Cultivando Flores e Lutando Contra o Preconceito! [CaosInCasa #211]

Caos in Casa

hempadao 12 março, 2013

Relato meu caso diretamente do interior da Bahia, tenho 20 anos e sou usuário de maconha desde os 15. Sou filho de uma técnica de enfermagem com um comerciante (hoje separados), que vendia a erva proibida. Ele passou três anos na cadeia e quando saiu continuou vendendo sem a concernência da minha mãe, mas hoje ele tem um comércio legal.

Meu primeiro contato com a maconha ocorreu quando encontrei a erva escondida em uma embalagem plástica. Curioso como sempre, resolvi pegar um pouco, mas no início fiquei com medo de utilizar a erva. Guardei por uma semana, ao ponto de quase pegar mofo, até o dia que chamei um amigo maconheiro para ajudar na bolação do beck.

Nessa mesma época meus pais se separaram e continuei morando com a minha mãe. Ela não estava ciente de que seu filho caçula era um usuário de maconha, e eu morria de medo de isso vir a tona, pois ela era uma pessoa com a mente um pouco fechada para esse assunto.

Percebi que ela começou a desconfiar, mas nunca tocava no assunto. Certo dia, quando estava bebendo em casa com amigos, levei os camaradas para mostrar o “tesouro” escondido no quarto. Neste instante a mãe entrou no quarto e me pegou com uma caixinha de fosforo na mão e perguntou o que era. Tentei despistar dizendo que não era nada, mas ela respondeu dizendo que já sabia, mas queria confirmar.

Entreguei a caixa, que foi devolvida rapidamente. “Toma cuidado com isso, Não quero você fumando em esquina e nem em grupo pelo meio da rua”, disse a mãe. Depois dessa cena eu fui fumar com a galera em outro lugar.

Na volta tivemos uma conversa. Ela reforçou que não queria eu fumando na rua e liberou para eu fumar com meus amigos em casa. Hoje em dia ela sabe muito bem como são as coisas. Já tenho até a permissão de cultivar meu próprio fruto em casa. Minha mãe está ciente do plantio e minha noiva me apoia para não financiar o tráfico de drogas.

Queria que todos abrissem os olhos para o tráfico de drogas, compramos coisas que não sabemos de onde vem e nem, quantos guardas tiveram que subornar para chegar ate o seu destino e quantas e outras drogas pesadas podem ser compradas com esse dinheiro sujo. Vamos plantar nossa própria maconha!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina