Coronel da PM do Rio de Janeiro defende legalização das drogas

WeedNews

hempadao 22 novembro, 2015

Por culpa da proibição, a relação entre policiais e usuários de drogas ilícitas e tensa há muito muito tempo. Os dois lados colecionam dúzias de argumentos para odiar e criticar o outro. Entretanto, caminho para a paz é simples e está no sonho de qualquer maconheiro. Mas será que os Tiras topam levantar essa bandeira branca da legalização? 

O coronel Robson Silva, chefe do Estado-maior da polícia do Rio de Janeiro topa. Durante uma audiência que investiga casos de homicídio decorrentes de intervenção policial ele soltou o verbo pela legalização do mercado de drogas. 

“Rever o proibicionismo é estar alinhado com o que há mais de vanguarda. Ou seja, encarar de maneira inteligente e falar na possibilidade de regulação de um mercado pelo Estado, porque na verdade a gente vai ficar enxugando gelo se ficar com essa legislação atual”, declarou o Coronel. 

O coronel também criticou a legislação que não define se a pessoa é usuária ou traficante, conforme a quantidade de droga encontrada com ela. Para ele, o combate da polícia deveria ser outro. 

“Há um custo muito grande nas prisões [relacionadas] a drogas, de usuários, porque está na lei. Estamos prendendo, prendendo o usuário. É o que tem mais impactado na atuação de policiais de UPP. Nós estamos prendendo este tipo de criminoso e quando focamos nisso deixamos de focar no grande tráfico de drogas. O que mais tem afetado a segurança pública são as armas de fogo, a questão de homicídios, os grupos de extermínio. Deveria ser a prioridade não só no Rio como no Brasil”, afirmou. 

Não podemos esquecer que por conta deste estúpido proibicionismo mantido por legisladores morrem usuários, pequenos traficantes, policiais e inocentes sem relação com esse meio. O pedido de legalização não é só pela paz entre usuários e policiais. Vai muito além disso! 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina