impotência, febre, perdas de apetite, e dores crônicas. No começo do século XX, a cultura Escandinava promovia o uso do “Maltos Cannabis”, um drinque a base da verdinha que dizia-se “curar todos os males”, e era popularmente tomado e recomendado às crianças e enfermos.

E não parou por aí: o sucesso da verdinha incentivou até as companhias farmacêuticas dos Estados Unidos. Em 1930, pelo menos 2 das maiores companhias estadunidenses de remédios – Parke Davis e Eli Lilly – já vendiam remédios a base de extratos de Cannabis para atenuar dores e agir como sedativo. Não bastasse a adesão da erva pela indústria farmacêutica, também era vendida como cigarro pela Grimault & Company para tratar asma. Infelizmente, todo triunfo tem sua queda: imediatamente após o sucesso dos medicamentos a base de maconha, surgiu a aspirina, um fármaco mais potente e eficiente. A Cannabis continuou a coexistir com a sociedade através do uso recreativo, majoritariamente dado por jazzistas e músicos conceituados.

Todos os progressos acadêmicos e medicinais em torno da planta desabaram em 1922, com a “Convenção Internacional do Ópio”, onde potências da época assinaram um contrato proibindo o comércio de ópio e cocaína, e mais tarde em 1928, fora incluída por pedido do Egito o haxixe. Em 1937 fora instituído (contra a recomendação da Associação Médica Americana) o “Ato Fiscal da Maconha de 1937”. Dali em diante, o uso e prescrição da verdinha foram reduzidos ao mínimo e seu uso em geral na sociedade, restringido ao máximo. Iniciou-se a época do retrocesso. Em 1942 a Cannabis era removida da United States Pharmacopoeia (USP) no pretexto de ser uma droga “aditiva” e “perigosa”. Começava então a guerra contra a Cannabis e outras drogas, motivada unicamente por interesses comerciais e preconceituosos.

Fontes:

https://books.google.com.br/books?id=y8T_Y0tmDskC&pg=PA59&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false

http://www.vindheim.net/hamp/hemp.html

https://books.google.com.br/books?id=ZriSkC7aQOEC&pg=PA15&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Comissão deve debater amanhã uso de medicamentos de maconha

Uso medicinal dos princípios da maconha estão sendo analisados em comissão especial O acesso a medicamentos que contenham canabinoides é o tema de audiência pública...

Cacife Clandestino – Rap Game | Pt. Xamã e BK

"Enrola essa blunt, boa espécie no recheio", clipe novo do Cacife Clandestino Mais uma canção do álbum "Conteúdo Explícito", do Cacife Clandestino, ganhou clipe. Dessa...

Legalização da maconha pode levar ao aumento do uso por jovens, diz estudo

Números mostram que, nos EUA, dependência entre adolescentes aumentou de 2,18% para 2,72% após a liberação da droga A legalização da maconha pode levar ao...

Fundador do Cirque du Soleil detido por cultivar maconha

Justiça da Polinésia, onde ele tem um atol particular, procura determinar se a droga está destinada ou não ao tráfico O fundador do Cirque du Soleil,...

“Cannabis é feminina”, diz empresária Viviane Sedola

"Se você tem uma cólica que derruba por dois dias, provavelmente já testou tudo que está na farmácia. O que existe no mercado tradicional...