REeDUcaÇÃO #48 – Maconha é uma droga!

REeDUcaÇÃO

hempadao 13 fevereiro, 2014

por Guilherme Storti

“Maconha não é uma droga, maconha é uma planta”;

“Droga é aquilo que o homem produz, maconha é natural”

…e por aí vão as afirmações místicas que envolvem a maconha. Hoje em dia não é incomum encontrarmos pessoas que defendem esse tipo de tese, é muito comum, diga-se de passagem, encontrar em qualquer grupo de “maconheiros” pessoas que dizem que a maconha faz parte de uma categoria extraordinária no mundo das substâncias psicoativas, menos a de droga.

Lembro-me da primeira reunião da Marcha da Maconha Salvador de 2013, onde um pequeno grupo de pessoas que estavam presentes começou um embate (com a minha pessoa) por estar colocando a maconha e o crack dentro do mesmo patamar, ou seja, duas drogas. Fui amplamente questionado por este grupo sob os argumentos de que a maconha era uma planta e uma planta não poderia ser tratada como uma “droga”.

Além deste episódio da marcha, comecei a reparar em inúmeros ambientes o quanto a maconha é exaltada pelos seus usuários como algo a parte de tudo que existe no mundo das drogas. Não que não seja, não estou aqui querendo desqualificar essa planta tão querida, mas chega a ser algo meio que “xenofóbico” a forma com que determinados grupos se comportam quando o assunto é este.

Canso de ver maconheiros dizendo um monte de coisas sobre quem usa crack, cocaína ou álcool, mas esquecem que os usuários destas drogas são tão usuários quanto os de maconha, mudando apenas a droga de preferência.

Marcha da MaconhaPois para este grupo de pessoas, infelizmente terei que decepcioná-los e afirmar: MACONHA É UMA DROGA, SIM!

Antes de tudo é preciso salientar que droga é qualquer substância que, ao ser ingerida, altera o funcionamento normal de um organismo, mais precisamente do sistema nervoso central, causando efeitos e sensações que não costumamos sentir sem a ação de tais substâncias. Podemos considerar como droga qualquer substância que mude minimamente o nosso estado “normal”. O exemplo que eu uso bastante é o do açúcar, uma das drogas que mais mata no mundo, outro exemplo bem interessante é o do café, uma droga com altíssimo poder para causar dependência.

Mas e a maconha? Bom, algumas pessoas sustentam a ideia de que a maconha não é uma droga meramente por ser uma planta, e por ser uma planta ela não sofre alterações laboratoriais para que venha a ser consumida posteriormente. Portanto, não é caracterizada como tal apenas por ser consumida em seu estado natural.

Vale lembrar que praticamente todas as substâncias psicoativas são originadas da natureza e muitas delas são sintetizadas em laboratórios para satisfazer aos anseios da indústria farmacêutica e, porque não dizer, de toda a humanidade.

O fato de a maconha poder ser consumida em seu estado natural, é sim um privilégio inegável, mas isso não a coloca em outro patamar científico.

Acredito que ampliar o conceito de droga, entre alguns grupos de usuários de maconha, é um dispositivo e suma importância para um debate mais racional e coerente. Se identificar quanto usuário de drogas é o ponto chave para compreender o contexto atual de perseguição a esta categoria de pessoas no nosso país. Muitos ficam alheios à perseguição que as autoridades e a mídia fazem com os usuários de crack, mas poucos lembram que os maconheiros já estiveram neste papel um dia, o papel de um mal social.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina