Os 10 gênios Loucassos! [Portas da Percepção 298#]

Portas da Percepção

hempadao 28 novembro, 2014

traduzido por Jean Lefebvre

Muita gente diz que as drogas nos tornam burros. verdade ou não? Na verdade, o uso não torna ninguém mais inteligente, ele é apenas a porta de entrada, a vontade de evoluir e de aprender é necessária.Tem coisas que nem sabemos, que foram descobertas graças a estas substâncias. Vamos conhecer 10 dos mais influentes visionários científicos e tecnológicos da história, juntamente com os seus medicamentos de escolha.

1. Sigmund Freud – Cocaína

 

Para Freud, a cocaína era mais do que apenas uma recreação, ele a considerou como uma droga milagrosa, e por muitos anos foi um grande defensor de seu uso em em diversas ocasiões. Em uma carta escrita para sua noiva, Martha, Freud escreveu: "Se tudo correr bem, vou escrever um texto [sobre a cocaína] e eu espero que ela vá ganhar o seu lugar na medicina, ao lado da morfina e superior a ela … eu uso doses muito pequenas regularmente contra a depressão e contra a indigestão e com o mais brilhante de sucesso".

Freud publicou um artigo, intitulado "Uber Coca" em 1884. Curiosamente, o artigo de Freud foi um dos primeiros a propor a substituição da droga como um tratamento para o vício. Substituir a morfina com cocaína é algo que agora sabemos ser contraproducente para a recuperação, o conceito de terapias de substituição persiste até hoje.

2. Francis Crick – LSD

Francis Crick – um dos descobridores da estrutura do DNA, junto com James Watson e Rosalind Franklin – contou a vários amigos e colegas sobre seus experimentos com LSD durante o tempo que ele passou trabalhando para determinar a estrutura molecular que abriga todas as informações da vida.

Em uma entrevista em 2004 , Gerrod Harker lembra conversando com Dick Kemp, um amigo próximo de Crick, sobre o uso do LSD entre os acadêmicos de Cambridge, e diz ao Daily Mail que os pesquisadores da Universidade frequentemente tem usado LSD em pequenas quantidades como "uma ferramenta de pensamento". Crick em um momento revelou à Kemp que ele "descobriu" a forma de dupla hélice sob os efeitos do LSD.

3. Thomas Edison – Elixir de Cocaína 

Em 1863, o químico francês Angelo Mariani inventou o "Vin Mariani", um vinho de Bordeaux tratado com folhas de coca, o ingrediente ativo que era nada mais nada menos do que a cocaína. O teor de etanol no Bordeaux tinha como função extrair a cocaína das folhas de coca em concentrações superiores a 7 mg por onça fluida (aproximadamente 30ml) de vinho. Este inventor americano e conhecido por sua insônia (embora talvez não surpreendentemente) foi uma das muitas pessoas do período conhecido por consumir regularmente o "elixir de cocaína".

4. Paul Erdös – Anfetaminas

Paul Erdös – conhecido por sua hiperatividade, seu hábito de 19 horas de trabalho por dia, mesmo em sua velhice, e sua tendência a aparecer na porta de seus colegas pedindo que eles "abrissem a mente" para o diálogo sobre matemática – Foi um dos os matemáticos mais produtivos de todos os tempos, e teve mais publicação de artigos científicos do que qualquer outro matemático na história.

Seu segredo, segundo ele, eram as anfetaminas. Aqui esta um trecho de um livro publicado em 1998 por Erdös que explica sua propensão para o consumo de anfetaminas:

Como todos os amigos de Erdos (em especial o matemático Ronald Graham) estava preocupado com seu consumo de drogas. Em 1979, Graham apostou US$ 500 que ele não conseguiria parar de tomar anfetaminas durante um mês. Erdös aceitou o desafio e ficou de cara por trinta dias. Após Graham ter pago e escrito que os US$ 500 foram como uma despesa de negócio, Erdös disse: "Você me mostrou que eu não sou um viciado. Mas eu perdi um mês de trabalho. Eu levantava de manhã e olhava para um pedaço de papel em branco. Eu não tinha ideias, assim como uma pessoa comum. Você fez a matemática perder um mês de avanço." Logo em seguida voltou a usar as anfetaminas e ao trabalho.

5. Steve Jobs – LSD

O LSD foi importantíssimo para Steve Jobs. O quão importante? Evidentemente, Jobs acreditava que suas experiências com LSD na década de 1960 foram "uma das duas ou três coisas mais importantes que ele tinha feito em sua vida." Além do mais, ele descobriu partes dentro dele que as pessoas que trabalhavam com ele não compreendiam, simplesmente porque eles não tinham experimentado com psicodélicos. Este último sentimento é melhor explicado em sua biografia recentemente publicada, na qual Jobs associa o que ele interpretou como falta de imaginação de Bill Gates com a falta de experimentação com substâncias psicodélicas.

"Bill é basicamente sem imaginação e nunca inventou nada, e é por isso que eu acho que ele está mais confortável agora na filantropia do que tecnologia. Ele apenas descaradamente tem roubado ideias de outras pessoas."

"Ele seria um cara mais cabeça aberta", diz Jobs sobre Gates, "se tivesse tomado ácido uma vez ou ido a um ashram quando era mais jovem."

6. Bill Gates – LSD

O engraçado é que Bill Gates fez sim experiências com LSD, apesar de um trecho de uma entrevista de 1994 com a Playboy revelar que ele era muito menos aberto sobre o assunto do que Jobs:

PLAYBOY: Já experimentou com LSD? 
GATES: Minha juventude errante terminou há muito tempo. 
PLAYBOY: O que significa isso? 
GATES:. Isso significa que houve coisas que eu fiz antes da idade de 25 que acabei não fazendo posteriormente 
PLAYBOY: Uma história com LSD envolvia você olhando para uma mesa e pensando que o canto dela ia mergulhar em seu olho. 
GATES: (risos)
PLAYBOY:. Ah, um lampejo de reconhecimento 
GATES: Isso foi no outro lado da fronteira. A mente jovem pode lidar com certos tipos de situações que eu não acho que poderia nesta idade. Eu não acho que somos capazes de lidar com a falta de sono ou quaisquer desafios que exijam muito do seu corpo à medida que envelhece. No entanto, eu nunca perdi um dia de trabalho.

7. John C. Lilly – LSD, Ketamina

O neurocientista John C. Lilly foi um pioneiro no campo da estimulação do cérebro eletrônico. Ele foi a primeira pessoa a mapear a dor e o prazer e como elas se difundem no cérebro, fundando todo um ramo da ciência explorando comunicação entre os seres humanos e outras espécias, como os golfinhos e as baleias; inventado o primeiro alterador de privação sensorial do mundo, e realizou uma extensa experimentação pessoal com as drogas que alteram a mente, como LSD e quetamina.

Vale a pena mencionar que as experiências de Lilly com a comunicação entre espécies, o uso pessoal de psicodélico e privação sensorial ,eram muitas vezes sobrepostas.

8. Richard Feynman – LSD, maconha, ketamina

Feynman foi sempre cuidadoso com o uso de drogas, por medo do que elas podem fazer com seu cérebro, começando com o álcool, por exemplo, quando ele começou a apresentar sintomas de vício. Em "O senhor está brincando, Sr. Feynman!", ele escreveu: "Sabe, eu me divirto muito so de pensar em não destruir essa máquina tão agradável que torna a vida um pontapé tão grande. É pela mesma razão que, mais tarde, eu estava relutante em tenr experiências com LSD, devido a minha curiosidade sobre alucinações."

No entanto, a curiosidade de Feynman teve seu apice quando ele se familiarizou com ninguém menos que John C. Lilly e seus tanques de privação sensorial. Feynman experimentou brevemente com LSD, ketamina e maconha, que ele usou para trazer alucinações induzidas pelo isolamento em tanques, mais rapidamente do que ele poderia, quando sóbrio.

9. Kary Mullis – LSD

Quem, você pode estar se perguntando, é Kary Mullis? Vamos colocar desta forma: Se você já trabalhou em um laboratório de pesquisa biomédica apos os anos 1980, há uma boa chance de que você tenha realizado uma reação em cadeia da polimerase (mais conhecida como PCR,  técnica de laboratório que pode transformar um único segmento de DNA em milhões de cópias idênticas), ou, pelo menos familiarizadas com elas. Você tem de agradecer Mullis por isso. Enquanto Mullis não havia inventado a técnica de PCR, por si só, ele melhorou e revolucionou o campo da pesquisa biomédica impressionantemente, recebendo o Prêmio Nobel em química no meio tempo.

O segredo para o avanço, Mullis? Em uma edição da Califórnia Mensal Setembro de 1994, Mullis diz que ele "usou muito LSD" Nos anos 60 e 70, indo tão longe a ponto de chamar a sua experimentação com psicodélicos uma "abertura espiritual", "muito mais importante do que todos os caminhos e ensinamentos que ja havia seguido". Alguns anos mais tarde, em uma entrevista para a Ciência Psychedelic documentário da BBC, Mullis pensou em voz alta:" E se eu nunca tivesse tomado LSD? Eu teria inventado a PCR mesmo assim?" E após, respondeu a si mesmo: "Eu não sei. Duvido. Eu duvido muito".

10. Carl Sagan – Maconha

Astrofísico proeminente e cosmólogo Carl Sagan não só fuma maconha regularmente, como também é um forte defensor de seu uso na melhoria atividades intelectuais, embora não tão publicamente como outros nesta lista. Dito isto, Sagan fez um texto para contribuir para o livro de 1971 intitulado "Marijuana Reconsidered", que falou das virtudes do uso da maconha. A peça foi escrita com o nome "Mr. X. "A identidade de seu verdadeiro autor só foi revelado após a morte de Sagan.

Leia o original aqui
Este artigo foi publicado originalmente no Alternet .



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina