Home Cultura Música 10 artistas que têm suas carreiras musicais ligadas às drogas

10 artistas que têm suas carreiras musicais ligadas às drogas

De exaltações declaradas até o uso sigiloso, esses artistas tiveram suas vidas e carreiras influenciadas de forma positiva ou negativa pelo consumo de drogas

A história da música e do consumo de drogas estão inevitavelmente ligadas, pelo menos no último século.

Através disso, muito foi conquistado em relação a um maior entendimento sobre esse assunto, ao mesmo tempo que muito preconceito foi disseminado contra artistas que resolveram assumir publicamente seu consumo.

Fonte: Tenho mais Discos que Amigos

Esse foi inclusive o papo do último Podcast TMDQA!, que contou com a participação do ator Luís Navarro, protagonista de Pico da Neblina, uma série brasileira da HBO que imagina, de forma bem-humorada, um cenário onde a cidade de São Paulo teve a maconha recentemente legalizada.

Esse episódio você pode conferir clicando no player logo abaixo, ou procurar por nós no Spotify, Apple Podcasts ou seu agregador preferido. Siga-nos também no Instagram e Facebook.

E para adentrarmos um pouco nesse assunto, resolvemos citar aqui 10 artistas que, ao longo da história recente da música, declararam seu envolvimento com algum tipo de droga.

Louis Armstrong

É evidente notar que muito do preconceito existente com o consumo das drogas está relacionado ao racismo.

Uma prova disso é a ligação do jazz (música originalmente criada por negros afro-americanos) com a maconha e as retaliações que os músicos desse estilo tiveram.

Como o próprio podcast contou, o grande Louis Armstong sempre foi um consumidor da cannabis, e isso lhe rendeu alguns problemas e também boas histórias.

Muddy Waters

Outro gênero tipicamente afro-americano que sofreu preconceito e tinha certa ligação com o consumo de drogas foi o blues.

Um de seus maiores nomes, Muddy Waters, tem até uma música onde declara o seu gosto pela maconha, se utilizando então da gíria “reefer” para simbolizá-la.

Yeah bring me champagne when I’m thirsty / Bring me reefer when I want to get high.

Janis Joplin

Ícone da psicodelia e um dos grandes artistas presentes no lendário Woodstock, Janis Joplin foi um dos símbolos do movimento hippie, que lutava pelas liberdades individuais, amor livre e, é claro, liberação do consumo de drogas.

Infelizmente, Janis foi um dos casos que se perderam nas proporções e acabou falecendo, no dia de 4 outubro de 1970, vitima de uma overdose de heroína.

Black Sabbath

Os ingleses do Black Sabbath, percursores do heavy metal, também eram caras adeptos ao consumo de – mais do que uma – droga.

E mais do que consumidores, os roqueiros também têm canções que exaltam o uso da maconha, como em “Sweet Leaf”, e também da cocaína, como no caso de “Snowblind”.

Peter Tosh

O reggae jamaicano sempre teve conexão direta com o uso da maconha, e mesmo tendo em Bob Marley o seu maior ícone, foi Peter Tosh (que chegou a ser parceiro de Marley na primeira formação da banda The Wailers) o responsável por compor duas das canções mais aclamadas sobre a legalização da erva: “Get Up, Stand Up” e “Legalize It”.

Snoop Dogg

O nome do rapper Snoop Dogg é outro sempre relacionado com maconha.

E não por menos, já que além de fazer citações ao consumo da erva desde o começo de sua carreira nos anos 90, Snoop fez até um documentário na Jamaica, falando sobre como esse hábito é difundido por lá.

O documentário também rendeu um álbum de mesmo nome, Reincarnated, onde o rapper aprofunda suas rimas dentro do ritmo do reggae.

Alice In Chains

Sem a leveza que o reggae (e mesmo Snoop Dogg) fala sobre as drogas, o grunge do Alice In Chains é constantemente pautado por consumo que seus membros, principalmente o vocalista Layne Staley, tinham com a heroína.

Esse tema é citado de forma trágica em diversas canções do grupo, inclusive em sucessos como “Junkhead”.

Planet Hemp

Dentro da música brasileira, o maior exemplo de artista que fala abertamente sobre o consumo de drogas com certeza é o Planet Hemp.

Além do próprio nome do grupo ser uma citação à maconha, as canções sempre trouxeram essa temática e, por vezes até fazendo duras críticas à proibição e ao preconceito que isso envolve.

Miley Cyrus

O consumo de drogas também é representado dentro da música pop. Um bom exemplo disso foi a impactante reviravolta na mente dos fãs quando Miley Cyrus assumiu fumar maconha.

A cantora que surgiu junto ao seriado infanto-juvenil Hannah Montanah, em uma mudança radical de comportamento público, que também refletiu também em sua sonoridade, hoje declara abertamente o seu consumo.

Lil Peep

trap, como é conhecida a nova onda do hip-hop, também tem relações conturbadas com o consumo de drogas.

Lil Peep, jovem artista do gênero, acabou tendo essa relação acabada em uma overdose fatal de analgésicos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Ultimos posts

Fabricação e venda de derivados da cannabis entram em vigor no país

Entra em vigor hoje a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da...

“Maconha é coisa de velho”, diz Fernando Henrique Cardoso

No Brasil só não enxerga o que acontece quem não quer. A maconha ou as drogas mais pesadas não estão apenas na favela, mas...

Alerj aprova pesquisa e cultivo da maconha medicinal no Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou a realização de pesquisa e cultivo científico da maconha por associações de pacientes. A votação,...

10 universidades pelo mundo que oferecem cursos focados em maconha

A maconha medicinal vem ganhando espaço em diversos lugares do mundo. De olho nisso, algumas universidades estão buscando capacitar seus estudantes para trabalhar no...

Se eu quiser fumar, eu fumo

Dizem por aí que coisa alguma acontece por acaso. Aliás, que o próprio acaso é algo irreal — mesmo que nós ainda não sejamos...