Gene facilita identificação de usuários de maconha problemáticos

Hemportagem

hempadao 17 fevereiro, 2016

O Hempadão sempre buscou um diálogo franco com os leitores sobre os riscos do uso de maconha. Para um pequena parcela de usuários (cerca de 9%) o uso da erva pode ser problemático e provocar dependência e cerca de 1% dos usuários de maconha desenvolvem psicose. 

 

Neste contexto, pesquisadores da Universidade de Exeter e do UCL (University College London) identificaram um gene que pode ser usado para prever quão suscetível é uma pessoa jovem aos efeitos psicoativos da cannabis. 

No estudo feito com 442 jovens usuários o já conhecido dano na memória de curto (que se recupera quando o efeito da maconha termina), foi mais intenso nas mulheres. 

Celia Morgan, professora de psicofarmacologia na Universidade de Exeter e a Profª Val Curran e sua equipe do UCL descobriram que jovens com variação no gene AKT1 experimentaram distorções visuais, paranoia e outros sintomas psicóticos mais fortemente quando estavam sob a influência de maconha. 

“Apesar da psicose induzida por maconha ser muito rara, quando isso acontece pode ter um impacto terrível sobre a vida dos jovens. Esta pesquisa poderia ajudar a pavimentar o caminho para a prevenção e tratamento da psicose decorrente do uso da maconha”, declarou a pesquisadora Celia Morgan.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina