Minhas plantas estão morrendo! E agora?! [Cultivo Vital Ed. #267]

Cultivo Vital

hempadao 13 abril, 2014

por Sergio Vidal*

Antes de entrar no artigo dessa semana queria me desculpar por que a semana passada ficamos sem artigo. Meu computador está com problemas e isso tem dificultado muito minha produção escrita, mas isso já está sendo resolvido e em poucos dias tudo voltará ao normal. Essa semana discutiremos uma mensagem que foi recebida através do email do Hempadão. Você também pode enviar suas mensagens para o email hempadao@gmail.com e aconselho a tod@s que ao enviarem suas dúvidas sobre cultivo procurem mandar com o máximo de detalhamento possível, incluindo descrição da estufa e equipamentos usados, nutrição, como é o solo, quais os cuidados são tomados com a planta. Também é muito importante que sejam enviadas fotos em boa resolução. Tudo isso ajuda no diagnóstico mais preciso do problema, facilitando na hora de emitir um aconselhamento.

Agora, vamos à mensagem:
"Fala galera do Hempadão, blza? Tem como passar essa dúvida pro Sérgio Vidal? Minhas plantas tão morrendo não sei pq, tô meio desesperado.


-Sérgio, bom dia! Estou com um problema que não sei qual a causa. Já é a terceira planta minha que acontece isso, sempre no início da flora. Ela começa a secar, como se estivesse faltando água, e isso vai aumentando, se espalhando pela planta. Morrem alguns galhos, depois vai se alastrando e termina matando toda a planta.

Eu não sou um cultivador inexperiente, estou chegando na fase de intermediário. No entanto, duas plantas minhas já morreram, e essa outra da foto está com o mesmo problema. Essa planta em particular é uma menor, que estava com algumas deficiências, mas as outras duas estavam saudáveis, sem nenhum tipo de problema nas folhas. O que me preocupa é que isso passe pras outras, pois estou com algumas crescendo desde o fim do inverno em out.

Já fiz flush, mas não adiantou. Já cortei os galhos afetados (da outra planta que morreu), mas não adiantou… Tem ideia do que pode estar causando isso??

Ah, estou usando Big Bloom, Tiger Bloom, Grow Big e Fert-i-fish, dentro das especificações, sem exagerar."

Bom, as fotos não estão numa resolução muito boa e é difícil de afirmar com precisão, porém há sinais de que suas plantas estejam sendo atacadas por pragas. Nas folhas há muitos pontos esbranquiçados e amarelados, o que é sinal de que por baixo das folhas devem haver ovos e larvas de insetos sugando a energia das folhas para alimentar o seu próprio desenvolvimento. Não dá pra dizer se os caroços brancos que vejo no caule da planta são outro sinal de pragas, porque, como disse, a foto está muito pouco definida. Mas, e todo caso, há sinal de que as plantas estão morrendo por causa de um ataque crônico de pragas.

É difícil afirmar, porque eu não estou acompanhando o jardim desde o princípio, mas por minha experiência e pelos relatos de cultivadores que já entrevistei, normalmente quando ocorre um ataque de pragas que sugam a energia da planta as folhas dão sinais de amarelamento e alguns cultivadores acabam apenas identificando o sinal de "fome de nutrientes". E, de fato, esse é o sinal que as pragas dão. Se o cultivador não fica atento ao aparecimento dos insetos, a pequenos ovos ou larvas na parte inferior das folhas, ou a pulgões ou cochonilas aderidas ao caule, acaba apenas percebendo a consequência da praga, que é o amarelamento das folhas e entende apenas que a planta está com fome e então ao invés de tratar o ataque de pragas, dá sobredoses de fertilizantes. Não estou dizendo que é o seu caso, estou apenas citando algo que ocorre, que é para todos ficarem mais atentos.

De fato, a melhor maneira de lidar com as pragas é a prevenção e isso pode ser feito pulverizando óleo de neem diluído em água 1 vez por semana ou a cada 15 dias, até que as plantas entrem em floração. Para tratar plantas já afetadas é necessário usar soluções mais fortes, que variam de acordo com o tipo e infestação. Para saber quais pragas estão afetando seu jardim seria bom fotos em alta resolução. Mais abaixo segue uma tradução de um trecho do livro Marijuana Growers Handbook, do guru do cultivo, Ed Rosenthal, no qual ele indica as melhores soluções para as pragas mais comuns:

Afídios

Prevenção: Filtros de Ar, Monitoramento constante, controlar proliferação de formigas, pulverização periodica com óleo de neem;

Tratamento: Predadores naturais (joaninhas), Beauveria bassiana (fungo benéfico), óleos pesticidas à base de plantas como neem, cravo cinamon e outras. Há algums produtos no mercado disponível. No mercado brasileiro o mais comum e utilizado é o Azamax.

Spider Mites

Prevenção: Filtros de Ar, Monitoramento constante, pulverização periódica com óleo de neem;

Tratamento: Se proliferam em climas secos. Na fase vegetativa é possível aumentar a umidade da estufa para frear o desenvolvimento da infestação. Óleo de neem, azamax e outros produtos específicos. Velas de Enxofre. Em estufas enriquecidas com co2 é possível aumentar as taxas para matar as aranhas já que elas não sobrevive a Altas concentrações de dióxido de carbono.

Ah, antes de concluir, queria falar mais 2 coisas que considero importante, que podem parecer detalhes, mas, como diz o ditado, o diabo está nos detalhes:

1 – Ao pulverizar óleo de neem ou qualquer outro defensivo ou produto do gênero é importante lembrar que pulverizar não é jogar umas gotinhas pra molhar, é procurar fazer com que o máximo de áreas da planta seja tocada pela solução, para que fique protegida. Procure usar pulverizadores de boa qualidade, que cumpra de forma eficiente a função. Pulverizadores de pressão prévia são caros, mas de fato são os melhores para o trabalho. Mudas e clones pequenos, que estejam em vasos de até 1 litro, podem ser mergulhados totalmente em um balde com solução de água com óleo de neem, ou azamax, para prevenir as pragas. Para isso é importante que sua mão seja grande o suficiente para cobrir a área da superficie do solo enquanto vira o vaso para molhar a planta na solução. É uma operação que deve ser feita com muito cuidado. No vídeo abaixo ensina a fazer essa operação utilizando uma solução nutritiva, porém o princípio é o mesmo.

2 – Evite misturar fertilizantes que não foram feitos para serem misturados, especialmente se forem de empresas diferentes. Cada empresa tem uma fórmula particular e os produtos químicos utilizados nos nutrientes nem sempre interagem de forma positiva. Se quiser utilizar nutrição alternando produtos, procure dar doses menores e aplicá-los em dias diferentes.

Mais uma vez espero que tenham gostado do texto e, principalmente, que ele tenha ajudado a esclarecer mais a respeito da natureza da cannabis e do seu cultivo. Enviem suas mensagens, críticas, etc e, principalmente as dúvidas, preferencialmente com fotos, para o e-mail:hempadao@gmail.com

Até semana que vem! namaste!

Consulte outros artigos sobre cultivo: Clique Aqui  e aqui

*Antropólogo, Redutor de Danos e Cidadão Ativista engajado na construção de um Brasil com leis e políticas públicas sobre maconha e outras drogas mais humanas e eficientes. Autor do livro Cannabis Medicinal Introdução ao Cultivo Indoor.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina