Maioria dos Canadenses quer afrouxamento da Lei sobre Maconha

WAW

hempadao 31 agosto, 2013

Justin TrudeauO apoio de Justin Trudeau à legalização da maconha e o fato de ele ter admitido que fumou há três anos mostra que o líder liberal parece estar do lado da opinião pública.

Essa opinião tem sido cada vez mais crescente tanto pra quem é oposição quanto pra quem é do governo, com apoio da maioria dos canadenses pela descriminalização ou legalização na última década. Esses apoios vêm através das fronteiras regionais, geracionais e políticas. Apesar de ser menos favoráveis do que os outros, os canadenses mais antigos e conservadores estão a bordo dessa reforma da legislação sobre a maconha.

 

A evolução do apoio à legalização

A tolerância à maconha já foi bem menor no passado. Uma pesquisa feita por Gallup em 1970 constatou que apenas 41 por cento dos canadenses apoiavam dar multas, mas não sentenças por posse de maconha, enquanto 45 por cento se opuseram. Em 1977, a Environics fez outra pesquisa e mostrou que apenas 19 por cento dos canadenses apoiaram a legalização completa, e 77 por cento se opuseram.

Mas na década de 1990, uma pequena maioria de canadenses discordava que a posse de maconha deveria continuar a ser crime, segunda uma pesquisa da Angus-Reid, enquanto as pessoas que disseram à Environics que apoiavam a legalização aumento 29 por cento em 1995.

Em meados dos anos 2000, o apoio à descriminalização ou legalização havia alcançado a maioria dos canadenses. Enquanto 45 por cento – uma pluralidade, mas não a maioria, dos entrevistados – apoiaram a descriminalização em uma pesquisa da EKOS de junho de 2000, que aumentou para 50 por cento até 2010 e 66 por cento na pesquisa mais recente realizada pela Ipsos-Reid no documento, em junho de 2012. O apoio à legalização chegou a 55% na pesquisa Angus-Reid de 2007 e vem oscilando desde então. Angus Reid encontrou apoio para a legalização de 50 por cento em novembro de 2010, por exemplo, e 57 por cento em novembro de 2012. Apenas 39 por cento eram contra a legalização nessa enquete, a mais recente pedindo explicitamente a legalização.

Aprovação esmagadora hoje

Mas quando dada uma escolha entre legalização e descriminalização, a opinião é dividida. Uma pesquisa realizada na semana passada pela Research Forum descobriu que 36 por cento dos canadenses preferem a legalização, enquanto 34 por cento foram a favor da descriminalização. Outros 15 por cento acham que as leis devem ser mantidas como estão (uma proporção que tem vindo a diminuir ao longo dos últimos dois anos), e 13 por cento pensam que as leis deveriam ser mais duras. No entanto, um relaxamento das regras relativas à maconha é esmagadoramente favorito: 70 por cento disseram que queriam a legalização ou descriminalização.

Deve-se notar que os canadenses não veem diferença entre a maconha e outras drogas ilícitas. A Angus-Reid descobriu que, enquanto a legalização tem o apoio da maioria dos canadenses, o apoio para a legalização de outras drogas como a cocaína, o ecstasy, a heroína e a metanfetamina registrou apenas um máximo de 10%. Em outras palavras, o apoio à legalização da maconha não é uma posição libertária em favor de menos intromissão do governo, mas um apoio especificamente a esta droga em particular.

(A falta de) Um conflito de gerações

E, ao contrário da opinião popular, o movimento do líder liberal não deve necessariamente ser visto como um meio de capturar o voto dos jovens. As pesquisas não mostram que os novos canadenses são sempre os mais propensos a apoiar a legalização. Na verdade, parece que o conflito de gerações é apenas entre os idosos e o restante da população.

A pesquisa realizada pela Ipsos-Reid em junho de 2012 sobre a descriminalização encontrou apoio maior entre os canadenses de meia-idade entre as idades de 35 e 54 anos (69 por cento), enquanto ele ficou em 68 por cento entre os 34 ou menos. A taxa de apoio ainda é alta entre os canadenses mais velhos (62 por cento). Os resultados da pesquisa da Angus-Reid de novembro de 2012 sobre a legalização foram semelhantes: 58 por cento de apoio entre 18 a 34 anos de idade, 61 por cento entre aqueles com idades entre 35 e 54 anos, e apenas 51 por cento entre aqueles de 55 anos ou mais . Essa tem sido uma tendência consistente: a pesquisa Angus Reid, de 2007, descobriu uma distribuição similar.

A votação pelo Fórum foi menos consistente sobre o assunto com nenhuma correlação aparente entre a idade e apoio para legalização ou descriminalização, embora em suas duas últimas pesquisas, o apoio à legalização foi mais elevado entre os jovens. Por outro lado, também têm demonstrado que o aumento mais significativo do apoio para alguns relaxamentos das legislações vem entre os canadenses mais antigos.

Em qualquer caso, se existe algum tipo de lacuna geracional, ela deve ser entre aqueles que eram adolescentes antes e depois de, digamos, o ano de referência de 1968. Que em geral se alinha com a diferença mais importante registrada pela Ipsos-Reid e Angus-Reid entre canadenses acima e abaixo de 55 anos. Mesmo assim, o consenso entre os canadenses mais velhos ainda é a legalização ou descriminalização.

Sem divisões partidárias

Politicamente, o movimento poderia pagar dividendos para o líder do Partido Liberal. O apoio para tanto a legalização quanto a descriminalização atravessa as linhas partidárias, com os liberais e os Novos Democratas quase igualmente divididos entre o apoio para ambas opções. Mas os conservadores, offside com a opinião pública em geral, parecem estar no caminho errado com seus próprios partidários: 62 por cento deles disse ao Forum que favoreceram ou legalização ou descriminalização.

Além disso, o apoio à legalização foi consistentemente maior em British Columbia. A província está para se tornar num grande campo de batalha em 2015, e os liberais parecem estar no lado certo da questão lá. Em todo o país, parece que os liberais não perceberam grande parte do risco em se movimentar tão fortemente sobre as alterações à forma como a lei lida com a maconha. Se os conservadores e NDP são para usar a posição do Sr. Trudeau contra ele, eles vão primeiro ter que transformar a opinião dos próprios canadenses sobre a droga.

Leia o original em inglês AQUI



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina