Sexo e Marola: Entrevista com uma Acompanhante 420!

ConverSativa

hempadao 24 fevereiro, 2015

Descobri pelo twitter uma acompanhante 420. Não tá ligado no que é isso? Imagine portanto um ser místico pronto a dar e receber prazer a homens, mulheres e casais interessados em serviços sexuais dos mais simples aos mais loucos. Pra relaxar: antes, durante ou depois… um beck do bom é sempre bem vindo. Vamos conversar com Alinne Brandão:

1) Você começou antes na maconha ou na vida de acompanhante? Como foi no início?

Oiiiii gente, beleza? Conheci a erva a mais ou menos uns 4 anos, assim que eu cheguei em São Paulo, morei uns 20 dias com uma maconheira de primeira. Indicação de um cliente em comum viramos grandes amigas e dividindo local de trabalho com ela sempre curtia os papos, as altas risadas que saia do quarto dela. Até aí… eu só marolava… Certo dia, no Rio De Janeiro num por do sol, me surge um bom momento e eu carburei o meu 1º baseado! Quando voltei do Rio, voltei diferente e já tinha uma pá de clientes que saiam comigo e carburavam… Enfim… meus programas nunca mais foram os mesmos… rsrs E respondendo a sua pergunta, minha vida depois da erva anda mais colorida!!!

 

2) Como é conciliar essas duas coisas publicamente? Você acha que ganha mais clientes do que perde ao se assumir maconheira?

Creio que devo ter perdido sim alguns clientes mais conservadores e blá blá blá… Porém eu ganhei  um novo grupo de clientes que apreciam curtir um bom momento. Preconceito aqui, vai existir sim. Mais, fazer o que?? Vou chorar? Eu vou marolar e brincar de ser feliz… E esta é a minha filosofia.

3) O preconceito é enorme contra maconheiros. Mas acredito que ainda maior contra sua profissão. Como você lida com isso?

Eu acho que eu abri a mente de muitas pessoas fazendo a minha vida profissional um Blog. O cliente conhecer o dia-dia, faz ele estar mais perto e isso fez com que eles me olhasse com outros olhos. Agucei a curiosidade de muita gente e creio eu, quem quem conheceu esta maconheira aqui, se surpreendeu (risos)!!!

4) Já teve algum problema com algum cliente por optar fumar um cigarro de maconha? Conta aí…

Agora, não vem na mente. Mais eu sempre dou uma relaxa com o cliente, alguns.. não me acompanham, mas respeitam. Curte minha vibe, dá risada comigo e transamos muitoooo… E no final, eles ficam com outra ideia sobre a erva. É algo leve, natural, divertido!

5) A maconha é mais comum do que se imagina também no mundo da prostituição ou é só uma preferência pessoal?

Olha, demorei pra achar uma acompanhante canábica … (risos)… quando achei virou minha amiga, ela era super discreta com os seus novos clientes. Muitas vezes  eu vi ela preocupada com o cheiro, só fumava em certos lugares do flat e sempreeeeeee colírio antes de abrir a porta… hahahahahha… Depois que eu assumi nas redes sociais, não sei o que houve mais eu observei um numero maior de garotas assumido que marolava também. Curtir! Acho que maconha super ajuda a você se desinibir, ficar leve e se tornar uma boa companhia. Os papos são animados, mais interessantes, as idéias surgem proporcionando ao cliente momentos leves e ÚNICOS!! E é pra isso que eles procuram este serviço, pra relaxar!!!

6) Queria te parabenizar pela coragem, por contemplar o ideal de "sexo, drogas e rock in roll" na vida real e por ter aceitado falar ao Hempa. Máximo respeito.

Magina,

hempa

7) Foi um prazer… Manda seu recado pra galera que acompanha o blog:

Obrigado Hempadão, acompanho vocês a um tempão… Pra mim, foi uma onda vocês me acharem… Hahahaha… Ao Brasil, legalize já e a galera, vamos carburar!!!!

Alinne Brandão!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina