Juiz autoriza repasse de maconha apreendida para pesquisa científica

Hemportagem

hempadao 20 outubro, 2016

Uma das muitas desgraças da lei que proíbe a maconha no Brasil é o impedimento da realização de pesquisas científicas com a cannabis. Felizmente, uma decisão ainda isolada do juiz federal Arthur Napoleão Teixeira Filho, autorizou o repasse de maconha apreendida à Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). 

O material será utilizado na tese de doutorado da pesquisadora Kátia Simoni Bezerra Lima. O projeto intitulado de “Desenvolvimento de fitoterápico anti-inflamatório em forma farmacêutica sólida à base de Cannabis sativa” necessitava do fornecimento de amostras vegetais (raiz e partes aéreas) da planta e agora, parece que vai conseguir isso. 

Para ter acesso a plantas oferecidas pelo juiz, a pesquisadora ainda precisa de uma autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Normalmente, as drogas ilícitas apreendidas de acusados de tráfico ou porte para uso pessoal ficam apreendidas até a conclusão do julgamento e depois são incineradas. 

Felizmente, desta vez a apreensão gerada por uma lei estúpida pode ter um destino nobre e ajudar no desenvolvimento da medicina canábica brasileira. O Hempadão deseja sucesso na pesquisa da professora Kátia.



3 respostas para “Juiz autoriza repasse de maconha apreendida para pesquisa científica”

  1. Dyogo disse:

    Na verdade teria que autorizar o plantio de forma controlada, porque maconha apreendida não tem procedência e pode pesar negativamente na pesquisa da planta.

  2. Henrique disse:

    Sucesso à pesquisadora e à pesquisa!!

  3. Agrônomo disse:

    Muito legal.
    Só para constar. Nossa amiga Kátia está cursando o Doutorado, portanto não é professora ainda. Para o desenvolvimento de sua Tese ela recebe a orientação de um(a) Professor(a) que infelizmente não citado(a).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina