Virada do ano e ampliação coletiva de consciência

Portas da Percepção

hempadao 3 janeiro, 2014

211744_detailpor Fernando Beserra

Entramos em um ano que marcará a história, a começar pelo início do funcionamento, na prática, da legalização da cannabis para uso recreacional nos estados de Washington e Colorado no EUA e em todo território do nosso vizinho Uruguai. A expectativa é das melhores e nos EUA em breve poderemos ver mais estados aderindo aos projetos de seus conterrâneos. Esta regulamentação pode seguir um efeito cascata e influenciar políticas a nível global.

 

No âmbito da psiconáutica de (outros) reveladores da psique, não vemos ainda um planejamento claro em nenhum país quanto a regulamentação do uso recreativo de substâncias psicodélicas hoje ilícitas com o LSD, princípios ativos como a psilocibina e a mescalina e, finalmente, substâncias fora dos grandes marcos internacionais (p.ex, Convenção Única sobre Entorpecentes da ONU), mas que se encontram proibidas em diversos países, como a Salvinorina A e sua planta de origem, a Salvia divinorum. Sabemos que determinadas regulamentações evitariam danos maiores como o do consumo de NBOMe, muitas vezes vendido como LSD, que já provocou algumas mortes pelo mundo. A adulteração de pílulas de ecstasy e o uso de diversos psicodélicos alternativos e pouco conhecidos quando não são encontradas as melhores substâncias em um mercado regulado, com evidente controle de qualidade. Por último, mas não menos importante, a regulamentação evitaria o quase desaparecimento de substâncias que podem provocar ampliações de consciência impares, quando bem administradas, como é o caso da Salvia divinorum.

Em relação aos enteógenos ou psicodélicos, um enorme ganho em 2014 poderá advir do avanço (ressurgimento) dos estudos científicos destas substâncias nos últimos anos, que tem contribuído em diversos países para discussões sobre as qualidades medicinais e psicoterapêuticas dos psicodélicos. Falta ainda que estes estudos consolidem práticas. Ao mesmo tempo, as discussões antropológicas e sociológicas tem contribuído para o balizamento (e institucionalização) de religiões nas quais ocorre consumo de enteógenos, em uma importante frente contra a opressão de minorias religiosas. Obviamente estes saberes se cruzam, assim como os saberes sócio-culturais-históricos são fundamentais para o conhecimento bio-médico e psicológico, igualmente os saberes biológicos, químicos e psicológicos, são importantes para às discussões no campo das práticas religiosas. Neste sentido, se há um campo para florescer ainda mais este novo ano é o da interdisciplinaridade nas pesquisas sobre psicodélicos.

Um motor a mais é o aparecimento cada vez mais pronunciado da (antiga) reivindicação da regulamentação destas substâncias, sejam sintéticas, semissintéticas ou naturais, junto aos movimentos sociais, especialmente a Marcha da Maconha, como ocorreu de forma bastante evidente (e bonita) em uma ala da Marcha da Maconha de São Paulo em 2013. É importante que em 2014 este movimento volta a aparecer e se consolide junto ao entendimento mais genérico que não basta regulamentar apenas o consumo, comércio e produção da maconha, mas é necessário repensar nossa política de drogas como um todo, rejeitando todos os danos e abusos decorrentes da falida Guerra às Drogas.

Vou aproveitar este desejo de FELIZ 2014 à toda comunidade antiproibicionista, canábica, e tod@s que se colocam resistindo a políticas enfadonhas e a opressões de toda ordem, para fazer um convite. Estou preparando para publicar no Hempadão, aqui no Portas da Percepção, uma série (como de costume no Portas) sobre as relações e mitos entre consumo de maconha e esquizofrenia. Já tenho bastante coisa revisada, escrita, mas gostaria de pedir aos leitores que tenham alguma experiência neste tópico que mandem pequenas considerações a respeito, para enriquecer o texto. Ou seja, se conhece pessoas com esquizofrenia que fazem ou fizeram uso de cannabis e seus resultados, se conhece pessoas que tiveram efeitos semelhantes aos da esquizofrenia ou tiveram um surto desencadeado no decorrer do consumo da maconha, enviem, pois os relatos serão úteis.

Ademais, abraços e um ano de luta e realizações, pois certamente estamos no caminho de um outro mundo possível!!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina