“Eu achava que em 2016 ia estar vendendo maconha na padaria”, lamenta D2

Aspilão

hempadao 3 fevereiro, 2016

“Eu já fiz a minha parte. Neguinho tem que fazer a dele. O triste é que não mudou muito coisa sobre esse assunto desde que comecei a cantar. Aliás, não mudou quase nada. A gente vê o mundo inteiro andando a passos pequenos. A legalização da maconha está longe. Mas eu acho que vai acontecer. O problema é que tem muito coronel trocando voto por dentadura. O país ainda está engatinhando. Eu achava que em 2016 ia estar vendendo na padaria. Não é possível, cara. É mais triste ainda ver que o trafico é tão violento e ganha tanta força. Quando eu falo do tráfico, me refiro à guerra: fronteiras abertas para as armas, policia corrupta, moleque novo com fuzil. É triste para todo mundo. E tudo isso em prol de que? De que a maconha faz mal?”

Marcelo D2,
em entrevista para Heloisa Tolipan

Mais um tapa: Entrevista irada do D2 com o Capitão Presença



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina