Educação X Legalização: Estamos preparados para o Caveirão?

Contra Maconha

hempadao 21 janeiro, 2015

Antes reverberar o que a reportagem da Folha disse, busquei a página pessoal do DJ Zegon onde encontrei de cara uma explicação, vamos a ela:

“Mais uma vez vivendo e aprendendo, fiz essa “materia” para a Folha de S.Paulo para falar de musica, novos projetos, abri minha casa e meu studio, recebi a reporter Natalia Albertoni, Conversei com ela por cerca de uma hora sobre varios assuntos, Os que chamaram mais atençao foram os que geraram a manchete “País nao esta preparado para legalizar a maconha” ,diz ex-Planet Hemp e minha critica a geraçao de bandas de Rock que veio depois da nossa, os emos, e aqueles que pegaram tudo mastigado na internet ,com pouca rua e atitude. Em nenhum momento eu generalizei, Falei bastante sobre coisas boas, sobre a molecada nova que usou isso de maneira inteligente e lavantou o Rap no Brasil, corrigindo erros cometidos pela geraçao com “atitude” que eu vim, mas isso foi relevante.

Falei sobre minha visao de uma forma mais ampla sobre legalizaçao, que falta educaçao para o povo antes de poder legalizar, entre varias coisas. Falei muito alem sobre musica sem patrocinio ,sobre quem faz independente e bem feito hoje em dia e sobre o declinio das grandes gravadoras.,Ediçao de texto totalmente mudando e cortando frases pela metade,para mais uma vez alimentar o mimimi de internet ,estao de parabens!!!!”, postou Zegon!

Confesso que quando vi a notícia achei bizarro. Zé Gonzáles não só fez parte do Plantet Hemp como segue há tempo o Hempadão no twitter, deu muita força ao início do blog e é um fã da Maria, não sei se consumindo, mas pelos menos considerando sua importância cultural.

Tendo certeza de que Zegon não é ContraMaconha, o post de hoje dessa editoria é direcionado ao Jornalismo! Se ele falou sobre tanta coisa, porque a manchete veio com essa aspas?

É sensacionalismo que está em jogo? Parece que sim.

De qualquer forma, essa dicotomia “Educação do povo brasileiro X Legalização no Brasil” não é rara de se ver. Acontece que, na verdade, é óbvio que isso não faz o menor sentido. Porque se o povo é deseducado para com a liberação, também o é com a proibição. São playboys deseducados que vão virar policiais deseducados e reprimir com caveirões bem educados para levar repressão à áreas pobres da cidade.

Sem educação, boa parte da população não consegue sequer entender a necessidade da legalização. Da mesma forma, boa parte da população no Brasil não entende a necessidade de racionar água ou cuidar do meio ambiente. E de qualquer forma, é preciso educar a população para que seja feito aquilo que é vital para nossa sobrevivência.

Se tivermos que primeiro educar o povo brasileiro para só depois legalizar, acho que deveríamos, desde já, entregar as pontas. Pelo contrário, acreditamos que a legalização faz parte da educação que o brasileiro precisa ter. É como negar liberdade a um filho por achá-lo imaturo. Sem perceber que é na falta de liberdade que reside sua imaturidade.

A legalização no Brasil é urgente. Enquanto uns melhoram sua educação vamos encarcerar cada vez mais gente?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina