Maconheiro e o Drama Familiar!

Caos in Casa

hempadao 4 março, 2014

download (1)Me chamo L., moro em São Paulo e fumo há quase 3 anos, desde os meus 14 ou 15 anos sempre tive vontade de experimentar a erva, o que me levou a experimentar com 16 anos em  uma viagem com amigos e já consumi pensando em continuar, fumei por uns 8 meses e fumava em casa mesmo, trancava a porta do quarto de madrugada e ninguém sentia o cheiro até que um dia esqueci a janela fechada e quando minha mãe entrou no quartou não deu outra, ela sentiu o cheiro na hora, fiquei totalmente sem reação e ela me tratou como se eu fosse um dependente químico pensando até em me internar, contou pra toda a familia, pra mães de amigos e todo mundo veio conversar dizendo pra eu parar e tal, prometi parar pra tentar ganhar a confiança mas fumava esporadicamente.

   Fiquei 1 ano fumando pouco, saindo muito pouco e estudando pra caralho, eu que nunca tinha estudado passei na 2º fase da Unesp mas ainda assim não consegui ser chamado, ja tinha ganho a confiança de todo mundo quando um colega que tinha me chamado pra fumar e que tem uma mãe totalmente pirada nessas coisas deixou o facebook aberto, claro que a mãe dele não perdeu a oportunidade e leu todas as conversas e ela que é amiga da minha mãe ligou na hora e mostrou tudo. Nesse dia ela me chamou pra conversar e tava ela e meus irmãos, meu irmão nem falou nada demais só me zoou como se eu fosse um bandido, minha irmã e minha mãe gritaram e tal mas eu não abaixei tanto a cabeça dessa vez disse que sabia o que tava fazendo e que não pararia, a resposta foi rápida e logo já perdi a confiança de vários familiares e até a amizade de alguns.

   Hoje tenho 18 e minha mãe mal tem diálogo comigo e se opõe a todas minhas opiniões como política e outras coisas, por causa da maconha ela me obrigou a trabalhar para pagar o cursinho, o que vai me fazer perder um tempo valioso mas esse ano eu vou estudar mais ainda pra provar que o estereótipo de maconheiro vagabundo dela ta totalmente errado, apesar de compreender de onde vem essa preocupação dela já que meu pai foi alcoolatra e meus tios morreram sendo dependentes químicos ela conclui que eu vou ficar igual. Gostaria que minha mãe me compreendesse e colocasse nosso relacionamento acima dessas coisas, eu diminuo a dose de erva naturalmente e sei que vou parar daqui há tempos, mas as vezes sinto que eu estou lutando mais pela minha liberdade do que por fumar simplesmente. Amo minha mãe e gostaria que nosso relacionamento fosse mais saudável mas a barreira entre nós parece cada vez mais forte.

Valeu a todos que postaram e comentaram no site que me ajudou a ter coragem de postar.

Mande sua história para: hempadao@gmail.com



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina