Home Notícias Economia Fundos de Ações de maconha podem ganhar terreno, dizem analistas

Fundos de Ações de maconha podem ganhar terreno, dizem analistas

A BlackRock, a maior gestora de recursos do mundo, “provavelmente” irá lançar um fundo negociado em bolsa com foco em cannabis

O setor de fundos está cada vez mais flexível em relação aos investimentos em cannabis.
Fonte: InfoMoney
A BlackRock, a maior gestora de recursos do mundo, “provavelmente” irá lançar um fundo negociado em bolsa com foco em cannabis, incentivada pelo menor receio sobre problemas legais relacionados a essas estratégias, de acordo com a Bloomberg Intelligence.

Outros grandes emissores poderiam seguir o exemplo, elevando os ativos em ETFs com foco em maconha para US$ 5 bilhões nos próximos anos, disseram analistas liderados por Eric Balchunas em relatório na sexta-feira.

“Como um grande estúdio de cinema, a BlackRock está apta a copiar os ETFs de sucesso dos outros”, escreveu Balchunas. “A entrada da BlackRock traria certa legitimidade juntamente com alguma pressão sobre as comissões.”

Um porta-voz da gestora disse que a empresa não tem planos de oferecer um ETF de maconha.

Tudo soa pouco provável, mas a BlackRock tem investido em estratégias temáticas. Esses tipos de fundos rapidamente se tornaram grandes negócios, atraindo mais de US$ 49 bilhões nos Estados Unidos. No mês passado, a gestora disse que planejava criar e negociar ETFs com base em cinco “megatendências”, que vão além de setores tradicionais e focos geográficos, embora nenhum deles explicitamente se encaixe em ações no segmento de cannabis.

Enquanto isso, o ambiente regulatório para fundos de maconha parece cada vez mais favorável. A legislação conflitante nos EUA sobre o setor de cannabis fez com que grandes bancos evitassem oferecer serviços de custódia a potenciais emissores de ETFs de maconha.

Mas, agora, o órgão regulador dos EUA pediu que ETFs de cannabis ofereçam pareceres legais de terceiros, para garantir que esses fundos não violam leis estaduais ou federais, o que abriria caminho para qualquer investidor interessado em um setor em expansão.

O ETFMG Alternative Harvest ETF, o maior do mundo com foco em maconha, com US$ 1,1 bilhão em ativos, apresentou documentação legal em maio afirmando que o ETF e seus investimentos não violam nenhuma lei.

As empresas de cannabis nas quais o fundo investe possuem as licenças necessárias para operar, segundo o documento. O ETF AdvisorShares Pure Cannabis, com US$ 59 milhões em ativos, apresentou documento semelhante em abril.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Legalização da maconha pode levar ao aumento do uso por jovens, diz estudo

Números mostram que, nos EUA, dependência entre adolescentes aumentou de 2,18% para 2,72% após a liberação da droga A legalização da maconha pode levar ao...

Fundador do Cirque du Soleil detido por cultivar maconha

Justiça da Polinésia, onde ele tem um atol particular, procura determinar se a droga está destinada ou não ao tráfico O fundador do Cirque du Soleil,...

“Cannabis é feminina”, diz empresária Viviane Sedola

"Se você tem uma cólica que derruba por dois dias, provavelmente já testou tudo que está na farmácia. O que existe no mercado tradicional...

Maconha é: Planta, Remédio, Droga e Negócio

Série de reportagens mostra maconha sob diferentes olhares A NAV Reportagens está produzindo junto ao Yahoo Notícias uma série linda sobre cannabis. Nesse episódio, tem...

Neil Young enfrenta atraso no pedido de cidadania dos EUA devido ao uso de maconha

Cantor canadense terá que fazer novo teste após assumir uso da droga RIO — O cantor canadense Neil Young está enfrentando um atraso em seu pedido de...