Home Notícias Opinião A possibilidade do uso medicinal da Cannabis e sua regulamentação no Brasil

A possibilidade do uso medicinal da Cannabis e sua regulamentação no Brasil

O caminho a ser tomado é, sem dúvidas, da criação de uma regulamentação estrita, tanto para as técnicas de plantio e cultivo quanto ao uso, tanto para os profissionais quanto para os setores que se beneficiarão da produção de produtos com base nos extratos da Cannabis

Rio – Seguindo o fluxo de algumas nações latino-americanas como, por exemplo, Uruguai e Colômbia, muito se discute no Brasil sobre o uso medicinal da Cannabis.
por Bárbara Ângela Leitão
no O Dia
Em que pesem as barreiras mais conservadoras encontradas atualmente no cenário político nacional, importa frisar que a legislação referente às políticas públicas relacionadas a drogas no país, em especial a Lei 11.343/06 já traz, em seu artigo 2º, previsão que autorizaria a cultura e a colheita de determinados produtos – incluindo a Cannabis – exclusivamente para fins medicinais ou científicos, em local e prazo predeterminados, mediante fiscalização.

Neste esteio, algumas entidades buscam encontrar em seus posicionamentos caminhos para definir a viabilidade de tal uso e, sobretudo, a devida regulamentação para tal. Vislumbrando não só a ampliação de pesquisas e cura para diversos tipos de doenças, mas também um mercado já aparentemente rentável em determinados lugares do globo, a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária abriu recentemente consultas públicas para votação sobre o assunto, bem como apresentou seu report sobre o Canabidiol com dados importantes sobre a quantidade que já havia sido importada para o Brasil, que gira em torno de 78 mil unidades. Isto, sem destacar que o uso do produto já foi prescrito por cerca de 800 médicos brasileiros.

Ambas as propostas que se encontram em consulta foram produzidas, sobretudo, com base em estudos e demais evidencias cientificas relacionadas ao beneficio advindo dos extratos feitos da planta. Enquanto uma das consultas se refere aos requisitos técnicos necessários para o cultivo da Cannabis por empresas farmacêuticas, a outra traz os procedimentos referentes ao registro de medicamentos produzidos, assim como seus derivados sintéticos.

A Ordem dos Advogados do Brasil também já disponibilizou audiências públicas – em especial no Rio de Janeiro – para discussão do assunto. Uma grande participação da entidade é exigida, sobretudo pelo fato de que, no Brasil, para que se consiga liberar o uso medicamentoso da Cannabis é necessária decisão judicial. Neste sentido, alguns tribunais já vêm decidindo sobre a possibilidade de liberar o uso – e consequente plantio – da Cannabis para crianças com problemas graves de epilepsia, por exemplo.

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI, também segue em uma crescente recepção de pedidos de patentes envolvendo o Canabidiol em medicamentos, a exemplo do produto que vem sendo desenvolvido por uma empresa americana em parceria com a Universidade de São Paulo – USP. Tal inovação traz, sobretudo, a obtenção do Canabidiol de forma mais pura, conquanto este deve ser isolado do Tetracanabidiol, popularmente conhecido como “THC” ou a parte alucinógena da planta.

Importante destacar que, além das tentativas realizadas pela via judicial, bem como o posicionamento de algumas entidades, associações privadas também vem se reunindo para iniciar campanhas em defesa da legalização do uso medicinal da Cannabis. A mais famosa delas, batizada de “Repense”, busca apoio de setores da sociedade para conversar com parlamentares sobre possíveis projetos de lei focados no assunto.

Considerando não só o cenário atual, bem como as experiências de outros países – inclusive vizinhos – com o uso medicinal da maconha, e o interesse de diversos setores da população voltado para o uso terapêutico da planta, sobretudo sem o alto custo de importação de determinado produto ou a dificuldade de acesso às vias judiciais para tal, se verifica que o caminho a ser tomado é, sem dúvidas, da criação de uma regulamentação estrita, tanto para as técnicas de plantio e cultivo quanto ao uso, tanto para os profissionais quanto para os setores que se beneficiarão da produção de produtos com base nos extratos da Cannabis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Fundador do Cirque du Soleil detido por cultivar maconha

Justiça da Polinésia, onde ele tem um atol particular, procura determinar se a droga está destinada ou não ao tráfico O fundador do Cirque du Soleil,...

“Cannabis é feminina”, diz empresária Viviane Sedola

"Se você tem uma cólica que derruba por dois dias, provavelmente já testou tudo que está na farmácia. O que existe no mercado tradicional...

Maconha é: Planta, Remédio, Droga e Negócio

Série de reportagens mostra maconha sob diferentes olhares A NAV Reportagens está produzindo junto ao Yahoo Notícias uma série linda sobre cannabis. Nesse episódio, tem...

Neil Young enfrenta atraso no pedido de cidadania dos EUA devido ao uso de maconha

Cantor canadense terá que fazer novo teste após assumir uso da droga RIO — O cantor canadense Neil Young está enfrentando um atraso em seu pedido de...

Revista Globo Rural estreia PodCast falando sobre Maconha

Podcast Palavra do Campo tem seu primeiro episódio sobre Cannabis A revista Globo Rural estreou, nesta segunda dia 11/11, um novo PodCast: é o "Palavra...