Síndrome da Serotonina! [Portas da Percepção Ed. #273]

Portas da Percepção

hempadao 24 maio, 2014

por Jean Lefebvre

Tenho muitos amigos e conhecidos que usam drogas em geral, e a cada vez mais vejo pessoas reclamando de seus efeitos colaterais. Frases como "tomei 2 doces em tal festival e agora estou tendo crises de ansiedade" ou "tomei 2 balas e agora não consigo mais me concentrar meu coração acelera anormalmente" tem se tornado bastante comum de se escutar. Então venho aqui falar sobre a síndrome da serotonina, que é basicamente os efeitos colaterais malignos do abuso de psicodélicos, alguns estimulantes, e uma série de fármacos. O abuso é considerado repetição do uso antes de um intervalo de 15 dias a 1 mês.

Mas primeiramente, o que seria a serotonina?

De modo geral a serotonina regula o humor, o sono, a atividade sexual, o apetite, o ritmo circadiano, as funções neuroendócrinas, temperatura corporal, sensibilidade à dor, atividade motora e funções cognitivas. E  Claro, não podemos deixar de falar do humor quando abordamos essa substância, afinal é normal lembrar-se de humor quando abordamos este neurotransmissor. Pois ele é fortemente influenciado pela concentração da mesma em nosso corpo. Vários problemas são condicionados pela concentração, para mais ou para menos, dessa substância em nosso organismo, assim como cansaço, tristeza, ansiedade, depressão, enxaqueca, e até algumas doenças mentais mais problemáticas, como a esquizofrenia, síndrome do pânico, entre outras.

E porque a Serotonina tem a ver com as drogas?

Estes tipos de droga agem basicamente aumentando a produção da serotonina em nosso cérebro, aumentando assim também a quantidade de neurotransmissores. por isso é normal uma certa depressão após o uso, um mal estar, em alguns, pois muita serotonina foi produzida devido a droga e agora os níveis de serotonina no cérebro estão muito baixos, causando aquela famosa "bad" do dia seguinte, a quantidade de receptores esta alto, é como se seu cérebro estivesse esperando pela serotonina, ele fica "acostumado", e as vezes esse costume pode ficar dias, meses se não tratado. Este aumento da disponibilidade dos neurotransmissores na fenda sináptica é conseguido através da inibição na recaptação desta amina (serotonina) pelos receptores pré-sinápticos.

Geralmente uma tríade de sintomas é observada como mudança do status mental, anormalidades neuromusculares e hiperatividade autonômica. Mas nem todos esses achados estão presentes em todos os pacientes. Outros sintomas também presentes são: tremor, diarreia, delírio, rigidez neuromuscular e hipertermia.  Os sinais e sintomas associados a SS são: confusão, desorientação, agitação, irritabilidade, coma, ansiedade, hipomania, letargia, convulsões, insônia, alucinações, rigidez muscular, tremor, ataxia, descoordenação, arrepio, nistagmo, sinal de Babinski (bilateral), hipertermia, diaforese, taquicardia sinusal, hipertensão, taquipnéia, dilatação de pupilas, pupilas não reativas, rubor facial, hipotensão, diarreia, câimbra abdominal, salivação, tontura, mioclonus, hiperreflexia.

A síndrome da serotonina também pode vir acompanhada de HPPD (Hallucinogenic Persisting Perception Disorder), onde o indivíduo continua com os efeitos visuais da substância, porém não se sente sob o efeito da mesma.

E o que pode causar esta síndrome?

São diversas as substâncias que podem causar esta síndrome, entre elas drogas lícitas e ilícitas:

MDMA, Anfetaminas, LSD, Cocaína, Dextromerfan, Antidepressivos-tricíclicos, ISRSs (Antidepressivos, ansiolíticos e antipsicóticos em geral).

Como prevenir:

A SS pode ser prevenida combinando-se investigação farmacogenética, educação dos profissionais de saúde, modificação nas práticas de prescrição e o uso de tecnologias avançadas. A aplicação de princípios farmacogenéticos pode proteger pacientes dos riscos da SS antes da administração de agentes serotoninérgicos. A prevenção do regime multidroga é crítica para a prevenção da SS. Caso haja a necessidade de empregar esse regime, deve-se fazer um monitoramento para detectar as interações e assim facilitar o tratamento. E também, não abusar, dê tempo ao seu corpo para que ele possa se reestabilizar, saiba sempre o que esta tomando e se necessário consulte um médico antes de fazer o uso da substância, e o mais importante, que as pessoas se eduquem o máximo possível sobre todas as substâncias que consomem.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina