Papo Reto Contra o Preconceito!

Caos in Casa

hempadao 18 março, 2014

Tenho 18 anos e fumo desde os 16. Acho que apesar de um pouco cedo foi a hora certa de eu ter começado. Vim de uma família não muito religiosa, mas muito conservadora, na qual a maioria adora uma boa birita, mas o baseadinho é o crime!

Eu também tinha essa ideia, até lá pros 12 anos, quando eu comecei a pensar "Por que existe marcha da maconha, se é uma droga? e por que não existe marcha para a legalização de outras drogas?" e foi aí que eu comecei a pesquisar, e foi nessa época mais ou menos que eu comecei a cortar a ingenuidade na minha vida e entender que as coisas não são muito bem o que parecem.

Moro com minha mãe e meus dois irmãos, e de vez em quando frequento a casa do meu pai. Meus irmãos são mais velhos e nem desconfiam disso, já minha mãe as vezes quando saio de casa, diz algo do tipo: "por favor, tenha juízo e não me faça nada de errado". Creio que nunca dei nenhuma pala dentro de casa.

Acontece que eu tinha muito medo de assumir que fumava maconha para meus pais, mas sempre tive vontade de contar, mas minha mãe não é o tipo de mãe que brigaria e gritaria comigo, é o tipo de mãe que iria chorar, e isso iria cortar meu coração, já meu pai faz mais o estilo bravo.

Certo dia então eu cheguei na casa do meu pai um pouco tarde, tinha ido na casa de um amigo com uma galerinha, fomos lá só trocar uma ideia, tomar umas brejas e fumar uns. Eu cheguei em casa com o olho vermelho, falei um pouco enrolado e ataquei a geladeira, até que meu pai que estava na sala vendo alguns filmes com minha madrasta, resolveu me chamar de canto, e fez a pergunta que me gelou na hora: "Você fumou maconha?"

Tive que contar, essa era a hora, a reação dele foi uma das piores possíveis, só não começou a gritar pois era tarde da noite e os vizinhos iriam acordar, mas ele falou um monte pra mim, me chamou de marginal, e tudo mais, e quando terminou de falar eu pedi a permissão para falar, pedi para sentar-se na mesa e se acalmar, e foi quando eu disse:

"Desculpa se isso te incomoda mas é meu jeito e eu fumo já fazem dois anos, eu trabalho e nunca repeti de ano na escola apesar de estudar na escola dita como melhor da cidade. Eu também nunca tive problemas no trabalho, nunca faltei e você nunca foi chamado na escola pois meus problemas eu resolvia sozinho. É a primeira vez que você me vê chegar diferente em casa, você acha que isso realmente me faz um vagabundo ou marginal? Semana passada você chegou bêbado em casa me chamando de seu herói por ter passado de ano sem recuperações, preste atenção nos seus valores pai, vou dormir e amanhã nós terminamos de conversar!"

Ele se foi calado, e por incrível que pareça no dia seguinte, quando fomos tomar café da manhã, ele me pediu desculpa, chorou ao meu ombro e apenas pediu para eu continuar a pessoa que era e que não queria que eu me envolvesse com outras drogas ou com coisas erradas.

Depois disso minha relação com meu pai continuou a mesma, depois de algum tempo se acostumando com a ideia, e hoje a discriminação dele com a maconha é muito menor, mas agora espero pelo dia para que eu possa contar para a minha mãe também…

Relato de um leitor enviado para redacao@hempadao.com



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina