O papa condena legalização da maconha, mas as pessoas seguem fumando

WAW

hempadao 10 agosto, 2013

Há algumas semanas , o Papa Francisco expressou desdém pela recente tendência a favor da legalização da maconha, denunciando o tráfico de drogas e aqueles que "[semeiam] as sementes do sofrimento e da morte." Sim, você pode continuar a não se importar, pois, surpresa! , Papas não são muito tolerantes à drogas. No entanto, o Papa Francisco fez um de seus pontos muito claros. "A redução do número de usuários e a influência nos dependentes de drogas não serão alcançados por uma liberação do uso de drogas", disse ele a uma multidão no Brasil, mês passado.

Mas, honestamente, não importa o que o papa diz sobre as drogas. Importa quando e como ele diz. Dirigindo-se a legalidade da droga em um momento de tal reforma política importante serve apenas como um ato desesperado da Igreja Católica. Nações como a Argentina, país de origem do papa, já escolheram tolerar o uso de drogas simplesmente baseados no fato de que é um direito humano básico.

Até mesmo o Brasil, país que recebeu o papa durante seu grito de guerra contra as drogas, já descriminalizou a posse pessoal. Uruguai e Equador seguiram o exemplo. Aqui nos EUA, Colorado e Washington carregam a tocha e mais estados estão propensos a seguir. O efeito dominó vai continuar apesar do protesto Papa Francisco.

No entanto, ele mantém sua posição contra as drogas. E, embora seja decepcionante ouvir do Papa "quem sou eu para julgar?" Francisco patrocinando políticas fracassadas que continuam a aplicação da lei atual, mesmo contra a opinião do povo, nem toda a esperança por mudança na lei de drogas está perdida.

Portugal, um país muito católico, tem demonstrado um enorme sucesso com as suas leis cada vez mais liberais sobre drogas, principalmente por reconhecer a dependência de drogas como um problema de saúde, em vez de um problema de segurança pública. Isso nos diz que não pode haver uma relação entre religião e uso de drogas.

Portanto, nós que entendemos os tons de cinza associados às drogas é melhor ir ignorando esta advertência papal. Deixe o papa ser o papa. A luta pela reforma da legislação sobre a maconha não precisa de aprovação do papa e tem se desenvolvido explendidamente sem ele. Não vamos permitir que suas palavras tenham um impacto negativo sobre o que potencialmente pode se tornar uma política de drogas construtiva e compreensiva.

FONTE: AQUI



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina