Polícia no show da ConeCrewDiretoria!

WeedNews

hempadao 8 junho, 2015

Parece que a polícia resolveu desafiar o Supremo Tribunal Federal, que em 2011 decidiu que é legítimo e 100% legal a manifestação em defesa da legalização de qualquer droga. O alvo da vez foi a banda ConeCrewDiretoria, que foi acusada de apologia durante um show em Paty do Alferes, no interior do Estado do Rio. A maior parte da banda conseguiu entrar no ônibus, mas o Mc Cert acabou detido.

— Na última música, um produtor me avisou que a polícia queria prender a banda toda por apologia às drogas. Quando olhei para trás do palco, tinha uns 40 PMs esperando. Acho que eles perderam a paciência e subiram no palco. O Cone Crew tem dez anos de carreira. Todo mundo sabe o conteúdo das letras — contou Gabriel Batista, empresário da banda. Veja o vídeo:

 

A Polícia Civil informou que, de acordo com informações da 88ª DP (Barra do Piraí), o rapaz foi ouvido e autuado por apologia ao tráfico de drogas e desobediência.

A cidade de Barra do Piraí é vizinha de Miguel Pereira, onde o mesmo McCert foi preso, acusado de tráfico de drogas, no início deste ano. Cert passou pouco mais um mês preso por cultivar apenas quatro pés de maconha em casa. Na decisão, juiz declarou que não havia nada que provasse de que a droga encontrada com o rapper seria usada para o comércio ilegal.

Infelizmente o desrespeito a uma decisão da corte suprema da justiça brasileira tem sido algo comum no Brasil. Em São Paulo, alguns delegados estão enquadrando jovens que usam roupas estampadas com a folha de maconha, gerando um constrangimento ilegal com uma acusação já desqualificada pelo STF. Também em São Paulo, os cartuns campanha "Da proibição nasce o tráfico" tiveram a veiculação proibida nos ônibus. Agora, no Rio de Janeiro, temos essa tentativa de criminalização das músicas da Cone.

O desrespeito a uma questão resolvida pelo Supremo Tribunal Federal brasileiro é algo muito grave. Pode parecer bobagem (afinal o crime de apologia não gera prisão), mas o ataque a liberdade de expressão e manifestação é algo inaceitável em qualquer país dito democrático.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina