Governo dos EUA emite regras para os Bancos lidarem com fornecedores de Maconha Legalizada!

WAW

hempadao 15 fevereiro, 2014

A Casa Branca emitiu novas regras sexta-feira com a intenção de aliviar as preocupações dos bancos que querem lidar com empresas que vendem maconha legalmente, algo que os bancos do país, até agora, se recusaram a fazer.

As regras, estabelecidas pelos Departamentos do Tesouro e Justiça, destinam-se a "tirar das sombras as operações financeiras historicamente dissimuladas do negócio da cannabis", disse Jennifer Shasky Calvery, diretora da Financial Crimes Enforcement Network.

Enquanto 20 estados e o Distrito de Columbia aprovaram leis que permitem a venda de maconha medicinal e recreativa, a sua produção, venda e posse permanecem ilegais pela lei federal. E como o governo federal regula as operações bancárias, vendedores de maconha foram incapazes de negociar com os bancos.

Como resultado, os vendedores de maconha trabalham só com dinheiro, criando um alvo tentador para os ladrões. Funcionários do Departamento do Tesouro dizem que as regras revistas devem reduzir os perigos associados com a realização de um negócio em dinheiro.

Sob as novas regras, os bancos que quiserem fazer negócios com traficantes de maconha devem verificar se estão devidamente licenciados e devem reunir informações sobre os tipos de produtos que vendem e da natureza dos clientes que atendem. Os bancos devem também estar atentos a quaisquer sinais de que os concessionários estejam envolvidos em operações impróprias.

As regras atuais exigem que os bancos notifiquem os fiscais federais de atividade suspeita pelos seus clientes, que hoje incluiriam qualquer traficante de maconha por causa das proibições nos termos da legislação federal. Segundo as novas regras, os avisos ainda serão necessários, mas os bancos que acreditam que um traficante de maconha é respeitável vão apresentar um relatório de “maconha limitada”.

Se um banco acredita que um comerciante não está se comportando de acordo com as diretrizes, o banco deve apresentar um relatório de "maconha prioritária", que poderia ser baseada em fatores como a maior receita do que os concorrentes locais ou uma incapacidade de demonstrar que a receita é proveniente exclusivamente das vendas legais.

No passado, os banqueiros eram céticos de que somente mudanças de regras facilitariam as suas preocupações sobre fazer negócios com “traficantes” de maconha e já pediram ao Congresso para alterar explicitamente a lei federal.

"Esta mudança está no caminho certo, mas não é suficiente", disse Amanda Averch, diretora de comunicações da Associação de Banqueiros do Colorado. "Nós não vemos que a orientação liga o sinal verde para os bancos negociarem com esses empreendimentos. Nós sentimos que a única solução real e duradoura é um ato do Congresso."

Jim Pishue, presidente da Associação de Banqueiros de Washington, concorda. Diretrizes não mudam a lei, disse ele, e não é permanente – pode mudar de governo para governo.

"Estas diretrizes podem dar um pouco de confiança, mas eu não acho que irá dar-lhes o suficiente para depositar o dinheiro dessas pessoas", disse Pishue.

Banqueiros não estão realmente preocupados com a possibilidade de ir para a cadeia. Eles temem as punições mais duras que os órgãos reguladores federais podem impor por violar a lei. Estes incluem: penas de dinheiro público, multas, ordens de cessar-e-desistir ou a retirada do seguro FDIC. Eles podem até mesmo proibir alguém de trabalhar no setor bancário para o resto da vida.

O deputado Denny Heck (D-Wash) acredita que o setor bancário vai entrar no jogo.

"A realidade é que alguns banqueiros vão fazer isso e uma vez que alguns fazem, mais farão. Então isso vai acontecer", disse o deputado Heck. "Alguns virão chutando e gritando, alguns virão facilmente, outras não virão. Mas vamos mover nessa direção, porque é a única coisa que faz sentido."

Como Heck apontou, alguns bancos e cooperativas de crédito já estão oferecendo serviços bancários a dispensários de maconha legal "com uma piscadela e um aceno de cabeça".

"Cada instituição financeira terá que fazer a sua própria avaliação de risco e o negócio “faz sentido”", disse um funcionário do governo. "Enquanto a regra não pode tranquilizar todos os bancos, nós estamos providenciando uma brecha para aqueles que querem servir a este setor."

Um funcionário do Departamento do Tesouro disse que a demanda tem sido especialmente forte no Colorado e Washington, onde a venda de maconha é legal sob a lei estadual.

O Departamento de Justiça, na sexta-feira, escalou promotores federais para concentrar seus recursos em traficantes suspeitos ao considerar acusações de lavagem de dinheiro ou outros delitos contra transações bancárias por traficantes de maconha.

Leia o original AQUI



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina