Dicas para Guerrilheir@s Urbanos – Sem desculpinhas para não plantar!

Cultivo Vital

hempadao 24 novembro, 2013

por Sergio Vidal

Essa semana vou começar a falar de uma forma de cultivar que é muito utilizada por pessoas que não têm condições de manter um cultivo no local onde residem. Muitas pessoas não podem plantar porque moram com os pais, ou com outras pessoas que são contra a decisão pessoal de consumir cannabis. Seja por esse ou por qualquer outro motivo, muitas pessoas não cultivam usando como desculpas o fato de que não podem manter plantas de cannabis em suas residências. Porém, cultivar cannabis para uso pessoal não significa adotar um pé em sua própria casa. Uma das alternativas é iniciar um plantio de Guerrilha.

Cultivar em guerrilha significa que a planta será mantida em algum local na natureza, recebendo cuidados semanais ou quinzenais apenas. Dessa forma é como se o cultivador fosse apenas um suporte, provendo-lhe o que ela não consegue encontrar na natureza. Mas é claro que temos um papel muito maior do que esse. De fato um bom cultivador de guerrilha sabe a importância que o planejamento prévio tem na hora de determinar se o cultivo será de sucesso ou não. Se o planejamento é parte essencial em qualquer jardim, numa experiência de guerrilha isso é ainda mais determinante. Numa guerrilha a planta fica inteiramente dependente das condições da natureza e tudo que o cultivador puder fazer para auxiliá-la será bem vindo. Quais são então os passos para um cultivo de Guerrilha com êxito?

A primeira decisão de tod@ guerrilheir@ é onde será o local da plantio. É preciso escolher um local de difícil acesso, fechado para pessoas comuns, que seja pouco visitado e procurar estabelecer rotas de entrada e saída. É importante que seja afastado do local onde se reside, trabalha ou estuda. Se for feito dentro de uma mata, que é o mais aconselhável é preciso escolher um local onde o sol penetre com maior intensidade. A cannabis pode aproveitar muito bem a luz indireta, mas é preciso ajudar escolhendo os locais onde a luz penetre melhor para que a planta possa crescer com saúde. É preciso ficar atento com morros, elevações e montanhas que possam fazer sombra no cultivo ao longo do dia.

Escolhido o local é preciso prepará-lo com todo o cuidado para receber as novas moradoras. Primeiro é preciso fazer covas o mais profundo possível e substituir o solo original por solo preparado para cannabis, ou misturar substratos novos ao solo original. Para não perder muitos nutrientes para a natureza, e garantir alguma retenção de umidade, é bom forrar grandes buracos no chão com lonas, e fazer alguns furos embaixo para garantir também que o solo não enxarque durante chuvas. Assim se constrói grandes vasos usando apenas lona. Mas é importante furar muito embaixo da lona, para que não acumule água, pois se acumular água demais no solo e as raízes não puderem respirar as plantas morrem. Por isso é importante que as covas sejam o mais fundas possível, para que não aja acumulo excessivo de água.

ffffffffffffffffffffffuO solo que será utilizado pode ser preparado previamente. Só que é difícil levar todo o solo pronto para o local de cultivo. O ideal é se concentrar em levar para o local da guerrilha o máximo de pó de coco que puder. Também é importante levar humus de minhoca, farinha de osso, calcário dolomítico e esterco de gado. O pó de coco servirá para a mistura de solo ficar leve e permitir o desenvolvimento das raízes. Os outros substratos servem para auxiliar a nutrição da planta durante o seu crescimento e florescimento. Esses substratos e o pó do coco são acrescentados ao solo para garantir que a planta possa se virar mais sozinha durante o crescimento. Porém é importante que ao menos uma vez por semana as plantas sejam visitadas para ver se estão corretamente nutridas ou se precisam de alguma suplementação. Em alguma fase das suas vidas certamente irão começar a pedir suplemento de um ou outro nutriente, carência que pode ser sanada com fertilizantes quimicos ou orgânicos aplicados semanalmente. É bom manter uma dieta semanal de sulfato de magnésio, popularmente conhecido como Sal Amargo, nome sob o qual é vendido nas farmácias. As plantas adoram e precisam muito do magnésio em suas dietas, especialmente quando precisam aproveitar ao máximo as fontes de nutrientes.

Após escolher o local onde será o plantio e prepará-lo, se inicia a fase da germinação. O ideal é germinar as plantas em um local mais seguro, onde elas possam crescer um pouco antes de serem colocadas na natureza. Assim as plantas iriam para o local definitivo apenas após estarem com algumas semanas de vida. Isso porque é muito dificil que as plantas sobrevivam sem ajuda se forem semeadas e abandonadas na natureza. A não ser que se tenha em mãos centenas de sementes que possam ser semeadas em conjunto, dificilmente se pode tirar um proveito de um bom cultivo de guerrilha sem germinar as sementes em um bercário. Construir um bercário onde as plantas possam crescer algumas semenas antes de ir para a natureza é outro fator que pode ajudar muito a garantir altas taxas de sucesso nas guerrilhas e certamente fará toda diferença nas taxas de sobrevivência das sementes germinadas.

Considero esses os passos básicos de quem quer se empreender num cultivo de guerrilha. Primeiro escolhar bem o local, depois prepare ele adequadamente e então construa seu bercário para garantir que as plantinhas estarão bem saudavéis antes de irem para a natureza. Antes de decidir por em prática tudo isso devemos ter sempre em mente que se trata ainda de uma atividade que desperta o interesse de muitas pessoas. Muitos podem querer incriminá-lo por cuidar de plantas de cannabis cultivadas na natureza e outros podem simplesmente querer roubar sua colheita. Seres humanos têm atitudes com outros seres humanos que nem sempre estão de acordo com o que acreditamos ser humano. Resumindo, fique esperto e nunca descuide da sua segurança. Nada num jardim de cannabis medicinal deve funcionar se a segurança do jardineiro estiver ameaçada. Isso serve para todos os tipos de jardim, incluindo os de guerrilha.

Espero com essas reflexões ter ajudado a mudar a ideia de que para semar e cuidar de plantas de cannabis é preciso estar morando só, ou ser independente financeiramente. A cannabis é uma planta, ela está acostumada a sobreviver e já faz isso há milhares de anos com maior ou menos ajuda dos seres humanos. Basta dar-lhes carinho, atenção e não desistir delas que elas mais cedo ou mais tarde irão nos retribuir com suas lindas flores.

Mais uma vez espero que tenham gostado do texto e, principalmente, que ele tenha ajudado a esclarecer mais a respeito da natureza da cannabis e do seu cultivo. Enviem suas mensagens, críticas, etc e, principalmente as dúvidas, preferencialmente com fotos, para o e-mail: hempadao@gmail.com

Até semana que vem! namaste!

Consulte outros artigos sobre cultivo: Clique Aqui  e aqui

*Antropólogo, Redutor de Danos e Cidadão Ativista engajado na construção de um Brasil com leis e políticas públicas sobre maconha e outras drogas mais humanas e eficientes.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina