Plantação interceptada, Remédio negado… ê Brasil!

Hemportagem

hempadao 30 julho, 2015

Para quem trabalha com notícias sobre maconha incomoda muito perceber o número de gente sendo presa por cultivar maconha. É fácil concluir que TODOS os DIAS há casos de cultivadores indo parar atrás das grades. Será que a sociedade está mais segura com isso?

image

As histórias parecem crônicas da nossa tragédia pessoal por viver no Brasil. É traficante com mais de vinte pés quando na verdade são 23 sementes no copinho, é mídia sensacionalista com logo de Rede Globo, é o diabo.

São campos e campos de maconha selvagem, secando, fazendo frente ao paraguaio. É polícia fazendo rapel pra pegar dois… suspeitos de crime? Não. Dois pés de maconha. Essa erva deve mesmo ser bem perigosa.

image

Antes os exemplos de legalização pareciam distantes… era lá na Holanda, lá na Austrália, lá no Canadá e nos EUA. Mas agora é inevitável e a nação uruguaia esfrega na nossa cara os benefícios de se tratar a maconha como deve ser. Ao invés de maltratar, tratar, afinal de contas ela produz não só recreação, mas também remédio.

Por lá, o mercado e o número de jardins se multiplicam com aval do governo. "O negócio cresceu. Os turistas buscam suvenires e tudo o que é necessário para cultivar e fumar", conta Enrique Tubino, de 29 anos, um dos dois irmãos fundadores da Yuyo Brothers, loja pioneira ao estampar a folha de maconha em seu logotipo.

No Brasil uma luz no fim do túnel é o julgamento da descriminalização do porte de drogas que deve ocorrer na próxima segunda, no STF. Em tese passa a ser considerado inconstitucional o Estado punir alguém que porte drogas para consumo pessoal. Isso deveria abranger, sem dúvida, quem fabrica seu próprio fumo. Mas o que aguardar dessa "república das bananas"?!

Por aqui a ANVISA não consegue o canabidiol para crianças com síndromes raras. Nem isso.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina