MDMA e depressão (PARTE 2)

Portas da Percepção

hempadao 18 julho, 2015

por Fernando Beserra

Na última semana iniciei o debate sobre a importância que o MDMA pode possuir, aliado à psicoterapia, no tratamento do processo depressivo. Nesta segunda parte do post, trarei um relato que se coaduna com os efeitos psicodélicos e de abertura que o MDMA pode vir a promover. Este relato é oriundo do livro Through the gateway of the heart.

O livro Through the gateway of the heart, com prefacio de Ralph Metzner, organiza-se em três sessões: relatos de uso de MDMA por mulheres, por homens e em grupo. O livro, organizado por Sophia Adamson, é muito interessante, pois além dos relatos, expõe de forma básica, em cada caso, o set e o setting do uso respectivo. Abaixo segue a tradução do relato de uma mulher de 45 anos, mãe e estudante de pós-graduação; no livro, omite-se o estudante de pós-graduação (que se lê no seu relato) e acrescenta-se “dona de casa” (housewife). O set foi espiritual e de auto exploração. O nome dado ao relato do uso de MDMA foi: “As 1000 pétalas de lótus desdobrando e desdobrando”. Aproveitem:

Por que eu quis tomar Adam[1]?

Tenho me sentindo vazia por dentro – uma perda de sentido pela minha vida. Eu visualizei a mim mesma como uma crisália – algo está dissolvendo e algo está se reformando. Mas eu não conheço a forma do que está aqui – eu não estou em contato com meu Si-mesmo. Essencial. Eu quero encontrar minhas conexões espirituais – o som e o gosto do meu próprio Si-mesmo Emergente. Minha persona externa está quase intacta, quase reconhecível, quase

Então eu perguntei ao meu Si-mesmo como eu posso aceitar, da melhora forma, minha vida como ela é hoje? Onde eu encontro a coragem para fazer as mudanças necessárias e deixar partir o resto das coisas que não são mais relevantes? Onde estão os óculos cor de rosa para mudar minha atitude de forma que eu possa verdadeiramente aproveitar a liberdade de viver sozinha? Como eu posso alcançar a serenidade de receber cada dia como ele vem e não tentar recriar o passado ou preocupar-me com o futuro?

Como eu posso abrir meu coração novamente? Eu me sinto tão desligada do Amor. Eu sinto medo de não estar amando, ter bom coração e ser totalmente carinhosa com nada ou com ninguém. Eu quero reconectar-me com a parte inocente, alegre do meu Si-mesmo.

Ontem a minha guia me deu um grande presente de Adam. Levou aproximadamente 45 minutos para a droga fazer efeito, então nós sentamos na sala de estar e conversamos. Foi tão agravável estar com ela.

Nós começamos com música do Kitaro. Eu mergulhei um tempo. Então eu comecei a ver padrões surpreendentes. Eu achava que era um vazio, mas ele era tão complexo e intrincado… maravilhoso. Eu pensei sobre tentar captura-lo então e pintar ele ou reproduzi-lo, mas eu sabia que eu não queria fazer isso. Eu não poderia segurá-los – eu apenas deveria deixá-los ser e aproveitá-los. Alguns dos padrões eram como penas – penas de pavão e penas de faisão. Eu senti como se os designs fossem uma mensagem para o meu Si-mesmo – que há toda essa complexidade – que a vida é muito rica.

Em seguida, houve música estrela (star music) – muito abatedora. Eu vi uma grande árvore contra o céu com dragões no fim dos ramos e Asclepias contra um céu azul de outubro – guindastes voando e grandes garças azuis. Eu senti como se eu estivesse voando. Minhas pernas tencionaram e meus ombros e minhas costas arquearam e minha mandíbula retesou. Eu senti como se eu estivesse preparada para voar.

Eu percebi que eu não tenho que fazer nada diferente com minha vida. Está tudo aqui agora. Eu não tenho que mudar minha vida. Ela está muito cheia agora! Isso parece bom para mim!

A essência desta experiência para mim foi um Conhecimento mais profundo. Eu não escutei vozes ou vi figuras psicodélicas com bordas brilhantes e coloridas. Parece que eu me liguei em uma fonte de força e conhecimento que sempre esteve lá, mas eu esqueci. Eu “vi” com nova claridade e sem sentimentalismo.

Eu analisei algumas pessoas que eu amo. Eu pensei muito sobre Amor, que há um amor inteiro entre nós, que o que há é muito de amor na minha vida e eu não dei crédito o suficiente para isso. Todas essas pessoas que eu estive recebido me amam e eu os amo. Eu encontrei que eu não sei se eu realmente quero outro parceiro de casamente – ou mesmo um parceiro sexual – que eu não quero fazer viagens com as pessoas, que eu tenho medo de colocar o esforço necessário em fazer outro casamento, que eu quero alguém para brincar e se divertir com – mas já há muitas pessoas amadas na minha vida.

Eu vi um campo brilhante distante com uma luz solar que brilha sobre ele e um caminho levando para fora de alguns portões e mais um rio. Eu vi alguns homens andando para longe de mim no caminho e sobre o rio fora da minha visão. Eu percebi que é provavelmente verdade – que não haverá mais homens em minha vida, pelo menos como um parceiro real. Em seguida, os portões foram fechados. No entanto, há muitas pessoas em minha vida e não preciso de um homem. Eu não preciso de mais ninguém. E alguém pode vir, mas eu não preciso dele. É uma sensação de carência que é tão terrível.

Bela música de flauta, passando sobre a paisagem da Califórnia, apreciando como é a beleza do mundo. Então eu vim alguns passos para cima da escapada em uma lenta espiral com flat construído acima. Toda estruturada parecia girar em um eixo fixo – a Estrela do Norte. Isso é a experiência do divino para mim – eu sou uma humanista – eu não preciso de um deus supernatural. Há tanta beleza em torno – e tanto amor – e tantas pessoas maravilhosas. Isso é o suficiente. Eu me senti muito aberta e eu estive me sentindo tão fechada e não amada por tanto tempo. Eu senti que há um processo de polimento de óculos e ver o que está aí.

Então eu percebi algo sobre a Confiança – eu percebi que eu você pode acreditar em outras pessoas “to five their own fives”, que eu não tenho que maternar pessoas mais ou cuidar delas. Eu sei que minha tarefa agora é trabalhar a mim mesma e descobrir minha própria força, que eu não preciso de outras pessoas mais. Eu senti que eu me conectei profundamente com a fonte da minha Força. Eu não ouvi nenhuma palavra e eu não vi muitas imagens, mas lá estava um profundo CONHECIMENTO que eu poderia me conectar com. Eu me senti maravilhosa sobre mim mesma – eu não tenho que tentar de forma tão dura. Apenas ser! Simplificar as coisas um pouco e passar mais tempo comigo mesma.

Durante esta experiência eu tive várias sensações corporais – eu me senti muito leve a maior parte do tempo, exceto pelas contrações musculares que não eram tão distrativas – adicionada a sensação de voar. Eu verifiquei todo o meu corpo e me senti muito saudável – sem dores ou problemas. Meu corpo está me servindo bem.

Eu verifiquei o entorno para ver se havia algo que eu poderia descartar na minha vida, uma forma que eu pudesse simplificar as coisas. Atualmente não há muito que eu queira me livrar. Mas eu posso ir mais devagar. Todas as pessoas na minha vida são muito importantes para mim e eu não posso parar de vê-las, nenhuma delas. Mas eu tenho que ter clareza sobre quanto espaço eu preciso para mim. Eu quero ficar conectada com todas as pessoas que eu amo e eu sei que ficar conectada necessita de trabalho, tempo e energia de amor e eu tenho muita desta energia de amor agora. Mas eu sei que as pessoas vão respeitar minha necessidade de mais espaço e será mais fácil para todos se eles não me perceberem sendo tão carente.

Mais paz amorosa na música de flauta que soava como um vento – como a respiração de Deus – e eu realmente vim a saber que há Espírito em torno de todos nós. Eu experienciei as 1000 pétalas de lótus desdobrando, desdobrando e desdobrando e eu sabia que você nunca pode realmente chegar ao Centro – mas que ele está lá!

Nós conversamos de novo sobre Amor e meus sentimentos e meu sentimento tão desligado dele. Toda esta experiência tem sido uma Abertura do Coração. Eu quero me mover cada dia mais lentamente – estar aqui agora – não tão freneticamente, não neste pânico sobre ser deixada sozinha. Eu quero aproveitar minha solidão. Eu vi que pode ser o tempo de fazer alguns compromissos que serviram para me manter nesse espaço de Paz Interior do Coração.

Eu apenas comecei no Caminho e eu não sei o que vai acontecer, mas eu quero permitir o que for acontecer de acontecer.

Depois da experiência eu me senti incrivelmente alta e relaxei e fiquei feliz, mas no dia seguinte eu comecei a me sentir para baixo e me senti exausta, de forma que comecei a questionar toda experiência. Eu realmente tinha tocado alguma Verdade Interior? Ou tudo isso tinha sido uma inteligente pré-programação da música e das discussões que tivemos enquanto a droga estava entrando na minha correte sanguínea?

Eu decidi assegurar a experiência fazendo algumas mudanças em minha vida. Eu decidi que eu queria começar a meditar regularmente, novamente, todo dia e eu estou fazendo isso desde o dia 4. Isso tem sido muito calmante e me ajudou a voltar ao estado de paz que eu experimentei na sessão com a droga. Decidi ouvir música mais regularmente – apenas escutar a música e não a usar como pano de fundo, mas escutar com meu coração e, também, isso é maravilhoso.

No dia 8 eu percebi que eu sabia o que o Amor Incondicional significa! Eu sinto este grande e delicadamente amoroso sentimento – isso não requer que se faça nada – eu não tenho que receber o amor de alguém por fazer algo para eles. Eu apenas tenho que estar aqui, com eles e amá-los e com a maioria das pessoas isso é maravilhoso. Eu tive muito feedback dos outros participantes a minha pós-graduação.

Agora me sinto mais fácil com todas as pessoas que eu amo – menos obrigações e carência. Eu sinto que eu abandonei minhas preocupações (dropped my concerns) por sua felicidade, que eu posso confiar nelas para encontrar seus próprios caminhos. Isso é uma extensão da minha consciência crescente de que eu sou maternando por meio de outras pessoas – eu estou, finalmente, pronta para me concentrar em maternar a mim mesma.

Fazem agora 02 semanas desde que tive minha experiência com Adam. Eu estou dormindo muito melhor – sem ajuda por 4 noites. Especialmente, eu estou me sentindo mais calma e em paz com o universo do que eu estava por anos. Eu fiz um par de adoráveis monoprints para iluminar um poema de Rumi:

The clear bead at the center changes everything

There are no edges to my loving now.

Ainda é difícil para mim aceitar a verdade do meu conhecimento – muito da minha realidade do dia a dia parece contraditória. Eu estou começando a aceitar os paradoxos.


[1] – Adam era o nome utilizado pelos terapeutas para referir-se ao MDMA.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina