Jogador do Steelers revela: “Quase todos usam maconha na NFL”

Clipadão

hempadao 14 fevereiro, 2014

Fonte: Fox Sports

Ryan Clark, do Pittsburgh Steelers, se mostrou favorável à liberação da maconha para os atletas da NFL

Está no papel. Você pode concordar ou não. Mas lei é lei, e ela diz que o atleta não pode usar maconha, caso contrário, pode ser suspenso se pêgo no exame para identificar substâncias proibidas no organismo. Na NFL não é diferente. As punições são até mais brandas, mas a multa e algum tipo de suspensão são medidas de praxe da Liga. Só que cresce cada vez mais o discurso de que o futebol americano profissional deveria liberar a maconha.

Só nessa semana foram dois jogadores. Primeiro, Antonio Cromartie, do New York Jets. Agora, Ryan Clark, do Pittsburgh Steelers. A tese de ambos é a mesma. Eles acreditam que é besteira proibir o uso da maconha, já que mesmo como uma substância ilegal para o esporte, isso não faz com que ela deixe de ser usada por grande parte da NFL.

Clark acredita que a maconha seja até benéfica para os colegas de futebol americano. Não para uso recreacional, mas que a erva seria uma forma de aliviar as dores causadas pelo contato físico e pelo estresse. “Não é que meus companheiros usem para parecer legais, mas é uma forma de desestressar, controlar as dores e evitar remédios mais pesados que podem levar a algum tipo de dependência”, disse à ESPN norte-americana.

O jogador aproveitou para deixar claro que não usa maconha, mas que é favorável a uma posição mais branda NFL. Para ele, o que é feito hoje pela Liga não impede ninguém de usar a droga. “É uma luta já perdida e que não se pode vencer. Muita gente dentro dos times usa e não há como fiscalizar. Só há um teste no ano e é só ao longo da pré-temporada. Depois nada mais é feito”, afirmou.

Antes do Super Bowl XLVIII, o comissário da NFL, Roger Goodell foi perguntado sobre a liberação da maconha para uso dos jogadores da Liga, mas negou que alguma mudança esteja nos planos para os próximos anos. “Vamos continuar a seguir nossa política medicinal, já que nossos especialistas não acreditam que há motivos para mudá-la. Não é algo que pensamos por agora, mas também não é algo que possamos considerar mais para frente”, disse Goodell em encontro com os repórteres na coletiva de imprensa pré-Super Bowl.

E se a política medicinal da NFL não muda, o mesmo ocorre com a política de vista grossa. De que adianta proibir alguma substância se os atletas não são testados? E se o uso da maconha é uma das verdades inconvenientes do esporte, por que não liberar logo de vez?

Os jogadores usam, e a NFL ignora…



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina