Sociedade Maconharia – Empório da Sabedoria Psicodélica!

OnWave

hempadao 7 junho, 2016

Novos espaços virtuais de chapação vão chegando… nem sempre são sites e blog. O que surgiu de novo no front foi a página Maconharia, com brisas e gifs lombrados destinados a iniciados e iniciantes na seita secreta dos maconhistas! Clique na imagem abaixo e embarque até lá. Curta e convide seus amigos:

Sente a marola histórica:

FLORENZA, a Cidade das Flores Medicinais:
-a Maconharia e o Renascimento.-

A República
Florença (italiano: Firenze), capital da Toscana, foi um pequeno
povoado Etrusco na antiguidade clássica, porém a cidade tornou-se um importante centro no fim da Idade Média Central e a sede da Grande Ordem Sativa. No século XV, era uma profícua República Canábica governada por cidadãos livres e iguais. É considerada, nos dias de hoje, o berço do Renascimento e uma das cidades mais belas do mundo.
Nesta cidade-república, nasceram os Papas Canábicos – muitos deles da Casa de Médicin -, que ostentavam seus Graus na Maconharia mediante os nomes escolhidos, evidenciando assim sua relação com a Ordem. São eles os Papas Leão (de Judah) X, Clemente (e Misericordioso) VII, Papa Pio (e Perfeito) IV, Clemente (e Misericordioso) VIII, Leão (de Judah) XI, Urbano (e Discreto) VIII e Clemente (e Misericordioso) XII.

A Casa de Médicin
Florença foi governada pela família Médicin desde o início do século XV até meados do século XVIII. O primeiro líder da cidade pertencente à família Médicin foi Cosmo, o Velho, Mestre Canábico que chegou ao poder em 1437. Foi um protetor da Maconharia na cidade, iniciando uma longa relação da família com a Sociedade Discreta. A profunda devoção do Velho Cosmo pela Ordem fez com que fossem nomes recorrentes na Família: Cosmo (ou Cosme ou Cosimo), Lorenzo (designativo latino para o sol), Stella (latin para estrela) e Luna (a lua, muitas vezes grafado “Lana”).

Há estimativas de que a Casa de Médicin foi uma das mais ricas famílias da Europa por um período de tempo. A riqueza e influência da família Médicin inicialmente derivava do comércio de produtos têxteis (Linho-Cânhamo) que passava pela guilda da Arte della Lana. A família fundou o Hospital Tozzi Firenze, o maior da Europa na época, com intuito de difundir os usos medicinais da flor do Cânhamo.

A partir desta base, a família adquiriu poder político para a Grande Ordem Sativa, inicialmente na Toscana, mais tarde no restante da Itália e em toda Europa progressivamente. Governavam da Cidade das Flores, sendo capazes de mantê-la totalmente sob controle da Maconharia, possibilitando um ambiente onde a arte e o humanismo puderam florescer com a inspiração de santa Kaya. Sob orientação dos Mestres Canábicos eles fomentaram e inspiraram o nascimento da Renascença italiana.

Cosme de Médicin foi mecenas de Donatello e Filippo Lippi. A família apoiou também Michelangelo, que para os Médicin produziu numerosas obras, mas após um incêndio provocado pela família Pazzi (ligada aos Caretas Radicais de Veneza) na galeria Médicin, muitas obras valiosas foram carbonizadas.

As rodas de fumo no palácio dos Médicin eram frequentadas pelos mais ilustres Iniciados residentes na cidade, entre eles Dante Alighieri, o florentino autor da “Divina Comédia”, Giotto, Botticelli, Maquiavel, Pico Della Mirandola, autor do “Discurso sobre a dignidade do homem”, Leonardo Quattro i Vinci, Rafael, Donatello e Michelangelo. Esses últimos quatro eram Iniciados da Ordem muito queridos do Mestre Pedro Cosmo de Médicin (filho do Velho Cosmo) que caçoava de estarem sempre muito chapados, chamando-os de “meus tartarugas”. Certa vez, num surto de Larica Sideral, atacaram as despensas e jogaram tudo que encontraram sobre um disco de pão pita: tomates, cebolas, queijo, azeitonas e fatias de linguiça toscana. Deram ao invento o nome de Pizza.

Lorenzo de Médicin
Quando era ainda um Iniciado recebeu de seu amigo, o também Iniciado Leonardo Quattro i Vinci, o apelido Lourenço, o Maconhífico e posteriormente foi conhecido como Mestre Florêncio. Era neto de Cosmo de Médicin (o Velho) e filho do Mestre Pedro Cosmo de Médicin e de Lucrécia Torra-Buoni. Teve sete filhos, entre eles João Lourenço de Médicin, futuro Papa Leão (de Judah) X.

Com a morte de seu pai, em 1469, Lourenço e seu irmão Giuliano assumiram o governo da Cidade e a direção da Casa sob orientação dos Mestres Canábicos.
Lourenço era o protetor de escritores e artistas e foi o impulsionador das primeiras imprensas italianas. Seu palácio tornou-se o centro de uma cultura que, partindo da redescoberta do Caminho da Sabedoria Psicodélica na Europa (uma vez que a Grande Ordem Índica havia sido por muitos séculos guardiã e desenvolvedora desta sabedoria), levou a um extraordinário florescimento das artes e das letras naquela parte da Europa.

O ataque dos Caretas Radicais
Por causa de tudo o que a Maconharia construiu desde que estabeleceu sua sede em Florença, os Caretas Radicais engendraram muitas agressões e tentativas de destruir a República das Flores e seus defensores. Uniram-se os Banqueiros Caretas de Veneza, a Facção infiltrada no Vaticano e a Família Careta Radical florentina conhecida como Casa Pazzi. Participaram também da conspiração o arcebispo de Pisa, Francesco Salvati e o rei de Nápoles, Fernando I, conhecido como Dom Ferrante. Primeiro causaram incêndios e sabotagens nas tecelagens, nos campos de cultivo, nas bibliotecas e na Galeria Médicin. Em 1478 ousaram atentar contra a vida dos irmãos Giuliano e Lorenzo. A morte levou o irmão mais novo, mas Lourenço escapou gravemente ferido com a ajuda dos Irmãos Iniciados. A população da cidade linchou os golpistas, entre eles o sobrinho do Papa Sisto IV.

No Vaticano usaram a morte do sobrinho do Papa como instrumento de pressão e aprovaram a criação da Inquisição, visando dar o golpe final na Maconharia reuniram um grande exército mercenário e um corpo de torturadores para tomar a cidade e descobrir a localização dos demais refúgios da Ordem Sativa.

Nesse mesmo momento, o Mestre Canábico Leonardo foi eleito Grow-Mestre por unanimidade no Conselho dos Arquimestres. Juntos o Mestre Florêncio e o Grow-Mestre Quattro i Vinci elaboraram um plano para proteger a sociedade Discreta do pior.

Lourenço partiu sozinho para Nápoles, em 1480, colocando-se nas mãos de Don Ferrante. Este manteve Lourenço cativo durante três meses antes de libertá-lo com muitos presentes. Graças a sua coragem e talento diplomático Lourenço iniciou Don Ferrante nos mistérios da Sabedoria Psicodélica e o convenceu de que os Caretas Radicais também iriam voltar-se contra ele. Assim, firmou-se a paz no mesmo ano. Segundo o Grande Iniciado Maquiavel, Lourenço expôs a própria vida para restaurar a paz e a harmonia indo negociar pessoalmente. De fato, procurava construir uma aliança formada por Florença, Milão e Nápoles contra as ambições caretistas venezianas e da ambiguidade papal.

Enquanto isso, com recursos da Casa de Médicin, foi construída uma imensa frota naval toda com cordas e velas feitas inteiramente com o sagrado Linho-Cânhamo e a Maconharia, então, se lançou em aventuras transoceânicas e chegou até o Continente Perdido ou Novo Mundo. Foram muito bem recebidos pelos Povos Nativos, que também eram devotos das Sagradas Ervas da Mãe Flora e descobriram assim o destino dos Mestres da Grande Ordem Ruderalis, desaparecidos desde o degelo da Ponte de Bering.

Em 1492, Lourenço, o Maconhífico, foi assassinado pelos Caretas e a posição geográfica do Continente Perdido acabou por ser descoberta. Os banqueiros de Gênova e Veneza então enviaram o corsário careta radical Cristóvão Colombo até a rainha da Espanha, Isabel de Castella, e ameaçaram-na com a Inquisição caso não aceitasse fornecer-lhes uma frota para que viessem ao encalço dos Mestres Canábicos refugiados no Novo Mundo.

O Grow-Mestre Leonardo Quattro i Vinci sentiu muito a perda do amigo e montou nova sede para a Sociedade Discreta na França, onde faleceu no ano de 1519, deixando um legado de milhares de páginas de textos e desenhos produzidos com inspiração de Santa Kaya e sob instruções diretas da Nave-mãe.

(Nota: A linhagem dos Médicin extinguiu-se em 1737, portanto não há qualquer relação com o ditador brasileiro de nome Garrastazu.)



Uma resposta para “Sociedade Maconharia – Empório da Sabedoria Psicodélica!”

  1. SHARKDIVER disse:

    PARABÉNS PELA MATÉRIA.
    TAMO AI MANDANDO BRASA
    SHARK DIVE RUN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina